Cartas - Digital Balde Branco

CARTAS

Sou filho de um produtor de leite, que me incumbiu a tarefa de criar as bezerras. Por tal razão, solicito algumas instruções sobre manejo e nutrição para essa categoria de animal. João Marcos Sartori

O mane­jo de bezer­ras é um impor­tan­te fun­da­men­to den­tro de uma pro­pri­e­da­de lei­tei­ra. Há tan­tas con­si­de­ra­ções a serem leva­das em con­ta que não cabe­ria tra­tar nes­sa seção. No entan­to, cita­mos a seguir algu­mas dicas publi­ca­das pela pes­qui­sa­do­ra da Embra­pa Gado de Lei­te, Rosân­ge­la Zoc­cal, des­ta­can­do as prin­ci­pais, que estão na base da saú­de das bezerras: 

- A bezer­ra deve mamar o colos­tro até seis horas após o par­to, para adqui­rir pro­te­ção con­tra doen­ças nas pri­mei­ras sema­nas de vida; 

-Tam­bém fun­da­men­tal, de ime­di­a­to, é cura do umbi­go, com solu­ção de iodo, e depois dia­ri­a­men­te, segun­do ori­en­ta­ção do médi­co vete­ri­ná­rio, até que o coto este­ja seco; 

- Bezer­ras em alei­ta­men­to devem ter à dis­po­si­ção des­de os pri­mei­ros dias de vida con­cen­tra­do de boa qua­li­da­de. Quan­to mais rápi­do ela come­çar a inge­rir ali­men­tos sóli­dos, mais rápi­do ele se tor­na­rá um ruminante; 

- Nos dois pri­mei­ros meses de vida, lei­te e con­cen­tra­do são os ali­men­tos mais impor­tan­tes para a nutri­ção das bezerras; 

- O lei­te natu­ral pode ser subs­ti­tuí­do por suce­dâ­ne­os de lei­te, que é uma mis­tu­ra comer­ci­al que con­tém pro­du­tos de ori­gem vege­tal e animal. 

- A ins­ta­la­ção para bezer­ras deve ser de bai­xo cus­to, mui­to bem lim­pa, ofe­re­cer con­for­to para os ani­mais e faci­li­tar o manejo. 

Necessito de duas informações de suma importância. A primeira: seria interessante eu colocar um touro Pardo-Suíço no meu pequeno rebanho formado por um gado com forte sangue Holandês, em torno de ¾ sangue? Segunda: estamos planejando fazer uma praça de alimentação para o rebanho. Então, qual seria o tamanho ideal deste curral para aproximadamente 30 vacas? João Henrique Veloso Cunha Arcos, MG

Sobre a pri­mei­ra per­gun­ta, se a inten­ção for melho­rar a pro­du­ção de lei­te, os pes­qui­sa­do­res da área de melho­ra­men­to gené­ti­co da Embra­pa Gado de Lei­te não veem van­ta­gens em intro­du­zir o tou­ro Par­do-Suí­ço no reba­nho. O Par­do-Suí­ço vai aumen­tar o tama­nho do reba­nho, sem con­sequên­ci­as para a pro­du­ção de leite. 

Ani­mais de mai­or por­te podem ser até pre­ju­di­ci­ais em ter­mos de pro­du­ti­vi­da­de, pois a ener­gia cana­li­za­da para a manu­ten­ção do bovi­no é mai­or. Os pes­qui­sa­do­res afir­mam que se o pro­du­tor quer inter­fe­rir na gené­ti­ca do reba­nho o melhor seria a intro­du­zir um tou­ro Jer­sey. Uma das carac­te­rís­ti­cas da raça Jer­sey é seu tama­nho redu­zi­do, o que pos­si­bi­li­ta mai­or quan­ti­da­de de ani­mais por área. Além dis­so, o lei­te da vaca Jer­sey pos­sui mai­or teor de sóli­dos totais no lei­te, uma carac­te­rís­ti­ca mui­to valo­ri­za­da pelos lati­cí­ni­os. Outras van­ta­gens para o pro­du­tor são a melho­ria da efi­ci­ên­cia pro­du­ti­va, com menor inter­va­lo entre par­tos e menor ida­de ao pri­mei­ro parto. 

A res­pei­to da “pra­ça de ali­men­ta­ção”, o mais reco­men­dá­vel é que o pro­du­tor con­tra­te um téc­ni­co para rea­li­zar o pro­je­to. Conhe­cen­do in loco as carac­te­rís­ti­cas da fazen­da, a área pode­rá ser mais bem aproveitada 

Rolar para cima