Consultorias que fazem a diferença para os produtores de leite - Digital Balde Branco
revista-balde-branco-consultoria-01-ed677

Com orientação técnica especializada, a produção segue por caminhos seguros que o levam ao sucesso naatividade leiteira

COWTECH

Consultorias

que fazem a diferença para os produtores de leite

Prestação de serviço a nossos leitores: vamos apresentar, numa série de reportagens, o perfil de consultorias especializadas, que vêm contribuindo com sua orientação para o incremento da produção leiteira nacional

Erick Henrique

A bovi­no­cul­tu­ra lei­tei­ra bra­si­lei­ra ain­da neces­si­ta de uma gene­ro­sa dose de pro­fis­si­o­na­li­za­ção. Só para ilus­trar, no Esta­do de Goiás, o quar­to mai­or pro­du­tor de lei­te do País, segun­do dados do IBGE, ape­nas 20% das pro­pri­e­da­des con­tra­tam algum tipo de assis­tên­cia téc­ni­ca. Em mai­or ou menor grau, essa situ­a­ção de défi­cit quan­to ao núme­ro de pro­du­to­res que con­tam com ori­en­ta­ção téc­ni­ca espe­ci­a­li­za­da ocor­re tam­bém em baci­as lei­tei­ras espa­lha­das por todas as regiões. Esse, con­for­me ates­tam espe­ci­a­lis­tas, é um dos prin­ci­pais moti­vos do bai­xo desem­pe­nho pro­du­ti­vo e da qua­li­da­de do lei­te, que se refle­te numa min­gua­da mar­gem de ren­da dos produtores.

Tal situ­a­ção, segun­do o médi­co vete­ri­ná­rio e dire­tor téc­ni­co da Cow­te­ch, Mar­co Antô­nio Pádua Car­va­lho, é devi­da em boa par­te a  pro­du­to­res que ain­da enca­ram a assis­tên­cia téc­ni­ca como cus­to e não como inves­ti­men­to, pois acre­di­tam que um téc­ni­co não pode agre­gar valor ao seu negó­cio. “Aliás, vale dizer, gran­de par­te des­sa ‘visão/atitude’ é decor­ren­te de insa­tis­fa­ção do pro­du­tor pro­vo­ca­da por mode­los de asses­so­ria ou con­sul­to­ria do pas­sa­do que não con­se­gui­ram trans­mi­tir, na prá­ti­ca, os bene­fí­ci­os e o valor da ori­en­ta­ção téc­ni­ca espe­ci­a­li­za­da a seus cli­en­tes”,  ava­lia  ele, que tem MBA em Ges­tão Empre­sa­ri­al pela FGV, espe­ci­a­li­za­ção em Ges­tão de Fazen­das Lei­tei­ras pela Esalq-USP e é  con­sul­tor asso­ci­a­do do pro­gra­ma MDA da Clí­ni­ca do Leite. 

No seu enten­der, mui­tos des­ses mode­los de assis­tên­cia do pas­sa­do ape­nas rea­li­za­vam alguns tra­ba­lhos, como exa­mes, prin­ci­pal­men­te de tuber­cu­lo­se e bru­ce­lo­se, ou estri­ta­men­te de assis­tên­cia clí­ni­ca. E hoje as con­sul­to­ri­as pre­ci­sam ser foca­das na pre­ven­ção de enfer­mi­da­des. “A pre­ven­ção é fun­da­men­tal e, jun­ta­men­te com ela, vem o pla­ne­ja­men­to de negó­ci­os. Assim, a figu­ra dos con­sul­to­res espe­ci­a­lis­tas em cada área tomou o lugar daque­le téc­ni­co do mode­lo gene­ra­lis­ta. Ou seja, ago­ra o con­sul­tor tem uma boa atu­a­li­za­ção téc­ni­ca e conhe­ce a pro­du­ção de lei­te de uma fazen­da como um todo. Des­sa for­ma, as fazen­das pre­ci­sam enten­der melhor o papel do con­sul­tor e o con­sul­tor o seu papel nas pro­pri­e­da­des, assim um pode­rá aju­dar o outro”, expli­ca Carvalho.

