Bezerras: dieta líquida (parte 5) - Digital Balde Branco
revista-balde-branco-perguntas-e-respostas-01-ed669

PERGUNTAS E RESPOSTAS

BEZERRAS

Dieta líquida (parte 5)

Sob patrocínio do programa Alta Cria, a Balde Branco vai publicar nesta seção – Perguntas e Respostas – uma série de matérias com informações sobre as Boas Práticas na Criação de Bezerras, sob a coordenação de Rafael Azevedo, gerente de produto da Alta Genetics e coordenador e conselheiro do programa Alta Criaia

Aumen­tar o volu­me de lei­te nos pri­mei­ros 30 dias de vida aju­da no desem­pe­nho e no desen­vol­vi­men­to da bezerra?

Sim, em todos os expe­ri­men­tos cien­tí­fi­cos em que foi tes­ta­do o aumen­to do volu­me de lei­te, de 4 a 6 ou mais litros de lei­te, hou­ve aumen­to nas taxas de ganho de peso dos animais.

Qual o melhor pro­gra­ma de alei­ta­men­to (quan­ti­da­de e dura­ção) para bezer­ras, con­si­de­ran­do a rela­ção custo/benefício?

Bezer­ras neces­si­tam de lei­te para cres­ci­men­to ade­qua­do duran­te as pri­mei­ras 6 a 8 sema­nas de vida. De manei­ra geral, a inges­tão de lei­te (lac­to­se, gor­du­ra, pro­teí­na, mine­rais e vita­mi­nas) para bezer­ras deve ficar ao redor de 4,8 a 7,2 litros/dia, con­si­de­ran­do-se leite/sucedâneo com 12,5% de sóli­dos totais (o que seria cor­res­pon­den­te à inges­tão de 600 a 900 gramas/dia de sóli­dos via die­ta líqui­da), depen­den­do do peso e da ida­de da bezer­ra. Pro­gra­mas de alei­ta­men­to com quan­ti­da­des mais res­tri­tas de leite/sucedâneo, de cer­ca de 4,8 litros/dia (600 g de sóli­dos lácteos/dia), resul­tam em menor ganho de peso nas pri­mei­ras sema­nas de vida, mas mai­or inges­tão de ali­men­to sóli­do, além de tran­si­ção mais fácil duran­te o desa­lei­ta­men­to. Por outro lado, alei­ta­men­to com quan­ti­da­des diá­ri­as de 900 g de sóli­dos lác­te­os resul­ta em mai­or ganho de peso, mas requer pro­gra­ma de tran­si­ção para ali­men­tos sóli­dos mais cau­te­lo­so. De manei­ra geral, a inges­tão de lei­te expli­ca mui­to pou­co da vari­a­ção em pro­du­ção de lei­te da novi­lha em sua pri­mei­ra lac­ta­ção. Mais impor­tan­te é asse­gu­rar bom cres­ci­men­to com com­bi­na­ção de uso de quan­ti­da­des de lei­te nas pri­mei­ras 4 a 5 sema­nas de vida, pro­mo­ven­do ganhos de peso médio de 500 a 600 g/dia para raças de gran­de por­te (Holan­dês) e aí ini­ci­ar a redu­ção gra­da­ti­va no ofe­re­ci­men­to de lei­te para esti­mu­lar a inges­tão de ali­men­tos con­cen­tra­dos. A inges­tão de con­cen­tra­dos no perío­do de alei­ta­men­to expli­ca mais da vari­a­ção em pro­du­ção de lei­te da novi­lha em sua pri­mei­ra lactação.

Ofe­re­cer alta quan­ti­da­de de lei­te (8 a 10 litros/dia) pode pre­ju­di­car o desen­vol­vi­men­to do tra­to gas­troin­tes­ti­nal da bezerra?

