Não-Me-Toque - Digital Balde Branco

CRÔNICA

Paulo do Carmo Martins 

Economista e pesquisador da Embrapa Gado de Leite

 A Cotri­jal per­ce­beu, pre­ma­tu­ra­men­te, que
os jovens das star­tups pode­ri­am ser o vetor da dis­se­mi­na­ção da lógi­ca des­te novo mun­do que esta­mos viven­do, o do Lei­te 4.0”

Não-Me-Toque

Este é o nome do jovem muni­cí­pio do Rio Gran­de do Sul, fun­da­do após a Segun­da Gran­de Guer­ra, com a che­ga­da de des­cen­den­tes de ale­mães, ita­li­a­nos e holan­de­ses, que se jun­ta­ram aos por­tu­gue­ses. Com pou­co mais de 17 mil habi­tan­tes, tem o dobro do PIB per capi­ta bra­si­lei­ro e um Índi­ce de Desen­vol­vi­men­to Huma­no con­si­de­ra­do alto pela Orga­ni­za­ção das Nações Uni­das. Lá, empre­go não falta.

Em Não-Me-Toque, todo ano ocor­re a Expo­di­re­to, uma das fei­ras de negó­ci­os e tec­no­lo­gia de impor­tân­cia inter­na­ci­o­nal, e uma das mais des­ta­ca­das do agro­ne­gó­cio. É rea­li­za­da pela Cotri­jal, uma coo­pe­ra­ti­va que tra­ba­lha for­te­men­te com grãos, mas tam­bém com lei­te. Em 2021 fatu­rou R$ 4,3 bilhões. O lei­te cap­ta­do é pro­ces­sa­do e comer­ci­a­li­za­do pela Coo­pe­ra­ti­va Cen­tral Gaú­cha Ltda., a CCGL.

Ano pas­sa­do o even­to não foi rea­li­za­do por cau­sa da pan­de­mia. Mas, este ano, vol­tou baten­do todos os recor­des. Em ape­nas cin­co dias foram tran­sa­ci­o­na­dos R$ 5 bilhões em aqui­si­ções de máqui­nas e equi­pa­men­tos, semen­tes e ani­mais, com a par­ti­ci­pa­ção de 563 expo­si­to­res, que foram visi­ta­dos por 263 mil pes­so­as, em cer­ca de 100 hec­ta­res de fei­ra. Vem gen­te de vári­os Ees­ta­dos do Bra­sil e tam­bém do exte­ri­or. Os hotéis das cida­des vizi­nhas, num raio de 100 km, ficam lotados. 

A Expo­di­re­to é um con­jun­to de even­tos para públi­cos dis­tin­tos. Isso atrai pro­du­to­res e pro­fis­si­o­nais de grãos e das cadei­as de pro­teí­na ani­mal. Pela segun­da vez eu par­ti­ci­pei do Fórum do Lei­te e pude dis­cu­tir com as lide­ran­ças e os pro­fis­si­o­nais do setor as novas ten­dên­ci­as que come­çam a ficar evi­den­tes no setor lácteo.

Tam­bém vivi outra expe­ri­ên­cia pro­fis­si­o­nal mui­to inte­res­san­te na Expo­di­re­to des­te ano, ao fazer uma apre­sen­ta­ção na Are­na Digi­tal. É um espa­ço que lem­bra uma estru­tu­ra cir­cen­se e que abri­gou 36 empre­sas de todos os seg­men­tos, todas mui­to bem posi­ci­o­na­das no mer­ca­do. Elas deci­di­ram adqui­rir estan­des na are­na digi­tal por­que bus­cam inte­ra­ção com um públi­co ávi­do por infor­ma­ções sobre ino­va­ção no agro­ne­gó­cio. São jovens de todas as ida­des que bus­cam na Are­na Digi­tal o vín­cu­lo com as novi­da­des que não param de che­gar no setor.