 

Marco Antonio Carvalho: “Entre os principais pilares da boa gestão na propriedade está garantir alimento de qualidade para os animais”

De acor­do com o con­sul­tor, a Cow­te­ch sur­giu da neces­si­da­de des­se novo mode­lo de tra­ba­lho, base­a­do na ciên­cia, na tec­no­lo­gia e em expe­ri­ên­ci­as a cam­po con­sis­ten­tes, face ao fato de as fazen­das pre­ci­sa­rem melho­rar o seu desem­pe­nho na ges­tão, na pro­du­ti­vi­da­de e no aumen­to de esca­la, e, cla­ro, serem ren­tá­veis. Isso sig­ni­fi­ca raci­o­na­li­za­ção de cus­tos e das ope­ra­ções, ani­mais de padrão gené­ti­co supe­ri­or na pro­du­ção de lei­te, nutri­ção ade­qua­da, mane­jo sani­tá­rio e repro­du­ti­vo efi­ci­en­te, e domí­nio da pro­du­ção de ali­men­tos de qua­li­da­de para garan­tir a die­ta cor­re­ta o ano todo. Esses são os ali­cer­ces para as pro­pri­e­da­des se pro­fis­si­o­na­li­za­rem rapi­da­men­te e, as que não con­se­gui­rem, prin­ci­pal­men­te na ges­tão, fica­rão para trás e vão dei­xar a ati­vi­da­de. “A nos­sa mis­são é aju­dar os pro­du­to­res rurais a se tor­na­rem pro­fis­si­o­nais em seus negó­ci­os, sen­do o nos­so mai­or pro­pó­si­to con­tri­buir com a melho­ria cons­tan­te dos resul­ta­dos de nos­sos cli­en­tes. A equi­pe geren­ci­al da Cow­te­ch é for­ma­da por qua­tro dire­to­res téc­ni­cos (Mar­co Antô­nio Car­va­lho, Pau­lo Stac­chi­ni, João Pau­lo San­tos e Leo­nar­do Dan­tas), cada um diri­gin­do uma área de con­cen­tra­ção, por isso a mul­ti­dis­ci­pli­na­ri­da­de da empre­sa”, infor­ma o médi­co veterinário.

Atu­al­men­te, a con­sul­to­ria con­se­gue aten­der a qual­quer tipo de deman­da téc­ni­ca e geren­ci­al dos pro­du­to­res de lei­te, cor­te e agri­cul­to­res com foco em pro­du­ção de ali­men­tos para os ani­mais, seja a pas­to, sila­gens, feno, pré-seca­do, ou pro­du­ção de soja e afins. A meto­do­lo­gia de tra­ba­lho é base­a­da no mode­lo “lean”, tra­zi­do para a agro­pe­cuá­ria pela Clí­ni­ca do Lei­te, no Mode­lo Agro+Lean, e atu­al­men­te inti­tu­la­da Esco­la de Ges­tão Agro-Lean, sob a coor­de­na­ção do pro­fes­sor Pau­lo Fer­nan­do Machado.

“Nos­sa mai­or deman­da é a con­sul­to­ria em ges­tão, ou seja, o pro­du­tor nos cha­ma para aju­dá-lo a orga­ni­zar o seu negó­cio e, mui­tas vezes, o cli­en­te quer que o aju­de­mos a fazer o negó­cio dar cer­to. Para que isso acon­te­ça, tra­ba­lha­mos na ado­ção de uma meto­do­lo­gia geren­ci­al que per­mi­te a melho­ria de todos os pro­ces­sos, des­de o con­tro­le de cus­tos, pas­san­do por todas as áre­as téc­ni­cas (ali­men­ta­ção, repro­du­ção, qua­li­da­de de lei­te, cri­a­ção de bezer­ras, sani­da­de e bios­se­gu­ran­ça, con­for­to e bem-estar ani­mal, pro­je­tos de cons­tru­ções, pro­du­ção de ali­men­tos e fer­ti­li­da­de de solos, etc.) e focan­do sem­pre na capa­ci­ta­ção da equi­pe de tra­ba­lho (pro­du­tor, geren­tes e operadores).”

