Curtas - Edição 664 - Digital Balde Branco

CURTAS

CONTROLE LEITEIRO OFICIAL AUXILIA NO GERENCIAMENTO DO REBANHO

   Além de con­tro­lar e regis­trar a pro­du­ção dos ani­mais a fim de men­su­rar a quan­ti­da­de e a qua­li­da­de do lei­te de uma pro­pri­e­da­de, ao medir per­cen­tu­ais de pro­teí­na, gor­du­ra e CCS, o con­tro­le lei­tei­ro é uma fer­ra­men­ta impor­tan­te para o melho­ra­men­to do plan­tel. Isso tan­to em ter­mos pro­du­ti­vos quan­to gené­ti­cos, defen­de o supe­rin­ten­den­te téc­ni­co da Asso­ci­a­ção dos Cri­a­do­res de Gado Holan­dês do Rio Gran­de do Sul (Gado­lan­do), José Luiz Rigon. Segun­do ele, uma das for­mas de uti­li­za­ção des­sa fer­ra­men­ta é por meio do rela­tó­rio de pro­du­ção men­sal, que pos­si­bi­li­ta iden­ti­fi­car e sepa­rar aque­les ani­mais de pro­du­ção supe­ri­or. Segun­do o supe­rin­ten­den­te, com pla­ne­ja­men­to ade­qua­do, é pos­sí­vel con­ce­der a esses ani­mais tra­ta­men­to ali­men­tar de melhor qua­li­da­de, explo­ran­do ao máxi­mo o seu poten­ci­al produtivo.

MULHERES OCUPAM MAIS DE 50% DOS CARGOS DE PESQUISADORES CIENTÍFICOS NA SECRETARIA DE AGRICULTURA DE SÃO PAULO 

   Den­tro da Secre­ta­ria de Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do de São Pau­lo, na Agên­cia Pau­lis­ta de Tec­no­lo­gia dos Agro­ne­gó­ci­os (Apta), que coor­de­na os seis Ins­ti­tu­tos de Pes­qui­sa da área, as mulhe­res são mais de 50% do cor­po de pes­qui­sa­do­res cien­tí­fi­cos e estão na lide­ran­ça de três dos ins­ti­tu­tos. São enge­nhei­ras agrô­no­mas, bió­lo­gas, eco­no­mis­tas, enge­nhei­ras de ali­men­tos e diver­sas outras for­ma­ções, que desen­vol­vem pes­qui­sas em agri­cul­tu­ra, pecuá­ria, pes­ca e aqui­cul­tu­ra, eco­no­mia agrí­co­la, sani­da­de e pro­ces­sa­men­to de ali­men­tos. Ou seja, elas con­tri­bu­em ati­va e dire­ta­men­te para o cres­ci­men­to do agro­ne­gó­cio no Esta­do e em todo o Bra­sil. Além de serem mais de 50% do cor­po téc­ni­co de pes­qui­sa­do­res da Apta, for­ma­do por 515 cien­tis­tas, as mulhe­res ocu­pam den­tro da Agên­cia car­gos de lide­ran­ça, tan­to na dire­to­ria dos ins­ti­tu­tos, mas tam­bém na asses­so­ria téc­ni­ca e dire­ção de cen­tros de pesquisa.

POR QUE UTILIZAR AROMAS EM RAÇÕES COMERCIAIS PARA BOVINOS LEITEIROS?

   As vacas lei­tei­ras são extre­ma­men­te sen­sí­veis às mudan­ças em sua die­ta. Os odo­res desa­gra­dá­veis ou os sabo­res amar­gos podem levar a uma bai­xa inges­tão de ração, afe­tan­do con­se­quen­te­men­te a pro­du­ção e o desem­pe­nho. Atu­al­men­te, cer­ca de 20% de todo aro­ma ou pala­ta­bi­li­zan­te uti­li­za­dos na indús­tria de ração ani­mal são des­ti­na­dos para rumi­nan­tes. Esses adi­ti­vos não nutri­ci­o­nais são uti­li­za­dos em rações, mine­rais e suce­dâ­ne­os lác­te­os, em sua mai­o­ria. Para apri­mo­rar o chei­ro e o sabor das rações, a mai­o­ria das fábri­cas tem uti­li­za­do o aro­ma duran­te a fabri­ca­ção do pro­du­to. Como resul­ta­do, o ali­men­to se tor­na mais pala­tá­vel, o con­su­mo aumen­ta e o desem­pe­nho melhora.

