Intolerância à lactose abre o mercado - Digital Balde Branco

Pes­qui­sas glo­bais mos­tram que qua­se três em cada qua­tro pes­so­as no Pla­ne­ta (75%) rea­gem mal aos deri­va­dos do lei­te. No Bra­sil, esti­ma-se que este per­cen­tu­al atin­ja 40% da popu­la­ção. Quem sofre com este pro­ble­ma tem carên­cia de lac­ta­se – enzi­ma que atua na diges­tão da lac­to­se – e sen­te difi­cul­da­des na hora de dige­rir a lac­to­se, que nada mais é do que um tipo de açú­car natu­ral­men­te encon­tra­do no lei­te e seus deri­va­dos. Os sin­to­mas vari­am de pes­soa para pes­soa, geran­do mal-estar e outros pro­ble­mas menos gra­ves. Des­con­for­to intes­ti­nal, indi­ges­tão e enxa­que­ca são os mais fre­quen­tes, e essas ocor­rên­ci­as têm leva­do os con­su­mi­do­res a muda­rem seus hábi­tos de com­pra, dan­do pre­fe­rên­cia a ali­men­tos com zero lactose.

Para que os peque­nos e médi­os empre­sá­ri­os se adap­tem a este novo cená­rio, o Sis­te­ma de Inte­li­gên­cia Seto­ri­al do Sebrae dis­po­ni­bi­li­za um bole­tim que dá dicas de como man­ter o con­su­mo e a comer­ci­a­li­za­ção dos pro­du­tos lác­te­os em alta. Uma das prin­ci­pais reco­men­da­ções aos pro­du­to­res do setor é de que acom­pa­nhem as mudan­ças no com­por­ta­men­to de con­su­mo da popu­la­ção e apos­tem na pro­du­ção de ali­men­tos sem lactose.

Rolar para cima