políticas públicas

Tere­za Cris­ti­na
minis­tra da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abastecimento

É nos­sa obri­ga­ção conhe­cer os vári­os públi­cos nas vári­as cadei­as pro­du­ti­vas e fazer com que esse públi­co cada vez mais pos­sa cres­cer em pata­mar de assis­tên­cia téc­ni­ca e tec­no­lo­gia. O nos­so sonho é que o lei­te seja pago pela qua­li­da­de; quan­to mais qua­li­da­de, mais o pro­du­tor rece­be. Isso vai incen­ti­var que a gen­te tenha melhor pro­du­ti­vi­da­de

ILPF

José Ricar­do Mace­do Pez­zo­pa­ne
pes­qui­sa­dor da Embra­pa Pecuá­ria Sudeste

De manei­ra geral, as prin­ci­pais for­ra­gei­ras tro­pi­cais ou sub­tro­pi­cais, como bra­quiá­ria, Pani­cum e Cyno­don podem ser uti­li­za­das na pro­du­ção lei­tei­ra em sis­te­mas de
inte­gra­ção lavou­ra-pecuá­ria-flo­res­ta. Essas for­ra­gei­ras tole­ram um pou­co de som­bre­a­men­to, em até cer­ca de 30%. Aci­ma des­se som­bre­a­men­to, as plan­tas come­çam a per­der pro­du­ti­vi­da­de e tam­bém não vão res­pon­der à adu­ba­ção de nitro­gê­nio, geral­men­te uti­li­za­da pelos pro­du­to­res
para aumen­tar a lota­ção do sis­te­ma. Nes­se sen­ti­do, se o pro­du­tor já esti­ver usan­do essas
for­ra­gei­ras no seu sis­te­ma, não vai pre­ci­sar se pre­o­cu­par em tro­car o capim

NUL

Altair Val­lo­to
médi­co vete­ri­ná­rio e supe­rin­ten­den­te téc­ni­co admi­nis­tra­ti­vo da Asso­ci­a­ção Para­na­en­se dos Cri­a­do­res de Bovi­nos da Raça Holandesa

A aná­li­se de NUL (nitro­gê­nio urei­co no lei­te) é um gran­de indi­ca­dor, por­que nas rações for­ne­ci­das aos ani­mais, que vari­am no nos­so esta­do de 45% a 55% do cus­to total da pro­du­ção de lei­te nas pro­pri­e­da­des, o cus­to mai­or é por cau­sa da pro­teí­na. Com isso, o pecu­a­ris­ta pode ter um bom parâ­me­tro para saber se está for­ne­cen­do a pro­teí­na em dema­sia, ou se a vaca está jogan­do para fora esse ali­men­to, sen­do algo que fatal­men­te faz com que se per­ca mui­to dinhei­ro

estresse térmico

Cris­ti­a­ne Gon­çal­ves Tit­to
da Facul­da­de de Medi­ci­na Vete­ri­ná­ria e
Zoo­tec­nia-USP, cam­pus de Piras­su­nun­ga (SP)

O estres­se por calor, além de levar à que­da na pro­du­ção, alte­ra a com­po­si­ção quí­mi­ca do lei­te, obser­va­da a par­tir da dimi­nui­ção dos teo­res de gor­du­ra, pro­teí­na, cál­cio, lac­to­se, áci­do cítri­co e potás­sio. Ocor­re vari­a­ção sazo­nal anu­al de sóli­dos totais, com redu­ção nas esta­ções de calor e chu­vas, com meno­res índi­ces de sóli­dos não gor­du­ro­sos nos meses mais quen­tes do ano, rela­ci­o­na­do ao nível pro­tei­co do lei­te

clostridioses

Rodri­go Otá­vio Sil­va
pro­fes­sor da UFMG

Nor­mal­men­te a clos­tri­di­o­se está rela­ci­o­na­da à sila­gem, a erros no mane­jo da sila­gem, sobre­tu­do quan­do acon­te­ce uma fer­men­ta­ção ina­de­qua­da, mate­ri­al putre­fei­to, e até pode ser que tenham incor­po­ra­do car­ca­ças, por exem­plo, de peque­nas aves, roe­do­res, naque­la for­ra­gem, e isso é rela­ti­va­men­te comum. Nes­ses casos, a clos­tri­di­o­se está asso­ci­a­da à doen­ça do botu­lis­mo, que geral­men­te pro­vo­ca gran­des sur­tos, pro­pi­ci­an­do mor­ta­li­da­de mui­to gran­de na pro­pri­e­da­de lei­tei­ra se não for diag­nos­ti­ca­do a tem­po

compost barn

Adri­a­no Sed­don
médi­co vete­ri­ná­rio, con­sul­tor e dire­tor da Cowcooling

Já exis­tem cer­ca de 2 mil gal­pões des­se tipo ope­ran­do na pecuá­ria de lei­te naci­o­nal. Devi­do às con­di­ções cli­má­ti­cas do País, o mode­lo se adap­tou mui­to bem, ofe­re­cen­do con­for­to tér­mi­co às vacas de alta pro­du­ção, aumen­tan­do a pro­du­ti­vi­da­de e melho­ran­do a qua­li­da­de do lei­te

Rolar para cima