VACA GIROLANDO ATINGE MARCA RARA DE PRODUÇÃO DE LEITE NA RAÇA

   Mais uma vaca da raça Giro­lan­do entrou para o res­tri­to gru­po de ani­mais com pro­du­ção aci­ma de 100 mil qui­los. A fêmea Pro­mes­sa Bar­ban­te BAC acu­mu­lou 100.618,87 kg de lei­te em 2.592 dias, após últi­ma pesa­gem rea­li­za­da em novem­bro de 2019 pela Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Giro­lan­do. Em 12 anos e 8 meses de vida, ela teve oito lac­ta­ções ofi­ci­ais e dei­xou 18 des­cen­den­tes. Pro­mes­sa era uma vaca CCG ½ HOL + ½ GIR de des­ta­que den­tro da Fazen­da Bacu­ri, loca­li­za­da em Orin­diú­va (SP), é de pro­pri­e­da­de do asso­ci­a­do Car­los Alber­to Luiz de Almeida.

EPAMIG-ILCT CRIA PLATAFORMA DIGITAL PARA DIFUNDIR CONHECIMENTOS SOBRE LÁCTEOS

   Duran­te o perío­do de iso­la­men­to soci­al reco­men­da­do pelo Minis­té­rio da Saú­de para evi­tar a con­ta­mi­na­ção pelo coro­na­ví­rus, pro­fes­so­res e pes­qui­sa­do­res da Empre­sa de Pes­qui­sa Agro­pe­cuá­ria de Minas Gerais – Ins­ti­tu­to de Lati­cí­ni­os Cân­di­do Tos­tes (ILCT) se uni­ram para dis­po­ni­bi­li­zar gra­tui­ta­men­te con­teú­dos do setor lati­ci­nis­ta em uma pla­ta­for­ma digi­tal. A inten­ção é auxi­li­ar pro­du­to­res, alu­nos, pro­fis­si­o­nais do setor e demais inte­res­sa­dos. A pági­na já está dis­po­ní­vel (https://epamigilct.online/) e reú­ne car­ti­lhas téc­ni­cas, arti­gos cien­tí­fi­cos, víde­os gra­va­dos ante­ri­or­men­te pelos pes­qui­sa­do­res da Epa­mig-ILCT e links de con­teú­dos selecionados.

ABCZ LANÇA MAIS UMA ETAPA DO PROJETO GENÔMICA

   A ABCZ lan­çou mais uma eta­pa do pro­je­to Genô­mi­ca, em par­ce­ria com a Neo­gen, ofe­re­cen­do duas novas opor­tu­ni­da­des no pro­ces­so de geno­ti­pa­gem. Essa ini­ci­a­ti­va aten­de a todos os cri­a­do­res, de todas as raças e apti­dões, sem exce­ção. Tra­ta-se do ‘Pro­je­to 2 por 1’ e o ‘Ganho Total’. De for­ma geral, as duas novi­da­des ofe­re­cem gran­des van­ta­gens aos cri­a­do­res, como, por exem­plo, sub­sí­di­os para a geno­ti­pa­gem. O pro­je­to se apli­ca somen­te aos cri­a­do­res par­ti­ci­pan­tes do PMGZ com­ple­to (PMGZ 2). A cada dois ani­mais que o cri­a­dor geno­ti­par (esco­lhi­dos por ele pró­prio), a ABCZ paga­rá os cus­tos da geno­ti­pa­gem de uma fêmea do mes­mo cri­a­tó­rio (indi­ca­das pela ABCZ). O pro­je­to se limi­ta a 5% do núme­ro de matri­zes ati­vas do cri­a­dor ins­cri­tas no PMGZ com­ple­to. Ou seja, se na lis­ta de fême­as indi­ca­das pela ABCZ cons­ta­rem 10 ani­mais, o cri­a­dor pode­rá fazer até 30 geno­ti­pa­gens, sen­do 10 gra­tui­tas da lis­ta de fême­as e 20 a seu cri­té­rio com inves­ti­men­to próprio.

AGROLEITE É CANCELADA POR CAUSA DA PANDEMIA 

   A Agro­lei­te 2020 foi can­ce­la­da por cau­sa da pan­de­mia de coro­na­ví­rus, infor­mou, no dia 20 de abril, a coo­pe­ra­ti­va Cas­tro­lan­da, orga­ni­za­do­ra do even­to. A fei­ra seria rea­li­za­da entre 11 e 15 de agos­to em Cas­tro, nos Cam­pos Gerais do Para­ná. Segun­do a orga­ni­za­ção, a deci­são foi toma­da segun­do as ori­en­ta­ções dos órgãos de gover­no com a fina­li­da­de de pre­ser­var a saú­de dos par­ti­ci­pan­tes. Na edi­ção de 2019, o even­to movi­men­tou R$ 78 milhões em negó­ci­os e teve 75 mil visitantes.

Rolar para cima