Eu me vin­cu­lei à Expo­di­re­to exa­ta­men­te por este tema: a ino­va­ção. Esse é um assun­to que encan­ta os eco­no­mis­tas, des­de Adam Smith, o pri­mei­ro a enten­der a ino­va­ção que as máqui­nas esta­vam tra­zen­do no modo de pro­du­ção, ao pon­to de ter cri­a­do o capi­ta­lis­mo. Em 2019, a Cotri­jal nos con­vi­dou a levar para a fei­ra as star­tups ven­ce­do­ras do Ide­as for Milk de 2018. A Cotri­jal mon­tou um estan­de de 64 m² e cus­te­ou a ida dos jovens. As star­tups ganha­ram sua pri­mei­ra vitri­ne e pude­ram inte­ra­gir com um públi­co imen­so. E fecha­ram negó­ci­os! Essa expe­ri­ên­cia exi­to­sa se repe­tiu em 2020.

Mas a moti­va­ção da Cotri­jal em levar esses jovens foi mui­to além do que é per­cep­tí­vel num pri­mei­ro olhar. O que eles bus­ca­vam era mudar a manei­ra de pen­sar dos pro­du­to­res e dos téc­ni­cos da pró­pria coo­pe­ra­ti­va. A Cotri­jal per­ce­beu, pre­ma­tu­ra­men­te, que os jovens das star­tups pode­ri­am ser o vetor da dis­se­mi­na­ção da lógi­ca des­te novo mun­do que esta­mos viven­do, o do Lei­te 4.0. Em vez de dis­cur­so evan­ge­li­za­dor, inte­ra­gir com quem faz ino­va­ção na prá­ti­ca – eis o lema!

Todos nós uti­li­za­mos os apli­ca­ti­vos de celu­lar vári­as vezes ao dia e o seu uso como tele­fo­ne dei­xou de ser a prin­ci­pal fun­ção. Não vamos mais a ban­cos, não com­pra­mos jor­nal impres­so e todos nós nos comu­ni­ca­mos pelos apli­ca­ti­vos de men­sa­gens. Então, é pre­ci­so dis­se­mi­nar tam­bém os apli­ca­ti­vos espe­cí­fi­cos para os pro­du­to­res de lei­te. É pre­ci­so apre­sen­tar aos pro­du­to­res os apli­ca­ti­vos que moni­to­ram ani­mais e per­mi­tem saber o momen­to da inse­mi­na­ção, se algu­ma doen­ça está se ini­ci­an­do ou outro des­con­for­to está inter­fe­rin­do no bem-estar dos animais. 

Ao levar as star­tups do Ide­as For Milk para a Expo­di­re­to, a Cotri­jal popu­la­ri­zou esse novo con­cei­to de ges­tão da pro­pri­e­da­de jun­tos aos seus coo­pe­ra­dos. São pro­du­to­res fami­li­a­res ávi­dos por incor­po­rar solu­ções que sejam aces­sí­veis, fáceis de ser mane­ja­das. Nes­ses que­si­tos, as solu­ções cri­a­das pelas star­tups são imba­tí­veis. Então, na Expo­di­re­to, os pro­du­to­res e seus filhos visi­ta­ram o estan­de das star­tups e inte­ra­gi­ram dire­ta­men­te com elas. Além dis­so, o even­to apoi­ou o uso dos apli­ca­ti­vos pelos pro­du­to­res que qui­se­ram ade­rir, cobrin­do par­te dos cus­tos e pres­tan­do assis­tên­cia técnica. 

Pas­sa­dos ape­nas três anos, o que se vê hoje é uma ver­da­dei­ra revo­lu­ção. Os filhos dos pro­du­to­res per­ce­be­ram que a pro­pri­e­da­de cabe num celu­lar e que é esti­mu­lan­te cui­dar do negó­cio da famí­lia. Os ganhos de efi­ci­ên­cia téc­ni­ca e econô­mi­ca são visí­veis. A Cotri­jal está fazen­do trans­for­ma­ção digi­tal em pro­pri­e­da­des fami­li­a­res de lei­te e sedu­zin­do jovens. 

Por trás de tudo isso tem um jovem ide­a­lis­ta e sonha­dor. Ren­ne Gra­na­to, supe­rin­ten­den­te de novos negó­ci­os e pro­du­ção ani­mal da Cotri­jal, vis­lum­brou que é pos­sí­vel fide­li­zar pro­du­to­res e tor­ná-los empre­sá­ri­os do seu pró­prio negó­cio. Essa expe­ri­ên­cia mere­ce ser dis­se­mi­na­da, pois con­tri­bui­rá para que menos pro­du­to­res dei­xem a ati­vi­da­de e mais jovens fiquem no campo.