Aplicativo monitora mais de um milhão de litros - Digital Balde Branco

Lan­ça­do em agos­to últi­mo, o apli­ca­ti­vo Milk­Point Radar já com­par­ti­lha infor­ma­ções de qua­se 500 pro­du­to­res, que repre­sen­tam volu­me expres­si­vo na pro­du­ção de leite/dia

No mês de outu­bro, os produto­res cadas­tra­dos no apli­ca­ti­vo Milk­Point Radar, lan­ça­do há qua­tro meses pelo por­tal Agri­point, repre­sen­ta­vam infor­mações de 478 pro­pri­e­da­des, o que cor­res­pon­dia a um volu­me de lei­te esti­ma­do em mais de 1 milhão de litros, com pro­du­ção média de 2.173 litros/dia. Tais dados foram gera­dos por infor­ma­ções trans­mi­ti­das pelos pro­du­to­res a res­pei­to do lei­te for­ne­ci­do em setem­bro e pago em outu­bro. Des­de seu lan­ça­men­to, ocor­ri­do duran­te o Sim­pó­sio Inter­lei­te 2016, até o dia 15 de novem­bro, 1660 pro­pri­e­da­des e 356 con­sul­to­res se cadas­tra­ram no aplicativo.

“Tra­ta-se de uma ade­são bem repre­sen­ta­ti­va se con­si­de­rar­mos o perío­do de dis­po­ni­bi­li­da­de do aplica­tivo. Ao mes­mo tem­po, reve­la que tais núme­ros deve­rão cres­cer mui­to mais, con­si­de­ran­do o uni­ver­so de pro­du­to­res no País e o pro­vei­to que se pode tirar da fer­ra­men­ta den­tro da ati­vi­da­de lei­tei­ra”, cita Mar­ce­lo Perei­ra de Car­va­lho, dire­tor do Agri­point. O ser­vi­ço é útil tan­to para pro­du­to­res e con­sul­to­res téc­ni­cos, quan­to para indús­tri­as na nego­ci­a­ção do lei­te por região.

Com aces­so gra­tui­to, atra­vés de apli­ca­ti­vo para celu­la­res ou no compu­tador, a novi­da­de per­mi­te com­pa­rar a efi­ci­ên­cia e a com­pe­ti­ti­vi­da­de de cada pro­du­tor em rela­ção à sua mesor­re­gião, esta­do e país. Ini­ci­al­men­te, o ser­vi­ço está cap­tan­do infor­ma­ções sobre os pre­ços de lei­te, o volu­me ven­di­do, e sobre o lati­cí­nio com­pra­dor do lei­te, bem como parâ­me­tros de qua­li­da­de e com­po­si­ção do lei­te. Tais infor­ma­ções repre­sen­tam a cha­ve de entra­da do aplicativo.

“Futu­ra­men­te, ire­mos incor­po­rar outras variá­veis que per­mi­ti­rão que o pro­du­tor tenha uma ampla base com­pa­ra­ti­va para o negó­cio”, expli­ca Carva­lho. Os dados são confi­denciais, ou seja, o produ­tor cadas­tra­do terá aces­so ape­nas aos seus pró­pri­os dados e às médi­as, e não a dados indi­vi­du­ais dos demais pro­du­to­res ou a médi­as por indús­tri­as. “Este é o ser­vi­ço mais ino­va­dor e ori­gi­nal que lan­ça­mos até hoje, pois não exis­te nada pare­ci­do no mer­ca­do. Temos a noção de que pode ser um divi­sor de águas em rela­ção à gera­ção de infor­ma­ções para o setor lác­teo”, cita ele.

Acres­cen­ta que quan­to mais pro­dutores ade­ri­rem, mais con­fiá­veis e abran­gen­tes serão as infor­ma­ções gera­das. Na prá­ti­ca, o apli­ca­ti­vo é um ser­vi­ço de com­pa­ra­ção de pre­ços rece­bi­dos pelo lei­te e tam­bém por qua­li­da­de pelos pro­du­to­res. “Isso tra­rá mais trans­pa­rên­cia ao mer­ca­do e me­lhores con­di­ções de geren­ci­a­men­to do negó­cio por quem ade­rir ao sis­te­ma”, expli­ca. O pro­du­tor que se man­ti­ver ati­vo, apor­tan­do dados todos os meses, terá ain­da aces­so a aná­li­ses exclu­si­vas de mer­ca­do, bem como con­teú­dos dife­ren­ci­a­dos, entre outros benefícios”.

Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 626, de dezem­bro 2016

Rolar para cima