Análise da silagem a campo - Digital Balde Branco

Aná­li­se da sila­gem é indis­pen­sá­vel para garan­tir die­ta equi­li­bra­da aos animais

ESPA­ÇO EMPRESARIAL 

ANÁ­LI­SE DA SILA­GEM A CAMPO

Pro­je­to da KWS Semen­tes já está rodan­do em algu­mas regiões do País, fazen­do a aná­li­se da sila­gem na pro­pri­e­da­de e ori­en­tan­do sobre como pro­du­zir o ali­men­to com mais efi­ci­ên­cia e qualidade

 

João Antô­nio dos Santos

Trata-se do pro­je­to iné­di­to Silo Mais, lan­ça­do duran­te o 32º Show Rural Coo­pa­vel, em Cas­ca­vel (PR). O Silo Mais é uma  pres­ta­ção de ser­vi­ço para que o pecu­a­ris­ta aumen­te sua efi­ci­ên­cia na pro­du­ção de sila­gem e no balan­ce­a­men­to ade­qua­do na die­ta das vacas lei­tei­ras. “É um labo­ra­tó­rio móvel ins­ta­la­do num fur­gão, o Lab­Mó­vel, que faz aná­li­ses do mate­ri­al do silo da fazen­da. Essas aná­li­ses per­mi­tem capa­ci­tar o pro­du­tor a obter uma sila­gem de alta qua­li­da­de, pois não adi­an­ta fazer pes­qui­sas com híbri­dos de milho que têm mais ener­gia e melhor con­ver­são em lei­te se o pro­du­tor não está pre­pa­ra­do, se está erran­do em algu­ma eta­pa do pro­ces­so”, expli­ca Dimas Car­do­so, geren­te de Sila­gem Amé­ri­ca do Sul da KWS Sementes. 

Ele expli­ca que o Lab­Mó­vel é dota­do de equi­pa­men­tos para diag­nos­ti­car a qua­li­da­de da sila­gem e dos pro­ces­sos de ensi­la­gem do pro­du­tor: aná­li­se bro­ma­to­ló­gi­ca no equi­pa­men­to NIRS, penei­ras penn sta­te para ava­li­a­ção da dis­tri­bui­ção de par­tí­cu­las da sila­gem, cilin­dro para medir a den­si­da­de do silo, câme­ra ter­mo­grá­fi­ca para medir tem­pe­ra­tu­ra do mate­ri­al, copo para medir o pro­ces­sa­men­to de grãos da sila­gem, pica­do­ra de plan­tas e kos­ter para veri­fi­car a maté­ria seca, entre outros itens. 

 

Dimas Car­do­so: é uma pres­ta­ção de ser­vi­ço gra­tui­ta para ori­en­tar o
 pro­du­tor a obter uma sila­gem de alta qualidade

 

O car­ro-labo­ra­tó­rio é ope­ra­do pelo zoo­tec­nis­ta Mar­co Guag­no­ni, que faz a aná­li­se da sila­gem e apre­sen­ta o diag­nós­ti­co ao pro­du­tor. Com base nes­se rela­tó­rio, o téc­ni­co com­pa­ra com os padrões aos quais o pro­du­tor pode che­gar para obter sila­gem de alta qua­li­da­de. “Isso pos­si­bi­li­ta ao pecu­a­ris­ta se tor­nar mais efi­ci­en­te na pro­du­ção des­se ali­men­to. É uma pres­ta­ção de ser­vi­ço de cus­to zero que a KWS ofe­re­ce aos pro­du­to­res”, obser­va Car­do­so, acres­cen­tan­do que, com isso, a empre­sa dá vazão a seu tra­ba­lho de pes­qui­sa para obter híbri­dos mais efi­ci­en­tes para pro­du­zir sila­gem de alta qua­li­da­de.  “Se o pro­du­tor não acer­tar seu pro­ces­so na sila­gem, bem como o ajus­te na for­mu­la­ção da die­ta, ele não vai se bene­fi­ci­ar das van­ta­gens do poten­ci­al des­ses híbridos.”

O Lab­Mó­vel visi­ta as pro­pri­e­da­des, assim como orga­ni­za dias de cam­po e demons­tra­ções do ser­vi­ço em expo­si­ções. Segun­do Car­do­so, são os dias de aná­li­ses da sila­gem, em que o pro­du­tor traz amos­tras de seu silo para uma aná­li­se gra­tui­ta, em tro­ca de algum ali­men­to não pere­cí­vel que será doa­do para ins­ti­tui­ções de caridade. 

Esse ser­vi­ço já está aten­den­do a pro­pri­e­da­des de regiões do Cen­tro-Oes­te e Sudes­te e, em bre­ve, mais um fur­gão- labo­ra­tó­rio esta­rá per­cor­ren­do a região Sul do País. 

Vale refor­çar que o pro­je­to com o foco na pro­du­ti­vi­da­de e qua­li­da­de da sila­gem tam­bém visa à redu­ção do cus­to da ali­men­ta­ção do reba­nho, já que o peso mai­or do cus­to de pro­du­ção é o con­cen­tra­do. “Com base no resul­ta­do da aná­li­se bro­ma­to­ló­gi­ca, o zoo­tec­nis­ta ori­en­ta na  for­mu­la­ção ade­qua­da da die­ta. Ten­do uma sila­gem de alta qua­li­da­de o pro­du­tor pode dimi­nuir a quan­ti­da­de do con­cen­tra­do na die­ta de suas vacas lei­tei­ras. Ou tam­bém desa­fi­ar o ani­mal, para aumen­tar a pro­du­ti­vi­da­de, já que dis­põe de um volu­mo­so de alta qua­li­da­de”, res­sal­ta Cardoso.

Lab­Mó­vel, dota­do de equi­pa­men­tos que per­mi­tem uma aná­li­se cri­te­ri­o­sa da qua­li­da­de da silagem

Ele des­ta­ca ain­da que esse pro­je­to atraiu um par­cei­ro mui­to impor­tan­te: a Abra­lei­te, que abra­çou a cau­sa devi­do aos bene­fí­ci­os que o ser­vi­ço traz para os pro­du­to­res de lei­te. “Foca­da no for­ta­le­ci­men­to da clas­se pro­du­to­ra de lei­te, a enti­da­de reco­nhe­ceu que esse ser­vi­ço con­tri­bui para mai­or desem­pe­nho e pro­du­ti­vi­da­de da fazen­da leiteira.”

Por sua vez, Geral­do Bor­ges, pre­si­den­te da Abra­lei­te, obser­va que essa ini­ci­a­ti­va de ori­en­tar sobre a pro­du­ção da sila­gem a par­tir da aná­li­se do ali­men­to na pró­pria fazen­da é um ser­vi­ço mui­to impor­tan­te para os pro­du­to­res. “Com base no rela­tó­rio da qua­li­da­de da sila­gem, o zoo­tec­nis­ta ori­en­ta o pro­du­tor como cor­ri­gir a die­ta, redu­zin­do cus­tos e ganhan­do em pro­du­ti­vi­da­de, bem como faz indi­ca­ções para aper­fei­ço­ar o pró­xi­mo plan­tio do milho”, diz ele, enfa­ti­zan­do que o cami­nho do suces­so na pro­du­ção lei­tei­ra pas­sa neces­sa­ri­a­men­te pela pro­du­ção efi­ci­en­te de ali­men­to de qua­li­da­de e pela ade­qua­da for­mu­la­ção da die­ta para as vacas em lactação. 

Mais infor­ma­ções: e‑mail: dimas.cardoso@kws.com; 
tel. (34) 99937–0772

 

Rolar para cima