Mais tran­qui­li­da­de para o pro­du­tor – “Na ver­da­de, o gran­de foco é melho­rar o resul­ta­do como um todo, ou seja, ter suces­so, que é o resul­ta­do de diver­sos fato­res envol­vi­dos, como dimi­nui­ção da rota­ti­vi­da­de de pes­so­al, melho­ria dos indi­ca­do­res finan­cei­ros, das con­di­ções das vacas (que pro­du­zem mais lei­te e de melhor qua­li­da­de), redu­ção de ‘bri­gas’ por pre­ço com os com­pra­do­res de lei­te. Enfim, ter tran­qui­li­da­de, ou melhor ter uma boa noi­te de sono. O valor de ter o negó­cio sob con­tro­le em todos seus aspec­tos é enor­me e este é o nos­so pro­pó­si­to”, des­ta­ca Carvalho.

É impor­tan­te que o pro­du­tor tenha cons­ci­ên­cia de que não exis­te um pra­zo espe­cí­fi­co para ver os resul­ta­dos a par­tir da con­tra­ta­ção da con­sul­to­ria. Uns come­çam a sur­gir em pou­co tem­po, outros a médio a lon­go pra­zo, ou seja, varia de fazen­da para fazen­da. “Vai depen­der de uma série de fato­res, em que entram tam­bém as expec­ta­ti­vas dos donos e dos fun­ci­o­ná­ri­os. Porém, alguns núme­ros zoo­téc­ni­cos e finan­cei­ros podem ser vis­tos no médio pra­zo (algo em tor­no de seis meses a um ano)”, nota o consultor.

ANÁLISE DAS FAZENDAS

Evolução da produção de leite e margem operacional no período

Ele obser­va ain­da que, se hou­ver gran­des falhas téc­ni­cas a serem sana­das, os resul­ta­dos podem ser qua­se que ins­tan­tâ­ne­os. Por exem­plo, no caso de mudan­ça do alo­ja­men­to das vacas em novas ins­ta­la­ções de com­post barn, a res­pos­ta é qua­se ime­di­a­ta; ou se a nutri­ção esti­ver com falhas de for­mu­la­ção. No entan­to, não é algo que acon­te­ça com frequência.

Em 22 anos de tra­ba­lho, con­for­me rela­ta Car­va­lho, a Cow­te­ch pôde aju­dar mui­tos pro­du­to­res, com diver­sos tipos de desa­fi­os, alguns sem suces­so, porém mui­tos com gran­de resul­ta­do. “Lem­bro que um cli­en­te nos con­ta­tou, em 2013, pois esta­va ven­den­do todo o reba­nho e iria ter­mi­nar com a ati­vi­da­de, pois já não aguen­ta­va mais os pre­juí­zos acu­mu­la­dos. Após uma ava­li­a­ção geral do negó­cio, detec­ta­mos um gran­de poten­ci­al de pro­du­ção e melho­ria de desem­pe­nho, mas seri­am neces­sá­ri­os vári­os ajus­tes na fazen­da. Ela­bo­ra­mos um pla­no de tra­ba­lho para o cli­en­te, que acre­di­tou na pro­pos­ta. Hoje, esse pro­du­tor figu­ra entre os TOP 100 de pro­du­ção de lei­te naci­o­nal”, diz.

