Conseleites indicam o valor de referência do litro de leite - Digital Balde Branco

ECONOMIA

Conseleites indicam o valor de referência do litro de leite

A seguir, as publi­ca­ções do valor de refe­rên­cia do litro de lei­te entre­gue em feve­rei­ro de 2022, para ser pago em mar­ço de 2022, divul­ga­das pelos Con­se­lei­tes, por meio de suas asses­so­ri­as de imprensa:

 Con­se­lei­te-PR  A dire­to­ria do Con­se­lei­te-PR, reu­ni­da no dia 22 de feve­rei­ro de 2022, divul­gou os valo­res de refe­rên­cia para a maté­ria-pri­ma lei­te rea­li­za­dos em janei­ro e a pro­je­ção dos valo­res de refe­rên­cia para o mês de feve­rei­ro de 2022, cal­cu­la­dos por meto­do­lo­gia defi­ni­da pelo Con­se­lei­te-PR, a par­tir dos pre­ços médi­os e do mix de comer­ci­a­li­za­ção dos deri­va­dos lác­te­os pra­ti­ca­dos pelas empre­sas par­ti­ci­pan­tes. O lei­te padrão teve seu valor pro­je­ta­do em R$ 1,8476 (3,71% sobre jan.2022), para ser pago em mar­ço de 2022. Para o lei­te pas­teu­ri­za­do, o valor pro­je­ta­do para o mês de feve­rei­ro é de R$ 3,3560/litro.

Os valo­res de refe­rên­cia indi­ca­dos nes­ta reso­lu­ção para a maté­ria-pri­ma lei­te, deno­mi­na­da “Lei­te Padrão”, se refe­rem ao lei­te ana­li­sa­do que con­tém 3,5% de gor­du­ra, 3,1% de pro­teí­na, 500 mil célu­las somáticas/ml e 300 mil UFC/ml de con­ta­gem bacteriana. 

Visan­do apoi­ar polí­ti­cas de paga­men­to da maté­ria-pri­ma lei­te con­for­me a qua­li­da­de, o Con­se­lei­te-PR dis­po­ni­bi­li­za um simu­la­dor para o cál­cu­lo de valo­res de refe­rên­cia para o lei­te ana­li­sa­do em fun­ção de seus teo­res de gor­du­ra, pro­teí­na, con­ta­gem de célu­las somá­ti­cas e con­ta­gem bac­te­ri­a­na. O simu­la­dor está dis­po­ní­vel no ende­re­ço ele­trô­ni­co www.conseleitepr.com.br.

Após que­das con­tí­nu­as regis­tra­das no segun­do semes­tre de 2021, o setor de lác­te­os do Para­ná come­çou a apre­sen­tar indí­ci­os de recu­pe­ra­ção nos dois pri­mei­ros meses des­te ano. Na par­ci­al de feve­rei­ro afe­ri­da pelo Con­se­lei­te-PR, a alta foi gene­ra­li­za­da: de 14 pro­du­tos, ape­nas um teve que­da sig­ni­fi­ca­ti­va. Con­si­de­ra­do o “termô­me­tro” do com­por­ta­men­to do mer­ca­do, o lei­te spot foi o que mais ganhou pre­ço na par­ci­al de feve­rei­ro, subin­do 6,3%. A muça­re­la – pro­du­to que repre­sen­ta qua­se 46% do mix de comer­ci­a­li­za­ção de lác­te­os no Para­ná – teve alta de 4,4%, con­tri­buin­do para a recu­pe­ra­ção do setor. O lei­te UHT e o quei­jo pra­to, que tam­bém estão entre os itens mais comer­ci­a­li­za­dos, tive­ram vari­a­ção posi­ti­va de 2,8% e 3,2%, respectivamente.

Na ces­ta de comer­ci­a­li­za­ção, o des­ta­que foi o UHT, que ganhou espa­ço, che­gan­do a repre­sen­tar 28,2% do mix. Ain­da assim, a muça­re­la per­ma­ne­ce como prin­ci­pal pro­du­to, cor­res­pon­den­do a 45,9% do total de lác­te­os comer­ci­a­li­za­do pelas indús­tri­as do Esta­do. Um dos res­pon­sá­veis pelo levan­ta­men­to, o pro­fes­sor José Rober­to Can­zi­a­ni, da Uni­ver­si­da­de Fede­ral do Para­ná (UFPR), res­sal­ta que a ten­dên­cia é de que o mer­ca­do siga aque­ci­do ao lon­go dos pró­xi­mos meses.

“His­to­ri­ca­men­te, esta­mos em um perío­do em que a pro­du­ção é menor. A menor ofer­ta deve dar sus­ten­ta­ção aos pre­ços. Eu ouso dizer que esse movi­men­to de alta deve per­ma­ne­cer pelo menos duran­te este semes­tre”, dis­se Can­zi­a­ni. “Não temos nenhum deri­va­do em ten­dên­cia de bai­xa. O avião, que tinha pou­sa­do no fim do ano pas­sa­do, deco­lou”, acrescentou.

