Marispan lança na Agrishow carregador frontal para tratores - Digital Balde Branco

VITRINE

Marispan lança na Agrishow carregador frontal para tratores

Para refor­çar o DNA ino­va­dor e soli­di­fi­car sua lide­ran­ça no seg­men­to de car­re­ga­do­res fron­tais, a Maris­pan lan­ça no mer­ca­do o equi­pa­men­to M145 para tra­to­res com até 240 cv de potên­cia duran­te a Agrishow, rea­li­za­da de 25 a 29 de abril, em Ribei­rão Pre­to (SP). O lan­ça­men­to ocor­re numa data come­mo­ra­ti­va dos 50 anos da indús­tria. O novo pro­du­to de car­re­ga­dor fron­tal da Maris­pan, o M145 aten­de tra­to­res de 190 a 240 cv de potên­cia com car­ga máxi­ma de 2 mil qui­los. Com­por­ta altu­ra máxi­ma de 4,7 metros, auto­ni­ve­lan­te, com acople/desacople e tro­ca rápi­da de acessórios.

Holding LS investe r$ 250 milhões na LS Mtron Brasil 

Em demons­tra­ção de cre­di­bi­li­da­de no mer­ca­do bra­si­lei­ro de tra­to­res, com a sequên­cia de cres­ci­men­to do agro­ne­gó­cio, o Gru­po LS, da Coreia do Sul, pro­pri­e­tá­ria da LS Mtron, que tem o seg­men­to de tra­to­res entre os seus negó­ci­os, deci­diu ampli­ar seus inves­ti­men­tos na fábri­ca bra­si­lei­ra, inje­tan­do US$ 50 milhões (R$ 250 milhões), segun­do infor­mou o pre­si­den­te da empre­sa, Ju Chan Kim. A manu­ten­ção da deman­da de tra­to­res LS pelo mer­ca­do bra­si­lei­ro, sul-ame­ri­ca­no e afri­ca­no, regiões aten­di­das pela base bra­si­lei­ra, demons­trou a neces­si­da­de de inves­ti­men­tos estru­tu­rais, pla­no que foi apro­va­do recen­te­men­te pela Hol­ding LS.

Com robô de ordenha, produtor viabiliza 3ª ordenha

A pro­pri­e­da­de fami­li­ar dos Breu­nig, loca­li­za­da em Con­dor (RS), une pais, filhos, nora e gen­ro na ati­vi­da­de da pecuá­ria lei­tei­ra. Com mais de 150 ani­mais – incluin­do cor­te –, o negó­cio, que come­çou em 1975, se viu pron­to para novos pas­sos de expan­são a par­tir da neces­si­da­de da ter­cei­ra orde­nha diá­ria. “Não que­ría­mos con­tra­tar mais fun­ci­o­ná­ri­os, mas a tare­fa de três orde­nhas se tor­na­ria mui­to com­pli­ca­da para a famí­lia, o que nos fez deci­dir pelo robô Lely Astro­naut. Isso, de fato, trans­for­mou nos­so mode­lo de pro­du­ção”, afir­ma o pro­du­tor Adel­mo Breu­nig. Segun­do ele, antes do robô de orde­nha, os ani­mais eram vis­tos como sim­ples vacas de lei­te. Hoje, vemos cada ani­mal como uma empre­sa na qual inves­ti­mos, para que pos­sam pro­du­zir ao máxi­mo, ten­do seu bem-estar pre­ser­va­do”, rela­ta o pro­du­tor gaúcho.

