CNA prova que nunca é tarde para aprender - Digital Balde Branco

O últi­mo levan­ta­men­to rea­li­za­do pelo IBGE – Ins­ti­tu­to Bra­si­lei­ro de Geo­gra­fia e Esta­tís­ti­ca reve­la que o seg­men­to popu­la­ci­o­nal que mais tem aumen­ta­do é o de ido­sos, com uma média de 4% ao ano. A esti­ma­ti­va é que esse públi­co ultra­pas­se 40 milhões de pes­so­as em todo Bra­sil até 2030. Exem­plos de pes­so­as com mais de 65 anos pro­ve­do­ras da famí­lia aumen­tam na mes­ma pro­por­ção, segun­do a CNA-Con­fe­de­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria do Brasil.

No muni­cí­pio de Nova Andra­di­na-SP, por exem­plo, vive uma tra­ba­lha­do­ra incan­sá­vel e bem-humo­ra­da. Lur­des Bar­bo­sa Cha­ves, com 86 anos, que se dedi­ca à pecuá­ria lei­tei­ra no assen­ta­men­to San­ta Olga. Ela é con­si­de­ra­da uma das alu­nas mais ani­ma­das nas capa­ci­ta­ções pro­mo­vi­das pelo Senar-MS.  “Moro aqui há 10 anos e des­de que rece­be­mos o con­vi­te do sin­di­ca­to rural para par­ti­ci­par dos cur­sos eu não parei mais. Gos­to de apren­der e fiz todos na área de lei­te, coo­pe­ra­ti­vis­mo e até infor­má­ti­ca”, detalha.

De janei­ro a setem­bro des­te ano, o Sin­di­ca­to Rural de Nova Andra­di­na pro­mo­veu 26 tur­mas e aten­deu 302 pes­so­as, além dos aten­di­men­tos de ATeG – Assis­tên­cia Téc­ni­ca e Geren­ci­al nos pro­gra­mas Mais Lei­te e Hor­ti­fru­ti Legal. Na ava­li­a­ção do pre­si­den­te, Hemer­son Isra­el dos San­tos, a atu­a­ção do Senar/MS no muni­cí­pio cres­ceu expres­si­va­men­te no últi­mo ano e deve aumen­tar ain­da mais.

“É gra­ti­fi­can­te par­ti­ci­par do desen­vol­vi­men­to des­tas famí­li­as e nos apro­xi­mar­mos de toda comu­ni­da­de. Pos­so resu­mir que a ins­ti­tui­ção está fazen­do a dife­ren­ça e esta­mos tra­ba­lhan­do para dobrar e até tri­pli­car os resul­ta­dos con­quis­ta­dos”, obser­va e lem­bra a his­tó­ria de dona Lur­des: “Esta senho­ra é exem­plo de for­ça de von­ta­de tem uma dis­po­si­ção con­ta­gi­an­te, a qual pude acom­pa­nhar no cur­so de Apli­ca­ção de Medi­ca­men­tos em Bovi­nos”, acrescenta.

A pro­du­to­ra fami­li­ar con­ta que um dos netos aju­da na lida, mas, que pro­cu­ra par­ti­ci­par de todas as tare­fas. “Sou coo­pe­ra­da e a pro­du­ção de lei­te é ven­di­da para as esco­las do muni­cí­pio, por inter­mé­dio do pro­gra­ma Pnae – Pro­gra­ma Naci­o­nal de Ali­men­ta­ção Esco­lar. Mui­tos jovens aca­ba­ram sain­do da área rural para tra­ba­lhar na cida­de e por isso, incen­ti­va­mos as cri­an­ças da nos­sa comu­ni­da­de a estu­da­rem mais e per­ma­ne­ce­rem tra­ba­lhan­do com a famí­lia”, obser­va Lurdes.

Ela afir­ma que o Senar/MS pos­si­bi­li­tou uma mudan­ça de ati­tu­de com rela­ção à ati­vi­da­de rural e com­ple­men­ta: “A vida da gen­te é um eter­no apren­di­za­do, nun­ca sabe­mos de tudo então. Enquan­to eu tiver saú­de e dis­po­si­ção vou bus­car atu­a­li­za­ção e conhe­ci­men­to”, fina­li­za. Sua for­ma­ção hoje está dire­ta­men­te liga­da ao Sis­te­ma Fama­sul (Fede­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria de MS), um con­jun­to de enti­da­des que dão supor­te para o desen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel do agro­ne­gó­cio e repre­sen­tam os inte­res­ses dos pro­du­to­res rurais do Esta­do. do Sul. Tal sis­te­ma é uma das 27 enti­da­des sin­di­cais que inte­gram a CNA.

Rolar para cima