Conaprole quer vender mais para Brasil e Argentina - Digital Balde Branco

“Temos a expec­ta­ti­va de que have­rá uma deman­da por lác­te­os bas­tan­te fir­me do Bra­sil e da Argen­ti­na, onde a Conaprole
está tra­ba­lhan­do duro nes­sa dire­ção”, dis­se o novo pre­si­den­te da ANPL-Asso­ci­a­ção Naci­o­nal de Pro­du­to­res de Lei­te e ex-dire­tor da coo­pe­ra­ti­va uru­guaia, Wil­son Cabrera.

Em recen­te visi­ta ao Bra­sil, obser­vou que o lei­te é noto­ri­a­men­te escas­so, enquan­to a coo­pe­ra­ti­va tra­ba­lha muito
bem para pro­mo­ver uma linha for­te de colo­ca­ção nos paí­ses vizi­nhos. Cabre­ra expli­cou que no setor de lác­te­os se observa
uma recu­pe­ra­ção da ati­vi­da­de econô­mi­ca, embo­ra com altos e bai­xos, segun­do o site El Observador.

À fren­te da ANPL, dis­se que um dos obje­ti­vos será defen­der a mar­gem do pre­ço do lei­te rece­bi­do pelos produtores
e res­sal­tou que é um tra­ba­lho sin­di­cal de defe­sa e que deve ser fei­to entre todos os sin­di­ca­tos. Em sua ava­li­a­ção, as mar­gens alcan­ça­das pelas fazen­das lei­tei­ras hoje, com um pre­ço por litro de lei­te de US$ 0,34 a US$ 0,35 – e um cus­to de pro­du­ção de US $ 0,30 por litro – demons­tram que exis­te uma ren­ta­bi­li­da­de positiva.

Rolar para cima