Busca pela qualidade alimentou o IDEAS FOR MILK 2019 - Digital Balde Branco

Even­to reu­niu estu­dan­tes e pro­fis­si­o­nais de diver­sas áre­as da cadeia do lei­te, além de espe­ci­a­lis­tas do ramo de infor­ma­ção e tec­no­lo­gi­as digitais

LEI­TE 4.0

Bus­ca pela qua­li­da­de ali­men­tou o 

IDE­AS FOR MILK 2019

Desen­vol­ver uma solu­ção que cau­se alto impac­to para a soci­e­da­de, tenha tec­no­lo­gia e garan­ta mai­or efi­ci­ên­cia para o pro­du­tor e a indús­tria, sem com­pli­ca­ções. Pare­ce utó­pi­co? Não para as star­tups do leite

Flá­via Tonin

“Sabem quem é o mai­or pro­du­tor de lei­te do Bra­sil?”, ques­ti­o­nou o estu­dan­te de Medi­ci­na Vete­ri­ná­ria Sávio Filho, da Uni­ver­si­da­de Fede­ral de Viço­sa (UFV). “É a régua que mede o tan­que de lei­te!”, e tirou risos da audi­ên­cia ao expli­car que, pela pes­qui­sa que fize­ram, há um erro médio de um cen­tí­me­tro nas medi­ções rea­li­za­das antes da cap­ta­ção de lei­te. “Se extra­po­la­do este valor para o núme­ro de pro­du­to­res do País, com cer­te­za de um em um cen­tí­me­tro a régua é quem acu­mu­la a mai­or pro­du­ção lei­tei­ra”, expli­cou, ao defen­der sua ideia. Como alter­na­ti­va, ele e seus cole­gas da Volu­te­ch apre­sen­ta­ram equi­pa­men­to capaz de moni­to­rar os tan­ques de lei­te, for­ne­cen­do dados de medi­ção de volu­me e de temperatura.

Esta solu­ção, sim­ples e prá­ti­ca, base­a­da em um pro­ble­ma real do pro­du­tor, ven­ceu o Desa­fio de Star­tups, eta­pa final do Ide­as for Milk 2019, capi­ta­ne­a­do pela Embra­pa Gado de Lei­te, com empe­nho de seu che­fe-geral, Pau­lo do Car­mo Mar­tins, além de outras empre­sas do setor. O even­to foi rea­li­za­do no Cubo, em São Pau­lo, SP, no dia 22 de novem­bro, e con­tou com oito apre­sen­ta­ções de star­tups, den­tre as 58 inscritas.

Mais do que ele­ger uma ven­ce­do­ra, o lega­do do Ide­as for Milk está em moti­var a cola­bo­ra­ção entre os diver­sos elos da cadeia. No pal­co, cujo cená­rio repro­du­ziu uma sim­pá­ti­ca vaqui­nha com peças de lego, se apre­sen­ta­ram as star­tups e, do outro lado, na pla­teia, pro­fis­si­o­nais de diver­sas área da cadeia do lei­te dis­po­ní­veis o dia todo, para ava­li­ar e dar suges­tões com base em sua expe­ri­ên­cia. Eram exe­cu­ti­vos de lati­cí­ni­os de diver­sas regiões do Bra­sil e de gran­des empre­sas do setor. Pro­du­to­res que supe­ram as deze­nas de mil litros diá­ri­os. Dire­to­res de enti­da­des do lei­te e da agri­cul­tu­ra sus­ten­tá­vel; cien­tis­tas e edi­to­res das prin­ci­pais mídi­as do agro­ne­gó­cio, entre outros. “A Embra­pa é refe­rên­cia de conhe­ci­men­to e ela, asso­ci­a­da às star­tups, dão um show”, resu­miu René Macha­do, head de Milk­sour­cing da Nes­tlé Brasil.

Niti­da­men­te, em cada apre­sen­ta­ção, segui­da de per­gun­ta e res­pos­ta de todos os envol­vi­dos, se via a jun­ção da ino­va­ção com a expe­ri­ên­cia, como bem defi­niu Pau­lo do Car­mo Mar­tins na aber­tu­ra do even­to: “O Ide­as for Milk é fru­to de conhe­ci­men­to com quem tem cora­gem de cor­rer ris­cos”. E foi isso o que, mais uma vez, cons­ta­tou a equi­pe da revis­ta Bal­de Bran­co, que acom­pa­nha o even­to des­de o iní­cio, tan­to que foi um dos 12 par­cei­ros home­na­ge­a­dos pela orga­ni­za­ção. Para o pro­du­tor Mau­rí­cio Sil­vei­ra Coe­lho, da Fazen­da San­ta Luzia, pre­sen­te des­de o pri­mei­ro ano, “mais do que as solu­ções, o even­to é uma gran­de opor­tu­ni­da­de de incen­ti­var outras cabe­ças a pen­sa­rem no seg­men­to do leite”.

