balde branco

No último dia 28 de novembro foi lançado, em Uberaba- MG, o Projeto Brazilian Girolando, que visa conquistar o mercado internacional com a oferta de genética da raça


Por Larissa Vieira

A seleção genômica, tecnologia que permite acelerar o melhoramento genético dos rebanhos bovinos, acaba de ser incorporada ao Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando (PMGG). Com essa inovação, a Girolando é a primeira raça bovina leiteira brasileira a inserir uma ferramenta genômica para uso no processo de seleção de touros, fêmeas jovens e vacas. Esta é a proposta anunciada no último dia 28 de novembro, em Uberaba-MG, com o lançamento do Projeto Brazilian Girolando, pelo presidente da associação da raça, Jônadan Ma.

O Projeto Genoma vem sendo de­senvolvido pela Embrapa Gado de Leite, Associação Brasileira dos Criadores de Girolando e o consórcio CRV Lagoa/Zoetis, desde 2013, por meio de um Contrato de Parceria em Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário, oriundo de um “Chamamen­to Público”. Este modelo é único e pioneiro para raças leiteiras no Brasil e no mundo, pois todos os procedimentos de avaliação genômica e o perfil genético/fenotípico do animal, exceto a genotipagem, serão realizados no País.

Para o chefe geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo do Carmo Martins, essa inovação é um divisor de águas na pesqui­sa genética em prol do aumento da produ­tividade do rebanho leiteiro brasileiro. “Es­tamos entregando potencial de geração de riqueza para o Brasil e os brasileiros, com elevado impacto econômico e ambiental. Com esta nova tecnologia é possível pro­duzir mais leite preservando terra e água, pois os animais serão mais produtivos. E isso é o que o mundo precisa”, diz Martins.

Os primeiros animais da raça genotipa­dos foram os 67 reprodutores participantes da 5ª Prova de Pré-Seleção de Touros, que estão alojados no Centro de Performance Girolando, no campus do IFTM-Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro, em Uberaba-MG. O valor genômico desses touros será um dos critérios para definir quais exemplares se­rão classificados para o teste de progênie da raça Girolando. Eles também passarão por avaliações referentes à fertilidade, temperamento e conformação. O resultado da 5ª Prova de Pré-Seleção de Touros será divulgado no final de abril do próximo ano.

Os estudos sobre o genoma da raça Girolando iniciaram em 2011, dois anos após a revista Science noticiar o sequen­ciamento do genoma bovino, ação que envolveu cerca de 300 pesquisadores do mundo inteiro (inclusive, da Embrapa Gado de Leite). Durante o projeto, cerca de 5.500 animais Girolando foram genotipados com diferentes tipos de painéis de marcadores de DNA e, também, três touros da raça foram sequenciados.

Um dos animais sequenciados foi o touro ‘IPA Bochecho’ (Girolando Puro Sintético – PS), pertencente à Empresa Pernambucana de Pesquisa Agropecuária-IPA. O animal vem de uma linhagem de várias gerações de PS e está inscrito no programa de melhoramento da raça. A pesquisa teve a coordenação do pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Marcos Vinícius Barbosa da Silva, que também é responsável pelas avaliações genéticas do PMGG, e contou com a participação dos pesquisadores Mar­ta Martins, Marco Antonio Machado, João Cláudio Panetto e Daniele Reis.

Como funciona a seleção genômica – A nova tecnologia permitirá a seleção para carac­terísticas produtivas e reprodutivas. Para obter essas informações o primeiro passo é a coleta de amostra de tecido biológico do animal (pelo) para extração do DNA; em seguida, é feita a genotipagem através de marcadores do tipo SNPs (um tipo de marcador molecular cuja sigla significa “po­limorfismo de nucleotídeo único”).

Após a genotipagem, realizada pela Zoe­tis, as informações genômicas são enviadas à Embrapa Gado de Leite onde, juntamente com o pedigree e os fenótipos obtidos através do banco de dados da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, são processadas, e irão gerar as avaliações genômicas, que serão disponibilizadas aos criadores através de relatórios que irão predizer os valores genômicos de cada animal testado.

“São informações de alta confiabilidade, que poderão auxiliar o produtor a definir a estratégia de seleção de seu rebanho. É im­portante combinar esses dados genômicos com as outras avaliações que o PMGG já disponibiliza por meio do teste de progênie e controle leiteiro para se ter uma seleção sustentável, alinhada com o que o merca­do exige da raça.”, explica o presidente da Girolando, Jônadan Ma.

Hoje, as avaliações genéticas da raça são geradas com base nas informações do teste de progênie e do controle leiteiro. A diferença é que, enquanto o teste leva em média sete anos para avaliar um touro (sendo que o resultado pode ser negativo ou positivo), com o auxílio da genômica levará apenas dois para concluir a análise, e com maior precisão, pois aumenta a confiabilida­de associada à PTA do animal.

A tecnologia permitirá, em um futuro breve, que a avaliação seja feita antes de o animal nascer, por meio da coleta de células do embrião. Com isso, o criador poderá utili­zar apenas os embriões com características desejáveis nos processos de FIV (fecun­dação in vitro) e transferência de embrião. Essa pesquisa está sendo finalizada pelos pesquisadores Luiz Sérgio Camargo, Clara Slade Oliveira e Marcos Vinicius Barbosa da Silva, da Embrapa Gado de Leite.

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?