Curtas - Digital Balde Branco

CUR­TAS

MERCADO LÁCTEO PROMISSOR PARA A BUBALINOCULTURA GAÚCHA

A Asso­ci­a­ção Suli­na de Cri­a­do­res de Búfa­los (Ascri­bu) tra­ba­lha em par­ce­ria com a Ema­ter para o fomen­to do lei­te de búfa­la no Rio Gran­de do Sul.  O vice-pre­si­den­te da enti­da­de, Gui­lher­me Giam­bas­ti­a­ni, expli­ca que, no Bra­sil intei­ro, o búfa­lo se des­ta­cou pelo lei­te e, no Rio Gran­de do Sul, a mai­o­ria dos pro­du­to­res foi para a pecuá­ria de cor­te. “Hoje temos dois pro­du­to­res que suprem a Coo­per­bú­fa­lo; há um gran­de cam­po de cres­ci­men­to para a búfa­la de lei­te, espe­ci­al­men­te na agri­cul­tu­ra fami­li­ar. Se con­se­guir­mos fomen­tar essa ques­tão, dare­mos mai­or visi­bi­li­da­de para a búfa­la, geran­do ren­da ao pro­du­tor”, des­ta­ca. Segun­do Giam­bas­ti­a­ni, dife­ren­te­men­te da car­ne, os deri­va­dos do lei­te de búfa­la têm uma deman­da mai­or. “O que pro­duz, ven­de. Vári­os lati­cí­ni­os de fora do RS olham para cá por­que aqui tem gran­de con­su­mo. É um pro­du­to que tem liqui­dez”, complementa.

Homeopatia segue em expansão na medicina veterinária

Home­o­pa­tia Vete­ri­ná­ria foi uma das pri­mei­ras espe­ci­a­li­da­des reco­nhe­ci­das pelo Con­se­lho Fede­ral de Medi­ci­na Vete­ri­ná­ria (CFMV), com a publi­ca­ção da Reso­lu­ção n° 625/95. Des­de então, já foram reco­nhe­ci­dos títu­los de 19 pro­fis­si­o­nais, dos quais 12 estão vigen­tes. De acor­do com a Comis­são Téc­ni­ca de Home­o­pa­tia Vete­ri­ná­ria do Con­se­lho Regi­o­nal de Medi­ci­na Vete­ri­ná­ria do Esta­do de São Pau­lo (CRMV-SP), há expan­são no cam­po pro­fis­si­o­nal, tan­to no seg­men­to pet quan­to no de ani­mais de pro­du­ção. “A área está em desen­vol­vi­men­to, o que está mui­to atre­la­do à pre­o­cu­pa­ção com a sus­ten­ta­bi­li­da­de e à bus­ca por tera­pi­as médi­cas menos inva­si­vas, menos tóxi­cas e que tra­gam resul­ta­dos”, argu­men­ta o pre­si­den­te da comis­são, Fábio Fer­nan­do Ribei­ro Manhoso.

PIB DA AGROPECUÁRIA CRESCERÁ 1,4% EM 2019

Pro­du­to Inter­no Bru­to (PIB) do setor agro­pe­cuá­rio deve­rá aumen­tar 1,4% em 2019, con­for­me esti­ma­ti­va divul­ga­da no dia 19 de novem­bro pelo Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sa Econô­mi­ca Apli­ca­da (Ipea). A pro­je­ção mos­tra uma ace­le­ra­ção ante a esti­ma­ti­va de agos­to, que apon­tou um avan­ço de 0,5%. Segun­do o Ipea, o resul­ta­do posi­ti­vo des­te ano será puxa­do pela pecuá­ria, que deve­rá cres­cer 1,8%. As cadei­as de bovi­nos, aves e ovos impul­si­o­nam o cres­ci­men­to, com altas de 2,1%, 2,1% e 3,4%, res­pec­ti­va­men­te. Já para a agri­cul­tu­ra, a pre­vi­são é de aumen­to de 1% no valor adi­ci­o­na­do das lavou­ras. Para 2020, a pecuá­ria deve ser pro­ta­go­nis­ta, com pre­vi­são de avan­ço de 4,3%, puxa­do prin­ci­pal­men­te pela pro­du­ção de bovi­nos (5,8%).

PUBLICAÇÃO DO IZ SOBRE CONTROLE DE CARRAPATOS ESTÁ DISPONÍVEL

nova edi­ção do livro refe­ren­te ao VI Workshop Con­tro­le de Car­ra­pa­tos, que abor­dou o tema “Car­ra­pa­ti­ci­das: toxi­co­lo­gia, resí­du­os e alter­na­ti­vas”, rea­li­za­do pelo Ins­ti­tu­to de Zoo­tec­nia (IZ/APTA), da Secre­ta­ria de Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do de São Pau­lo, está dis­po­ní­vel para down­lo­ad no link Publi­ca­ções em www.iz.sp.gov.br.

Segun­do a coor­de­na­do­ra do even­to e pes­qui­sa­do­ra do IZ, Cecí­lia José Verís­si­mo, o assun­to abor­da­do é de extre­ma impor­tân­cia, “pois envol­ve o bem-estar do homem, do ani­mal e de seu ambi­en­te”. O uso indis­cri­mi­na­do – sem cri­té­rio e de manei­ra erra­da – do car­ra­pa­ti­ci­da leva ao fenô­me­no da resis­tên­cia do para­si­ta aos car­ra­pa­ti­ci­das, além da mor­te de deze­nas de ani­mais. Outro sério pro­ble­ma está na into­xi­ca­ção de pes­so­as ao mani­pu­lar o pro­du­to, quan­do ocor­rem erros de dosa­gem e aplicação.

MAPA PREPARA PORTAL COM DADOS SOBRE A QUALIDADE DO LEITE NO BRASIL

O Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to (Mapa) está fina­li­zan­do um novo por­tal que reu­ni­rá dados de aná­li­ses de qua­li­da­de do lei­te em todo o país. O pro­je­to ain­da está em desen­vol­vi­men­to e for­ne­ce­rá infor­ma­ções quan­ti­ta­ti­vas e das medi­ções dos padrões pre­vis­tos nas INs 76 e 77, de for­ma a ter um raio‑X da pro­du­ção naci­o­nal. A posi­ção foi indi­ca­da pela fis­cal do Mapa e médi­ca vete­ri­ná­ria Mile­ne Cé, que se reu­niu com repre­sen­tan­tes das prin­ci­pais indús­tri­as de lati­cí­ni­os do Rio Gran­de do Sul, em novem­bro, em Por­to Alegre.

Para o secre­tá­rio exe­cu­ti­vo do Sin­di­lat, Dar­lan Palha­ri­ni, esta será uma fer­ra­men­ta impor­tan­te para gui­ar os tra­ba­lhos de qua­li­fi­ca­ção da pro­du­ção no Bra­sil e seria exce­len­te se per­mi­tis­se estra­ti­fi­car o grau de tes­ta­gens nos vári­os esta­dos do País. O pro­je­to, ini­ci­al­men­te pre­vis­to para entrar no ar em outu­bro, ain­da se encon­tra em fase de elaboração.

Rolar para cima