Equi­pe da Volu­te­ch, star­tup nas­ci­da no Par­que Tec­no­ló­gi­co de Viço­sa (MG)

Entre as pro­pos­tas apre­sen­ta­das, a mai­o­ria esta­va cen­tra­da na pre­o­cu­pa­ção com a qua­li­da­de do lei­te, refle­xo das INs 76 e 77, as quais fazem o setor cor­rer para se orga­ni­zar. “A pes­qui­sa já foi mui­to foca­da em pro­du­ti­vi­da­de, sobre a qual temos um vas­to conhe­ci­men­to. Hoje, a bai­xa qua­li­da­de é um pon­to de mai­or estran­gu­la­men­to, por isso acre­di­to que há mai­or deman­da por pro­je­tos”, ava­li­ou Mau­rí­cio Coe­lho, que tam­bém par­ti­ci­pou do gru­po de jura­dos. Para o tam­bém jura­do e pes­qui­sa­dor Iran José Oli­vei­ra da Sil­va, da Esalq/USP, de Pira­ci­ca­ba, “as pro­pos­tas estão em um nível mui­to alto e a tec­no­lo­gia asso­ci­a­da à sim­pli­ci­da­de pre­va­le­ceu na hora da esco­lha”, analisou.

E para o pro­du­tor? Quan­do a solu­ção che­ga ao cam­po? Há pro­je­tos mais estru­tu­ra­dos que já estão em fase de apli­ca­ção e outros são pro­tó­ti­pos, porém fica níti­do que há agi­li­da­de para que boas solu­ções che­guem ao cam­po. Os ven­ce­do­res da Volu­te­ch são um exem­plo, pois duran­te a apre­sen­ta­ção hou­ve quem se inte­res­sas­se pelo pro­je­to e, no pri­mei­ro dia útil seguin­te, já tinham rece­bi­dos liga­ções. “Foi real­men­te um divi­sor de águas”, comen­ta Sávio Filho, ain­da em meio ao assédio.

Pro­va des­sa agi­li­da­de foram as pro­pos­tas apre­sen­ta­das em anos ante­ri­o­res e que já estão no mer­ca­do. A Onfarm, por exem­plo, ini­ci­a­ti­va ven­ce­do­ra de 2018, tem atu­al­men­te 395 fazen­das em roti­nas de tes­te e mais de 35 mil vacas ana­li­sa­das. Con­ta, tam­bém, com um apor­te de inves­ti­men­tos, como rela­ta­mos em repor­ta­gem da edi­ção anterior.

Além dis­so, o pro­pó­si­to do Ide­as for MIlk rever­be­ra para fora da cadeia do lei­te. Nos mes­mos mol­des, em Cha­pe­có-SC, nas­ceu o Ino­va­Pork e Ino­va­A­vi, pela Embra­pa Suí­nos e Aves, além do Ide­as for Farm (Embra­pa Meio Nor­te) e Avan­ça Café (Embra­pa Café). O Ide­as for Milk é um pro­gra­ma ini­ci­a­do em 2016, em um for­ma­to com cara­va­nas que incen­ti­vam o tema nas uni­ver­si­da­des. Em segui­da, há o Vacathon, que é uma imer­são na Embra­pa Gado de Lei­te para que os par­ti­ci­pan­tes tenham con­ta­to com a cadeia pro­du­ti­va e cri­em suas pro­pos­tas, para, quan­do ama­du­re­ci­das, pos­sam tam­bém se ins­cre­ver no Desa­fio de Startups.

revista-balde-branco-homenagem-edicao-660

A revis­ta Bal­de Bran­co rece­be
home­na­gem da orga­ni­za­ção
do Ide­as for Milk

AS TRÊS STAR­TUPS VEN­CE­DO­RAS DE 2019

1º |  VOLU­TE­CH - Desen­vol­veu um equi­pa­men­to capaz de moni­to­rar tan­ques de arma­ze­na­men­to de lei­te, poden­do ser ins­ta­la­do em qual­quer tan­que do mer­ca­do. O sis­te­ma moni­to­ra o esta­do do equi­pa­men­to, for­ne­cen­do parâ­me­tros de seu fun­ci­o­na­men­to, como aci­o­na­men­to da refri­ge­ra­ção e do agi­ta­dor, detec­ção de aber­tu­ra da tam­pa e de nive­la­men­to, for­ne­cen­do tam­bém medi­ções de volu­me e da tem­pe­ra­tu­ra do lei­te em seu inte­ri­or. Os dados obti­dos são envi­a­dos para ser­vi­do­res que auto­ma­ti­ca­men­te os tra­tam e retor­nam infor­ma­ções impor­tan­tes para a logís­ti­ca e ges­tão de lati­cí­ni­os e fazen­das. (www.volutech.com.br)

