Bezerras: dieta sólida - Digital Balde Branco
revista-balde-branco-perguntas-e-respostas-ed674

PERGUNTAS E RESPOSTAS

BEZERRAS

Dieta sólida (parte 10)

Sob o patrocínio do programa Alta Cria, a Balde Branco publica nesta seção – Perguntas e Respostas – uma série de matérias com informações sobre as Boas Práticas na Criação de Bezerras, sob a coordenação de Rafael Azevedo, gerente de produto da Alta Genetics e coordenador e conselheiro do programa Alta Cria

O que devo levar em con­si­de­ra­ção na toma­da de deci­são de com­prar ração pron­ta para as bezer­ras ou fazer a bati­da na fazenda?

O pro­du­tor deve con­si­de­rar sua capa­ci­da­de de pro­du­ção, qua­li­da­de dos ingre­di­en­tes, con­tro­le da qua­li­da­de do pro­ces­so (de for­ma que a mis­tu­ra final seja sem­pre a mes­ma) e, o mais impor­tan­te, a ado­ção de for­mu­la­ção ade­qua­da para ani­mais em aleitamento.

 

Inde­pen­den­te­men­te da ida­de, o cri­té­rio prin­ci­pal para o desa­lei­ta­men­to seria o con­su­mo de ração (apro­xi­ma­da­men­te 2 kg/dia — duran­te três dias segui­dos)? Teria algu­ma ida­de míni­ma, mes­mo ten­do esse con­su­mo de 2 kg por dia? 

O con­su­mo de con­cen­tra­do é o aspec­to mais impor­tan­te para o suces­so do desa­lei­ta­men­to. Os ani­mais devem estar con­su­min­do no míni­mo 800 gramas/dia, duran­te três dias con­se­cu­ti­vos, para que o desa­lei­ta­men­to pos­sa ser rea­li­za­do sem pre­juí­zos ao desem­pe­nho na fase sub­se­quen­te. Tra­ba­lhos mais novos estão apon­tan­do para valo­res de, no míni­mo 1,5 kg/dia, por três dias con­se­cu­ti­vos, como cri­té­rio de desa­lei­ta­men­to. As alte­ra­ções no rúmen ocor­rem tan­to do pon­to de vis­ta anatô­mi­co quan­to meta­bó­li­co. O con­su­mo de ali­men­to sóli­do que leva à pro­du­ção de áci­dos gra­xos de cadeia cur­ta, prin­ci­pal­men­te pro­pi­ô­ni­co e butí­ri­co, após sua fer­men­ta­ção rumi­nal, esti­mu­la o desen­vol­vi­men­to rumi­nal com aumen­to do núme­ro, altu­ra e lar­gu­ra de papi­las, assim como esti­mu­la o apa­ra­to enzi­má­ti­co do epi­té­lio rumi­nal a se tor­nar apto para meta­bo­li­zar pro­du­tos finais de fer­men­ta­ção que serão absor­vi­dos. A ida­de míni­ma para o desa­lei­ta­men­to é de 21 dias, perío­do em que uma das enzi­mas impor­tan­tes para o meta­bo­lis­mo des­ses áci­dos come­ça a ser pro­du­zi­da no epi­té­lio rumi­nal. Porém, o desa­lei­ta­men­to mui­to pre­co­ce vai, em mui­tos casos, res­trin­gir o cres­ci­men­to da bezer­ra e aumen­tar o ris­co de doenças.

 

Qual o melhor volu­mo­so para as bezer­ras em alei­ta­men­to? E qual seria o pior, porém ain­da aceitável?

O melhor volu­mo­so é o feno de boa qua­li­da­de. Os outros volu­mo­sos pos­su­em bai­xo teor de maté­ria seca, o que resul­ta em enchi­men­to do rúmen e redu­ção do con­su­mo. O pior seria a cana-de-açú­car ou capim velho, devi­do ao lon­go tem­po gas­to para dei­xar o rúmen, o que pro­vo­ca enchi­men­to e redu­ção do consumo.

 

A par­tir de qual binô­mio peso X ida­de que o feno, for­ne­ci­do à von­ta­de, inter­fe­re em menor ganho de peso e cres­ci­men­to das bezerras?

Duran­te a fase de alei­ta­men­to, se o feno esti­ver sen­do ofe­re­ci­do à von­ta­de para as bezer­ras, e o con­su­mo de con­cen­tra­do esti­ver sen­do subs­ti­tuí­do pelo de feno, vamos obser­var redu­ção do ganho de peso.

 

A intro­du­ção de volu­mo­so na die­ta das bezer­ras pode dimi­nuir o ganho de peso? 

Sim, quan­do o volu­mo­so cau­sar que­da na inges­tão de concentrado.

 

Qual o momen­to ide­al de ini­ci­ar o for­ne­ci­men­to de feno às bezerras?

Duran­te a fase de alei­ta­men­to, deve­mos intro­du­zir volu­mo­so à die­ta de bezer­ras quan­do esti­ver­mos obser­van­do fezes líqui­das ou pas­to­sas, com bolhas de gás, geral­men­te apa­re­cen­do pró­xi­mo aos 45 dias de ida­de. Após 30 dias de ida­de, o con­su­mo de con­cen­tra­do aumen­ta rapi­da­men­te, levan­do alguns ani­mais a apre­sen­tar qua­dros de pH bai­xo no rúmen e tim­pa­nis­mo. Nes­se momen­to, deve­mos intro­du­zir peque­na quan­ti­da­de de volu­mo­so à die­ta para auxi­li­ar a rumi­na­ção, pro­du­ção de sali­va, movi­men­ta­ção do rúmen, expo­si­ção de áci­dos gra­xos volá­teis (AGV) ao epi­té­lio do rúmen, absor­ção de AGV e entra­da de bicar­bo­na­to via trans­por­te epi­te­li­al (pas­sa­gem de AGV para cor­ren­te cir­cu­la­tó­ria e bicar­bo­na­to do san­gue para rúmen). A quan­ti­da­de de feno ofe­re­ci­da nes­se momen­to não deve ser supe­ri­or a 5% do for­ne­ci­men­to do concentrado.

Acompanhe mais algumas das principais dúvidas dos produtores sobre a forma correta de fornecer a dieta sólida, de forma a garantir a saúde e o bom desenvolvimento das bezerras
Perguntas respondidas por: • Carla Maris Machado Bittar – Esalq/USP • Alex de Matos Teixeira – Famev/UFU • Rodrigo Melo Meneses – EV/UFMG • Sandra Gesteira Coelho – EV/UFMG
Rolar para cima