Agroceres Multimix lança Agvitta, que garante mais vitalidade no pós-parto

O perío­do pós-par­to é uma fase de extre­mo desa­fio para vacas lei­tei­ras. Algu­mas alte­ra­ções fisi­o­ló­gi­cas, bai­xo con­su­mo de maté­ria seca e poten­ci­ais dis­túr­bi­os meta­bó­li­cos são alguns exem­plos de ocor­rên­ci­as que podem afe­tar a pro­du­ção e a saú­de des­ses ani­mais. O lan­ça­men­to do dren­ch agVit­ta, desen­vol­vi­do pela Agro­ce­res Mul­ti­mix, auxi­lia a repo­si­ção ener­gé­ti­ca e a recu­pe­ra­ção ime­di­a­ta dos ani­mais no perío­do pós-par­to. “Tudo o que a vaca pre­ci­sa para se recu­pe­rar é ofe­re­ci­do pron­to e em um só pro­du­to”, enfa­ti­za Gil­son Dias, ges­tor téc­ni­co de bovi­nos de lei­te da com­pa­nhia, que con­si­de­ra o agVit­ta com­ple­to por­que une avan­ço tec­no­ló­gi­co, pra­ti­ci­da­de e efi­ci­ên­cia, atu­an­do deci­si­va­men­te para a saú­de no pós-par­to e no desem­pe­nho futu­ro dos animais.

1º Leilão Semex Embryos foi sucesso de vendas

De acor­do com Cen­tral, duran­te o pri­mei­ro Lei­lão Semex Embryos, foram comer­ci­a­li­za­dos todos os 30 lotes de embriões para os Esta­dos da Bahia, Cea­rá, Minas Gerais, Per­nam­bu­co, Para­ná, Rio Gran­de do Sul, San­ta Cata­ri­na e São Pau­lo. Para a Semex Bra­sil, essa ação pro­va que o mer­ca­do de embriões está aque­ci­do e que ain­da a com­pa­nhia tem mui­to espa­ço para con­quis­tar. Foram ven­di­dos 500 embriões das raças Giro­lan­do, Holan­de­sa e Holan­de­sa HVB, com gené­ti­ca de doa­do­ras das prin­ci­pais fazen­das do Brasil.

Bezerras bem colostradas garantem mais leite na primeira lactação

Dados do pro­gra­ma Alta Cria, com mais de 30 mil bezer­ras ava­li­a­das, demons­tra­ram que bezer­ras da raça Holan­de­sa que foram bem colos­tra­das pos­su­em mai­or poten­ci­al de pro­du­ção de lei­te do que as bezer­ras com bai­xa efi­ci­ên­cia de colos­tra­gem. Os ani­mais com efi­ci­ên­cia de colos­tra­gem con­si­de­ra­da “exce­len­te” pro­du­zi­ram 11.265 litros de lei­te na pri­mei­ra lac­ta­ção, enquan­to as bezer­ras com a colos­tra­gem “ruim” tive­ram uma pro­du­ção de lei­te de 9.932/litros na pri­mei­ra lactação.

Rúmieduca traz masterclass sobre a saúde do úbere

Com o obje­ti­vo de dis­se­mi­nar conhe­ci­men­to e infor­ma­ção téc­ni­ca rele­van­te para os pecu­a­ris­tas, a Rúmi­na incor­po­rou o OnFarm Aca­demy em seu DNA e traz o Rúmi­E­du­ca, pro­je­to de edu­ca­ção con­ti­nu­a­da, com trei­na­men­tos apro­fun­da­dos em diver­sas áre­as, para os pro­du­to­res e téc­ni­cos da pecuá­ria naci­o­nal. O cur­so 100% onli­ne con­ta com 19 módu­los, que se apro­fun­dam em ques­tões des­de conhe­ci­men­tos bási­cos sobre a mas­ti­te, pro­gra­mas de vaci­na­ção para a doen­ça, tra­ta­men­to sele­ti­vo, até o uso de inte­li­gên­cia arti­fi­ci­al e demais tec­no­lo­gi­as para o con­tro­le do pro­ble­ma. Con­tan­do com a cura­do­ria do pro­fes­sor Mar­cos Vei­ga, todos os con­teú­dos do cur­so são tra­du­zi­dos em por­tu­guês e espa­nhol. As ins­cri­ções já estão aber­tas e podem ser fei­tas pelo site https://rumina.com.br/rumi-educa/masterclass-saude-do-ubere/