2º | BIO­NE­XUS - Pla­ta­for­ma para moni­to­ra­men­to e ges­tão diá­ria da qua­li­da­de do lei­te. Com equi­pa­men­to móvel, as aná­li­ses dos indi­ca­do­res do lei­te podem ser efe­tu­a­das des­de a pro­pri­e­da­de até a recep­ção na indús­tria. Os dados ficam dis­po­ní­veis na nuvem, inte­gran­do pro­du­tor, indús­tria e con­sul­to­ria rural. (contato@bionexus.com.br)

3º | CRI­A­TE­CH - Tem por obje­ti­vo rea­li­zar o moni­to­ra­men­to diá­rio de bezer­ras e novi­lhas de for­ma ele­trô­ni­ca e volun­tá­ria, para que haja redu­ção na  ida­de ao pri­mei­ro par­to. Medir e pesar novi­lhas per­mi­te a com­pa­ra­ção do ani­mal com o padrão da raça ou com as metas esta­be­le­ci­das pela pro­pri­e­da­de, poden­do detec­tar pre­co­ce­men­te pro­ble­mas no pro­gra­ma de cri­a­ção, como doen­ças, die­tas des­ba­lan­ce­a­das, ins­ta­la­ções ou mane­jos ina­pro­pri­a­dos. (www.intergado.com.br)

ATEN­ÇÃO ÀS NOVAS DEMANDAS

“O con­su­mi­dor mudou e nós, do lei­te, pre­ci­sa­mos tra­ba­lhar com a lógi­ca do novo con­su­mi­dor”, afir­mou o che­fe-geral da Embra­pa Gado de Lei­te, Pau­lo do Car­mo Mar­tins, ao anun­ci­ar um novo tra­ba­lho den­tro do Ide­as for Milk, que é o reco­nhe­ci­men­to a quem já pen­sa em ino­va­ções na área de ali­men­tos, com foco na par­te final da cadeia. O obje­ti­vo é tam­bém incen­ti­var cri­a­ções que diver­si­fi­cam a ofer­ta de pro­du­tos ao con­su­mi­dor com base no lei­te. As empre­sas pre­mi­a­das foram:

Nes­tlé – Por ser a pri­mei­ra empre­sa a desen­vol­ver Sup­ply Chain Mana­ge­ment com foco na pro­du­ção orgâ­ni­ca em esca­la, em par­ce­ria com fazen­das orgâ­ni­cas certificadas.

Cotri­jal – Aces­so à tec­no­lo­gia 4.0 (IoT) ao pro­du­tor fami­li­ar e com isso aumen­tar a ren­ta­bi­li­da­de de pro­pri­e­da­des lei­tei­ras fami­li­a­res para moni­to­ra­men­to de animais.

Ver­de Cam­po – Pela pro­du­ção de lati­cí­ni­os sau­dá­veis sem con­ser­van­tes, aro­ma­ti­zan­tes e coran­tes arti­fi­ci­ais, com os pro­du­tos uti­li­zan­do lei­te fres­co rece­bi­do dia­ri­a­men­te por fazen­das certificadas.

Dano­ne – Por ser o pri­mei­ro iogur­te orgâ­ni­co infan­til, fei­to com ingre­di­en­tes de ori­gem 100% natu­ral, sem coran­tes, sem con­ser­van­tes e ado­ça­do com açú­car orgânico.

Let­ti – Por ser a pri­mei­ra linha de lei­tes pro­du­zi­dos exclu­si­va­men­te de vacas A2A2 sele­ci­o­na­das genomicamente. 

Betâ­nia – Pela bebi­da à base de iogur­te que não pre­ci­sa de refri­ge­ra­ção, geran­do impac­to na logís­ti­ca, por dis­pen­sar a cadeia de frio (Yogi & Leve), favo­re­cen­do a pra­ti­ci­da­de do consumidor. 

