Carrapatos nas propriedades: desafio permanente - Digital Balde Branco

Na mai­or par­te do ter­ri­tó­rio naci­o­nal, as fazen­das, prin­ci­pal­men­te as de cri­a­ção de raças mais sen­sí­veis, como reba­nho lei­tei­ro, tau­ri­no ou mes­ti­ço, pre­ci­sam con­vi­ver com para­si­tas duran­te todo o ano

Por Ingo Mel­lo e Fran­cis­co de Pau­la Jar­dim Alves Branco

Com o mai­or reba­nho bovi­no pro­du­ti­vo do mun­do, com mais de 214 milhões de cabe­ças (IBGE 2018), o Bra­sil tam­bém é pro­ta­go­nis­ta em con­di­ções ambi­en­tais favo­rá­veis à pre­sen­ça de para­si­tas, que cau­sam pre­juí­zos sani­tá­ri­os e econô­mi­cos: tem gran­des áre­as tro­pi­cais e sub­tro­pi­cais e cli­ma quen­te e úmido.

O des­ta­que den­tre os para­si­tas, segun­do 53% dos cri­a­do­res bra­si­lei­ros de gado, é o car­ra­pa­to bovi­no Rhi­pi­cepha­lus (Boophi­lus) micro­plus. É o que mais pre­o­cu­pa nos sis­te­mas de criação,
sen­do con­si­de­ra­do um dos ecto­pa­ra­si­tas de mai­or impor­tân­cia econô­mi­ca na pecuária.

Em decor­rên­cia do para­si­tis­mo pelo car­ra­pa­to Rhi­pi­cepha­lus (Boophi­lus) micro­plus, os pro­du­to­res sofrem pre­juí­zos dire­tos devi­do à per­da de peso dos bovi­nos, bai­xa pro­du­ção de lei­te, falhas repro­du­ti­vas, lesões na pele (o que favo­re­ce a ocor­rên­cia de miía­ses e dimi­nui a qua­li­da­de do cou­ro) e trans­mis­são de pató­ge­nos (Babe­sia bovis, Babe­sia bige­mi­na e por Ana­plas­ma mar­gi­na­le). Como des­pe­sas indi­re­tas são con­ta­bi­li­za­dos os gas­tos com medi­ca­men­tos e mão de obra, além do ris­co de per­der espa­ço no mer­ca­do exter­no por bar­rei­ras sanitárias.

Os danos cau­sa­dos por ecto e endo­pa­ra­si­tos foram con­ta­bi­li­za­dos em US$ 13,96 bilhões/ano no Bra­sil. Somen­te os cus­tos para o con­tro­le do car­ra­pa­to Rhi­pi­cepha­lus (Boophi­lus) micro­plus foram de US$ 3,24 bilhões/ano; con­ver­ti­do para a moe­da naci­o­nal, o rom­bo é de cer­ca de R$ 12 bilhões.

A redu­ção pro­du­ti­va por infes­ta­ções no reba­nho lei­tei­ro pode che­gar a 3%, o que repre­sen­ta uma dimi­nui­ção de até 90,24 litros por vaca em lac­ta­ção. No total, as per­das che­gam a R$ 3,4 bilhões por ano. Quan­to mais espe­ci­a­li­za­da e pro­du­ti­va a vaca for, mais ela sen­ti­rá os danos das infes­ta­ções por carrapatos.

—————————–
Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 650, de feve­rei­ro 2019

Rolar para cima