Para ele, quan­do se ini­cia um pro­je­to des­de o iní­cio, fica mais cla­ro tudo o que deve ser fei­to para o bom desem­pe­nho da ati­vi­da­de, con­for­me foi o caso de outro cli­en­te da con­sul­to­ria, que os pro­cu­rou em 2009 para ini­ci­ar a ati­vi­da­de lei­tei­ra, par­tin­do de um gran­de pla­no de inves­ti­men­to. “Nos­so tra­ba­lho foi mon­tar todo o dese­nho do sis­te­ma de pro­du­ção, sob um mode­lo moder­no de ges­tão, com defi­ni­ção de equi­pe com car­gos e salá­ri­os, além de todos os pro­ces­sos de todas as áre­as de pro­du­ção, e tam­bém o pro­je­to das ins­ta­la­ções. Esse cli­en­te tam­bém está entre os TOP 100, com gran­de suces­so em seu negó­cio. Em suma, são mui­tos os casos de suces­so, des­de gran­des empre­en­di­men­tos até pro­pri­e­da­des com pro­du­ção ao redor dos 100 litros de lei­te por dia”, fina­li­za Carvalho.

Pastagem abundante durante todo o ano, com o uso da sobressemeadura prolongando o pasto até outubro

Áreas de atuação da consultoria

 

Pas­ta­gens e pro­du­ção de for­ra­gens: Atua des­de o pla­ne­ja­men­to da deman­da X supri­men­to poten­ci­al de for­ra­gem da pro­pri­e­da­de (pas­ta­gens, cul­tu­ras para suple­men­ta­ção volu­mo­sa e inte­gra­ção lavoura/pecuária), incluin­do mape­a­men­to das áre­as, levan­ta­men­to e mane­jo da fer­ti­li­da­de do solo, sele­ção de híbri­dos e vari­e­da­des for­ra­gei­ras, implan­ta­ção das cul­tu­ras for­ra­gei­ras e res­pec­ti­vos tra­tos cul­tu­rais, refor­mas, divi­sões e mane­jo das pas­ta­gens, inten­si­fi­ca­ção de pas­ta­gens (via adu­ba­ção estra­té­gi­ca e pas­te­jo rota­ci­o­na­do). Fechan­do o cír­cu­lo, a colhei­ta e o arma­ze­na­men­to de for­ra­gens con­ser­va­das (dife­ren­tes tipos de sila­gem, pré-seca­do, feno e pas­ta­gens dife­ri­das), tan­to em fazen­das de gado de lei­te quan­to de corte.

Repro­du­ção: A Cow­te­ch atua jun­to a seus cli­en­tes asses­so­ran­do-os na ado­ção de pro­to­co­los sani­tá­ri­os vol­ta­dos à manu­ten­ção da saú­de do apa­re­lho repro­du­ti­vo e à pre­ven­ção de doen­ças repro­du­ti­vas das matri­zes, mane­jo e roti­na de pro­gra­mas de inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al (IA) e inse­mi­na­ção arti­fi­ci­al em tem­po fixo (IATF), sele­ção de reprodutores/sêmen, pro­gra­mas de trans­fe­rên­cia de embriões, pro­gra­mas de melho­ra­men­to gené­ti­co do reba­nho, estra­té­gi­as para cru­za­men­to indus­tri­al e implan­ta­ção e mane­jo de esta­ção de mon­ta para pecuá­ria de cor­te, diag­nós­ti­cos pre­co­ces de ges­ta­ção, pro­gra­mas e mane­jos nutri­ci­o­nais espe­cí­fi­cos para aumen­tar a efi­ci­ên­cia repro­du­ti­va e trei­na­men­to da equi­pe das fazen­das res­pon­sá­veis pela reprodução.

Qua­li­da­de do lei­te: De acor­do com as infor­ma­ções cole­ta­das e o enqua­dra­men­to do sis­te­ma de pro­du­ção, dire­ci­o­na o tra­ba­lho para a capa­ci­ta­ção da mão de obra e o enten­di­men­to da impor­tân­cia do rigor da higi­e­ne no pro­ces­so de orde­nha. A ava­li­a­ção é glo­bal, obser­van­do ani­mais e cola­bo­ra­do­res, antes, duran­te e após orde­nha, com meto­do­lo­gia dire­ci­o­na­da para o cul­ti­vo micro­bi­o­ló­gi­co, bai­xo uso de anti­bió­ti­cos, efi­ci­ên­cia nos tra­ta­men­tos, ins­ta­la­ção de linha de orde­nha, manu­ten­ção e con­tro­le dos indi­ca­do­res de qua­li­da­de do lei­te: CCS média do reba­nho; CBT média do reba­nho; por­cen­tu­al de gor­du­ra, de pro­teí­na e nitro­gê­nio urei­co no lei­te (NUL).