Vice-pre­si­den­te do Con­se­lei­te e repre­sen­tan­te da Faep no cole­gi­a­do, Ronei Vol­pi, res­sal­va, no entan­to, que a ten­dên­cia é de que os cus­tos de pro­du­ção da ati­vi­da­de con­ti­nu­em a pres­si­o­nar os pro­du­to­res. “Con­ti­nu­a­mos em um momen­to que pede mui­ta cau­te­la. Os pre­ços dos grãos seguem em alta no mer­ca­do inter­na­ci­o­nal. De outro lado, temos uma série de incer­te­zas que tam­bém deman­dam que tenha­mos pé no chão”, disse.

 Con­se­lei­te-SC  A dire­to­ria do Con­se­lei­te San­ta Cata­ri­na, reu­ni­da no dia 25 de feve­rei­ro de 2022, divul­gou os valo­res de refe­rên­cia da maté­ria-pri­ma lei­te, rea­li­za­dos no mês de janei­ro de 2022, e a pro­je­ção dos valo­res de refe­rên­cia para o mês de feve­rei­ro de 2022. Esses valo­res com­pre­en­dem os pre­ços de refe­rên­cia para o lei­te padrão, bem como o mai­or e menor valor de refe­rên­cia, de acor­do com os parâ­me­tros de ágio e desá­gio em rela­ção ao lei­te padrão, cal­cu­la­dos segun­do meto­do­lo­gia defi­ni­da pelo Conseleite-SC. 

O lei­te padrão entre­gue em feve­rei­ro de 2022 e a ser pago em mar­ço 2022: I– Lei­te aci­ma do padrão (mai­or valor de refe­rên­cia): R$ 2,0940; II – Lei­te padrão (pre­ço de refe­rên­cia): R$ 1,7024; III – Lei­te abai­xo do padrão (menor valor de refe­rên­cia): R$ 1,5763 (valo­res, em R$/litro, para o lei­te pos­to pro­pri­e­da­de com 1,5% de Fun­ru­ral incluso).

O lei­te padrão é aque­le que con­tém entre 3,5% e 3,59% de gor­du­ra, entre 3,11% e 3,15% de pro­teí­na, entre 450 mil e 499 mil célu­las somáticas/ml e 251 mil a 300 mil UFC/ml de con­ta­gem bac­te­ri­a­na e volu­me indi­vi­du­al entre­gue de até 50 litros/dia. O Con­se­lei­te-SC não pre­ci­fi­ca lei­tes com qua­li­da­des infe­ri­o­res ao lei­te abai­xo do padrão.

 Con­se­lei­te-MG  A dire­to­ria do Con­se­lei­te Minas Gerais, reu­ni­da no dia 16 de janei­ro de 2022, de acor­do com meto­do­lo­gia defi­ni­da pela ins­ti­tui­ção, que con­si­de­ra os pre­ços médi­os e o mix de comer­ci­a­li­za­ção dos deri­va­dos lác­te­os pra­ti­ca­dos pelas empre­sas par­ti­ci­pan­tes, divul­gou os valo­res de refe­rên­cia pro­je­ta­dos do lei­te padrão para o mai­or e menor valor de refe­rên­cia para o pro­du­to entre­gue em fevereiro/2022 a ser pago em março/2022. Assim, I – Lei­te aci­ma do padrão (mai­or valor de refe­rên­cia): R$ 2,2061; II – Lei­te padrão (pre­ço de refe­rên­cia): R$ 1,7509; III – Lei­te abai­xo do padrão (menor valor de refe­rên­cia): R$ 1,6212 (valo­res, em R$/litro, para o lei­te pos­to pro­pri­e­da­de com 1,5% de Fun­ru­ral incluso).

Os valo­res de refe­rên­cia indi­ca­dos nes­ta reso­lu­ção para a maté­ria-pri­ma lei­te deno­mi­na­da “Lei­te Padrão” se refe­rem ao lei­te ana­li­sa­do que con­tém 3,3% de gor­du­ra, 3,1% de pro­teí­na, 400 mil célu­las somáticas/ml, 100 mil UFC/ml de con­ta­gem bac­te­ri­a­na e pro­du­ção indi­vi­du­al diá­ria de até 160 litros/dia.

O Con­se­lei­te-MG gera mais valo­res do que ape­nas o do lei­te padrão, mai­or e menor valor de refe­rên­cia, a par­tir de uma esca­la de ági­os e desá­gi­os por parâ­me­tros de qua­li­da­de e ágio pelo volu­me de pro­du­ção diá­rio indi­vi­du­al, apre­sen­ta­dos na tabe­la acima. 

Visan­do apoi­ar polí­ti­cas de paga­men­to da maté­ria-pri­ma lei­te con­for­me a qua­li­da­de e o volu­me, o Con­se­lei­te-MG ofe­re­ce um simu­la­dor para o cál­cu­lo de valo­res de refe­rên­cia para o lei­te ana­li­sa­do em fun­ção de seus teo­res de gor­du­ra, pro­teí­na, con­ta­gem de célu­las somá­ti­cas, con­ta­gem bac­te­ri­a­na e pela pro­du­ção indi­vi­du­al diá­ria. O simu­la­dor está dis­po­ní­vel no seguin­te ende­re­ço ele­trô­ni­co: www.conseleitemg.org.br.