Chile: importações de lácteos batem recorde - Digital Balde Branco

Até maio últi­mo, foi regis­tra­do um aumen­to de 78% nas impor­ta­ções de pro­du­tos lác­te­os do Chi­le, que alcan­ça­ram qua­se US$ 140 milhões. Em litros equi­va­len­te, as impor­ta­ções atin­gi­ram cer­ca de 340 milhões de litros, o que repre­sen­ta um aumen­to de 69% em rela­ção ao volu­me impor­ta­do nos pri­mei­ros cin­co meses de 2016, de acor­do com o site Fedeleche.com.

Os mai­o­res aumen­tos nas impor­ta­ções de lác­te­os ocor­re­ram no setor de quei­jos, cujo volu­me aumen­tou 79%, para 19.895 t duran­te os pri­mei­ros cin­co meses de 2017. Os des­ta­ques inclu­em cer­ca de 25% do volu­me impor­ta­do de quei­jos de ori­gem neo­ze­lan­de­sa, com 4.926 t e uma expan­são de qua­se 250%. Volu­mes sig­ni­fi­ca­ti­vos tam­bém foram pro­ve­ni­en­tes dos EUA (3.691 t, 18,6% das impor­ta­ções totais até a data).

Da mes­ma for­ma, aumen­tou a impor­ta­ção de lei­te em pó, em par­ti­cu­lar, de lei­te inte­gral, atin­gin­do 12.385 t (125 milhões de litros equi­va­len­tes, 60% a mais do que no ano ante­ri­or). A Nova Zelân­dia, com cer­ca de 4.500 t, é o segun­do mai­or for­ne­ce­dor, depois ape­nas dos Esta­dos Uni­dos, com mais de 5.500 t e qua­se 45% das impor­ta­ções des­te pro­du­to até ago­ra. Em segui­da estão os paí­ses da União Euro­peia, Argen­ti­na e Uruguai.

Rolar para cima