Tiro­lez – Lan­ça­men­to de um pro­du­to ino­va­dor no mer­ca­do, que visa cri­ar um valor dife­ren­ci­a­do ao quei­jo cot­ta­ge, ofe­re­cen­do um ali­men­to nutri­ti­vo (quei­jo cot­ta­ge com geleia de fruta)

Equi­pe da Esalq/USP e IF São Pau­lo con­quis­tou o 1º Lugar, com a solu­ção deno­mi­na­da Milcup

 

VACATHON
ESALQ/USP E IF SÃO PAU­LO SÃO AS VEN­CE­DO­RAS
Rubens Nei­va

“Além do Desa­fio de Star­tups, o Ide­as for Milk, rea­li­za­do pela Embra­pa Gado de Lei­te, con­tou com hac­kathon, uma mara­to­na de pro­gra­ma­ção que reu­niu cer­ca de 100 estu­dan­tes de 25 ins­ti­tui­ções de ensi­no de vári­as par­tes do Bra­sil. Com nome de “Vacathon”, o obje­ti­vo foi pro­por solu­ções para os gran­des desa­fi­os da pecuá­ria de lei­te naci­o­nal. Os estu­dan­tes fica­ram uma sema­na acam­pa­dos na sede da Embra­pa Gado de Lei­te, em Juiz de Fora-MG. Nes­te perío­do, visi­ta­ram o cam­po expe­ri­men­tal da ins­ti­tui­ção, conhe­ce­ram a indús­tria de lati­cí­ni­os da Epa­mig (Ins­ti­tu­to de Lati­cí­ni­os Cân­di­do Tos­tes) e rece­be­ram men­to­ria de pes­qui­sa­do­res e ana­lis­tas da Embra­pa.
A apre­sen­ta­ção das solu­ções pro­pos­tas pelos estu­dan­tes ocor­reu no dia pri­mei­ro de novem­bro. A equi­pe ven­ce­do­ra foi for­ma­da por estu­dan­tes da Esalq/USP e IF São Pau­lo. Eles apre­sen­ta­ram a solu­ção deno­mi­na­da Mil­cup – uma cane­ca com sen­so­res ele­trô­ni­cos que faz a aná­li­se de mas­ti­te na pro­pri­e­da­de em tem­po real. A solu­ção é com­pos­ta de um apli­ca­ti­vo que reú­ne todos os dados ao lon­go do tem­po para que o mane­jo das vacas seja fei­to de for­ma assertiva.

Outras equi­pes que fecha­ram as cin­co pri­mei­ras colo­ca­ções foram

IF Sudes­te — Cam­pus Juiz de Fora (MG)

Apre­sen­tou a solu­ção Eletromilk

Sis­te­ma que bus­ca a efi­ci­ên­cia ener­gé­ti­ca, oti­mi­zan­do a enge­nha­ria de pro­ces­sos das pro­pri­e­da­des para fins de eco­no­mia de ener­gia elé­tri­ca, sus­ten­ta­bi­li­da­de e mai­or qua­li­da­de do leite.

 

Uni­ver­si­da­de Esta­du­al de Goi­â­nia — UEG (GO)

Apre­sen­tou a solu­ção Nutrimilk

Apli­ca­ti­vo que oti­mi­za o uso de con­cen­tra­do em reba­nhos de peque­nas e médi­as pro­pri­e­da­des, a fim de redu­zir cus­tos e aumen­tar a mar­gem de lucro.

 

PUC Minas — Belo Hori­zon­te (MG)

Apre­sen­tou a solu­ção Muu Bank

Pri­mei­ro ban­co digi­tal da cadeia do lei­te. Uti­li­za uma crip­to­mo­e­da, a bit­muu, que equi­va­le ao valor real de um litro de lei­te. O pro­du­tor pode­rá ante­ci­par seus rece­bí­veis e ganhar em bitmuu.

 

Uni­ver­si­da­de Fede­ral de San­ta Maria — UFSM (RS)

Apre­sen­tou a solu­ção Zeitt

Dis­po­si­ti­vo por­tá­til que faz aná­li­se da qua­li­da­de do lei­te na propriedade.

O Ide­as for Milk

é um even­to cri­a­do pela Embra­pa Gado de Lei­te com a pro­pos­ta de fomen­tar um ecos­sis­te­ma, reu­nin­do empre­sas, uni­ver­si­da­des, pes­qui­sa agro­pe­cuá­ria e setor produtivo. 

 O obje­ti­vo é que os estu­dan­tes tenham con­ta­to com a ati­vi­da­de rural e cri­em star­tups vol­ta­das para os pro­ble­mas da pro­du­ção leiteira. 

Segun­do o che­fe de Trans­fe­rên­cia e Tec­no­lo­gia da Embra­pa Gado de Lei­te, Bru­no Car­va­lho, “as star­tups vol­ta­das para o agro­ne­gó­cio (agte­chs) cha­mam aten­ção de inves­ti­do­res, pois esse é um mer­ca­do de bai­xa con­cor­rên­cia, que gera mui­ta riqueza”.

 
Rolar para cima