Agrishow confirmada para abril, em Ribeirão Preto (SP) - Digital Balde Branco

CURTAS

Agrishow confirmada para abril, em Ribeirão Preto (SP)

A Agrishow – Fei­ra Inter­na­ci­o­nal de Tec­no­lo­gia Agrí­co­la em Ação está de vol­ta pre­sen­ci­al­men­te. Entre os dias 25 e 29 de abril, em Ribei­rão Pre­to, inte­ri­or de São Pau­lo, a fei­ra, que movi­men­ta for­te­men­te o agro­ne­gó­cio naci­o­nal, rea­li­za sua 27ª edi­ção com mui­tas atra­ções e novi­da­des para aten­der às deman­das dos pro­du­to­res rurais em ter­mos de pro­du­ti­vi­da­de, efi­ci­ên­cia, sus­ten­ta­bi­li­da­de e ren­ta­bi­li­da­de. A Agrishow 2022 repre­sen­ta uma opor­tu­ni­da­de de rea­li­zar negó­ci­os e estrei­tar rela­ci­o­na­men­to com as mais de 800 mar­cas do Bra­sil e do exte­ri­or, nos seg­men­tos de máqui­nas, equi­pa­men­tos e imple­men­tos agrí­co­las, agri­cul­tu­ra de pre­ci­são, irri­ga­ção, arma­ze­na­gem, pecuá­ria, semen­tes, cor­re­ti­vos, fer­ti­li­zan­tes, defen­si­vos agrí­co­las, insu­mos diver­sos, saca­ri­as, emba­la­gens, tec­no­lo­gia em soft­ware e hard­ware, agri­cul­tu­ra fami­li­ar, finan­ci­a­men­to, segu­ro, peças, auto­pe­ças, pneus, vál­vu­las, bom­bas, moto­res e transportes.

Expodireto Cotrijal fatura R$ 4,9 bilhões

Nem a pan­de­mia ou a infla­ção e nem o desâ­ni­mo com as per­das cau­sa­das pela esti­a­gem tira­ram do pro­du­tor rural o inte­res­se pela ati­vi­da­de e pelo inves­ti­men­to tec­no­ló­gi­co na sua pro­pri­e­da­de. Esse oti­mis­mo é o que jus­ti­fi­ca o fatu­ra­men­to total de R$ 4,9 bilhões obti­dos na 22ª Expo­di­re­to Cotri­jal. Do mon­tan­te total, R$ 4,37 bilhões cor­res­pon­dem às inten­ções de negó­ci­os pro­to­co­la­das jun­to aos ban­cos ofi­ci­ais e de fábri­cas que esti­ve­ram na expo­si­ção com linhas de finan­ci­a­men­to para máqui­nas e imple­men­tos agrí­co­las. O públi­co que visi­tou o Par­que de Expo­si­ções da Cotri­jal duran­te a sema­na tam­bém sur­pre­en­deu, che­gan­do a 256 mil pes­so­as, o mes­mo que foi con­ta­bi­li­za­do em 2020.

Associação da raça Holandesa lança índice capaz para avaliar saúde e desempenho do rebanho 

As Asso­ci­a­ções Para­na­en­se e Bra­si­lei­ra da Raça Holan­de­sa (APCBRH/ABCBRH) aca­bam de lan­çar o Índi­ce de Tran­si­ção de Vacas (TCI). Cri­a­do pelo prof. Ken Nor­dlund, da Uni­ver­si­da­de de Wis­con­sin-Madi­son, nos Esta­dos Uni­dos, ago­ra está dis­po­ní­vel para os cri­a­do­res asso­ci­a­dos. A fer­ra­men­ta per­mi­te moni­to­rar a saú­de das vacas recém-pari­das e o desem­pe­nho dos reba­nhos lei­tei­ros. Além dis­so, o TCI pode ser usa­do para moni­to­rar o desem­pe­nho indi­vi­du­al de vacas recém-pari­das e, assim, for­mar um índi­ce de reba­nho. A dis­po­ni­bi­li­za­ção do índi­ce aos pro­du­to­res que fazem con­tro­le lei­tei­ro dos seus reba­nhos ocor­re gra­ças à par­ce­ria entre a APC­BRH, a ABC­BRH e a Uni­ver­si­da­de Fede­ral do Para­ná (UFPR). Tudo isso sem cobran­ça adi­ci­o­nal aos asso­ci­a­dos ou qual­quer outra taxa.

Produtores aprendem a produzir silagem em Alto Taquari (MT)

Recen­te­men­te, pro­du­to­res rurais con­cluí­ram uma capa­ci­ta­ção em Alto Taqua­ri (MT) para apren­de­rem a pro­du­zir sila­gem. Den­tre os par­ti­ci­pan­tes esti­ve­ram pro­du­to­res rurais aten­di­dos pela Assis­tên­cia Téc­ni­ca e Geren­ci­al (ATeG) do Senar-MT. Daya­ne Fide­lis é uma das pro­du­to­ras rurais aten­di­das que par­ti­ci­pa­ram do trei­na­men­to. Para ela, os cur­sos são uma for­ma de agre­gar conhe­ci­men­to. “Venho apren­den­do com os pro­du­to­res rurais do muni­cí­pio, com os cur­sos no sin­di­ca­to e com os aten­di­men­tos da ATeG. Tudo tem con­tri­buí­do para a melho­ria no meu sítio.”