Bezerros diarréicos: o que fazer? Como tratar? - Digital Balde Branco

O diag­nós­ti­co pre­co­ce e o cor­re­to tra­ta­men­to são as for­mas mais efe­ti­vas para se mini­mi­zar per­das com a diar­reia em bezer­ros. Para isso, um ade­qua­do exa­me clí­ni­co e a cor­re­ta hidra­ta­ção são fundamentais


Por Pedro Mala­faia e José Dio­me­des Barbosa

A cor­re­ta cri­a­ção de bezer­ras deve ser con­si­de­ra­da como o pri­mei­ro pas­so na explo­ra­ção raci­o­nal de bovi­nos lei­tei­ros. Para isso, um dos prin­ci­pais obje­ti­vos deve ser a redu­ção nos índi­ces de mor­bi­da­de e mor­ta­li­da­de nos seis pri­mei­ros meses de vida, prin­ci­pal­men­te, do nas­ci­men­to até 28 dias. Afi­nal, per­das econô­mi­cas com diar­rei­as nes­se perío­do são con­si­de­rá­veis devi­do ao des­co­nhe­ci­men­to ou negli­gên­cia quan­to a pro­ce­di­men­tos sim­ples que pode­ri­am evi­tar a doença.

Esse tipo de pro­ble­ma é mul­ti­fa­to­ri­al e pode ser de ori­gem ali­men­tar ou de natu­re­za infec­ci­o­sa. Den­tre os pató­ge­nos mais comuns estão os vírus, bac­té­ri­as e pro­to­zoá­ri­os. Alguns pató­ge­nos cau­sam diar­reia por indu­zi­rem à secre­ção de sódio, clo­re­to, e água do inters­tí­cio e san­gue para o intes­ti­no delgado.

Outros pató­ge­nos dani­fi­cam a muco­sa intes­ti­nal, o que induz à má absor­ção de ele­tró­li­tos e água.
Inde­pen­den­te­men­te da ori­gem, a diar­reia resul­ta em desi­dra­ta­ção, aci­do­se meta­bó­li­ca, dese­qui­lí­bri­os ele­tro­lí­ti­cos e balan­ço ener­gé­ti­co nega­ti­vo devi­do à redu­ção do con­su­mo e absor­ção de nutrientes.

Qual­quer que seja a eti­o­lo­gia, bezer­ros com diar­reia apre­sen­tam cres­ci­men­to exa­ge­ra­do de bac­té­ri­as no intes­ti­no del­ga­do. Essas bac­té­ri­as irão par­ti­ci­par da fer­men­ta­ção de car­boi­dra­tos não estru­tu­rais, com a gera­ção de D‑lactato nos intes­ti­nos del­ga­do e gros­so. Uma vez absor­vi­do, esse ele­men­to esta­rá envol­vi­do na ori­gem da aci­do­se meta­bó­li­ca dos bezer­ros diarreicos.

Essa aci­do­se (D‑lactatemia), que cur­sa com depres­são, fra­que­za, ata­xia e alte­ra­ção do refle­xo pal­pe­bral, asso­ci­a­da com desi­dra­ta­ção e endo­to­xe­mia ou sep­se, é a prin­ci­pal cau­sa da mor­te de bezer­ros. O tra­ta­men­to das diar­rei­as nes­se caso se baseia em cor­ri­gir suas con­sequên­ci­as (desi­dra­ta­ção, aci­do­se meta­bó­li­ca, dese­qui­lí­bri­os ele­tro­lí­ti­cos e balan­ço ener­gé­ti­co nega­ti­vo) e pode ser fei­to medi­an­te hidra­ta­ção oral/enteral ou parenteral.

Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 630, de abril 2017

Rolar para cima