Con­tro­le finan­cei­ro e aná­li­se de mer­ca­do: A con­sul­to­ria tem aju­da­do pecu­a­ris­tas, tan­to de cor­te quan­to de lei­te, des­de o trei­na­men­to espe­cí­fi­co de con­cei­tos de con­ta­bi­li­da­de rural e con­tro­le de flu­xo de cai­xa, ado­ção de meto­do­lo­gi­as de con­tro­le de des­pe­sas e recei­tas, uso de softwa­res para essa fina­li­da­de, até o pla­ne­ja­men­to e o con­tro­le finan­cei­ro de pro­je­tos e eta­pas cha­ves das ati­vi­da­des. Uti­li­zan­do essas fer­ra­men­tas, é pos­sí­vel cal­cu­lar o cus­to por litro de lei­te, da arro­ba pro­du­zi­da, do bezer­ro a ser ven­di­do, do qui­lo de capim ou sila­gem pro­du­zi­da a ser comer­ci­a­li­za­da e vári­os outros cus­tos e indi­ca­do­res impor­tan­tes. Como o con­tro­le finan­cei­ro é um com­po­nen­te do mode­lo de ges­tão glo­bal do negó­cio pro­pos­to pela Cow­te­ch, simu­la­ções, pla­ne­ja­men­to, ações e estra­té­gi­as de comer­ci­a­li­za­ção e redu­ção de cus­to são, estra­te­gi­ca­men­te, deli­ne­a­das para cada pro­pri­e­da­de, aju­dan­do o pro­du­tor a tor­nar seu negó­cio mais ren­tá­vel, continuamente.

Nutri­ção: Atua em todo o pro­ces­so da ali­men­ta­ção dos ani­mais e em todas as cate­go­ri­as de ani­mais (bezer­ras, novi­lhas, garrotes/tourinhos, vacas em lac­ta­ção e vacas em tran­si­ção). Des­de o pla­ne­ja­men­to, ori­en­ta­ções téc­ni­cas e con­tro­le da pro­du­ção de for­ra­gens, até a orga­ni­za­ção de lotes pro­du­ti­vos e res­pec­ti­vos arra­ço­a­men­tos e suple­men­ta­ção com con­cen­tra­dos, mine­rais e adi­ti­vos. Uti­li­zam-se softwa­res e con­cei­tos moder­nos de for­mu­la­ção de die­tas (cus­to míni­mo e lucro máximo).

PERFIL

 

• 40 fazen­das em pro­du­ção de lei­te, com 7.200 vacas em lac­ta­ção e um total de 9.000 vacas. São 202.300 litros de lei­te sob ori­en­ta­ção da Cowtech;

• São 6 pro­pri­e­da­des assis­ti­das na área de pro­du­ção de feno e pré-seca­do. Mais 5 fazen­das assis­ti­das em gado de cor­te com um total de 3.000 vacas de cor­te. Mais asses­so­ria em pro­du­ção de milho grão, ora sila­gem. Na mai­o­ria des­sas fazen­das com cul­tu­ra de inver­no (aveia, sor­go, um pou­co de cana).

• Atu­a­ção nas seguin­tes regiões: Sul de Minas; Sudo­es­te de Minas; Região do Alto Para­naí­ba; Tri­ân­gu­lo Minei­ro; todo Esta­do de São Pau­lo; Sul de Goiás; e Tocantins.

Mais infor­ma­ções: Tel. (35) 9 9981–2206; www.cowtech.com.br

Rolar para cima