Se for duran­te todo o perío­do de alei­ta­men­to, sim. Nos anos de 2018 e 2019, foram publi­ca­dos arti­gos que mos­tram que, a par­tir da inges­tão de 660 g de sóli­dos de lei­te (lei­te com 12,5% de sóli­dos = 5,3 litros), come­ça a ocor­rer que­da na inges­tão de ali­men­tos sóli­dos, o que pode atra­sar o desen­vol­vi­men­to do rúmen. Esses efei­tos são prin­ci­pal­men­te vis­tos a par­tir da 4ª sema­na de ida­de. Até a 3ª sema­na de ida­de, a que­da no con­su­mo é mui­to peque­na e, pro­va­vel­men­te, ain­da não afe­ta o desen­vol­vi­men­to do rúmen. Des­ta for­ma, é neces­sá­rio, a par­tir de 30 dias de ida­de, redu­zir o con­su­mo da die­ta líqui­da para esti­mu­lar o con­su­mo de ali­men­tos sóli­dos e não pre­ju­di­car o desen­vol­vi­men­to do rúmen, ou fazer essa redu­ção nas duas últi­mas sema­nas do alei­ta­men­to. O desa­lei­ta­men­to gra­du­al vai garan­tir o aumen­to no con­su­mo de con­cen­tra­do, mini­mi­zan­do as per­das de desem­pe­nho após o desaleitamento.

Pos­so aumen­tar valor de sóli­dos totais do lei­te para com­pen­sar pou­co volu­me de inges­tão volun­tá­ria, decor­ren­te da frequên­cia de alei­ta­men­to? Qual o valor máxi­mo que se pode aumen­tar sem ris­cos de diar­reia osmótica?

Sim, o aumen­to dos teo­res de sóli­dos totais do lei­te, com a adi­ção de suce­dâ­neo de boa qua­li­da­de, tor­na-se boa opção para for­ne­cer mai­o­res quan­ti­da­des de nutri­en­tes para as bezer­ras, em mes­mo volu­me de die­ta. Mes­mo que alguns tra­ba­lhos demons­trem resul­ta­dos posi­ti­vos com valo­res de sóli­dos totais até 20%, a reco­men­da­ção a cam­po é de que esses valo­res não ultra­pas­sem 17% de sóli­dos totais, sen­do mui­to impor­tan­te ter água de qua­li­da­de dis­po­ní­vel a todos os ani­mais, o tem­po todo.

No for­ne­ci­men­to de lei­te enri­que­ci­do com suce­dâ­neo para fechar valo­res de sóli­dos totais diá­ri­os, exis­te ris­co de diar­reia nutri­ci­o­nal pelo fato de ter dia em que o ani­mal rece­be­rá somen­te lei­te e em outros dias rece­be­rá lei­te mais suce­dâ­neo, porém sem­pre com o mes­mo teor de sólidos?

Des­de que o suce­dâ­neo uti­li­za­do para aden­sa­men­to seja de óti­ma qua­li­da­de (gran­de par­te da pro­teí­na vin­da de fon­tes lác­te­as) e o teor de sóli­dos totais a ser atin­gi­do este­ja na casa de 15% a 17%, os ris­cos de diar­reia nutri­ci­o­nal são peque­nos. No entan­to, é pre­ci­so enten­der que o teor de sóli­dos está sen­do man­ti­do, mas as fon­tes de nutri­en­tes estão mudan­do e com isso o sis­te­ma enzi­má­ti­co das bezer­ras esta­rá sen­do for­ça­do a mudan­ças todos os dias. O ide­al para cri­a­ção de bezer­ras é con­sis­tên­cia em todos os pro­ce­di­men­tos (mane­jo, nutri­ção, con­for­to, etc.).

Acompanhe mais algumas das principais dúvidas dos produtores sobre como fazer corretamente a cura de umbigo das bezerras, para evitar uma série de problemas 
Perguntas respondidas por: Rafael Alves de Azevedo – Alta Genetics José Eduardo Portela Santos – UF Rodrigo Melo Meneses – EV/UFMG Lívia Carolina Magalhães Silva Antunes – Fazu Sandra Gesteira Coelho – EV/UFMG
Rolar para cima