No mundo das lives - Digital Balde Branco

CRÔNICA

Paulo do Carmo Martins 

Chefe-geral da Embrapa Gado de Leite

 A Net­flix está aca­ban­do com a indús­tria cine­ma­to­grá­fi­ca como a conhe­ce­mos, com os fil­mes fei­tos por Hollywo­od e dis­tri­buí­dos em todo o mun­do. Ago­ra, exis­tem fil­mes fei­tos em todo o mun­do, que são con­su­mi­dos no celu­lar ou tablet e até mes­mo na tele­vi­são, se ela for inte­li­gen­te, ou seja, liga­da à internet”

No mundo das lives 

A pan­de­mia ain­da não aca­bou, mas já está evi­den­te a trans­for­ma­ção que dei­xou em nos­sas vidas. São des­de per­das de empre­gos, ren­das e vidas de pes­so­as que­ri­das, até a mudan­ça radi­cal de hábi­tos. Tive­mos de incor­po­rar rapi­da­men­te uma nova manei­ra de nos rela­ci­o­nar­mos, pro­du­zir­mos e con­su­mir­mos.

Para quem vive em pro­pri­e­da­des lei­tei­ras a pala­vra bios­se­gu­ri­da­de pas­sou ser uma das mais fala­das e ouvi­das. Na prá­ti­ca, sua popu­la­ri­za­ção indi­ca que mudou a roti­na da pro­pri­e­da­de. Ago­ra, é pre­ci­so mais do que prá­ti­cas de higi­e­ne que asse­gu­rem qua­li­da­de do lei­te. É pre­ci­so a ado­ção de prá­ti­cas seme­lhan­tes às ado­ta­das pelos pro­du­to­res de fran­gos e suí­nos há mui­to tem­po.

Esta­mos falan­do de trans­for­mar as pro­pri­e­da­des lei­tei­ras em ambi­en­tes que lem­bram mais CTI de hos­pi­tal do que aque­la bucó­li­ca fazen­da, que sem­pre ocu­pou o ima­gi­ná­rio de todos, seja­mos habi­tan­tes do cam­po ou das cida­des de qual­quer país do mun­do. Desin­fec­ção dos veí­cu­los que che­gam da cida­de, más­ca­ras faci­ais, reci­pi­en­tes de álco­ol 70% em vári­os locais e que este­jam dis­po­ní­veis facil­men­te, res­tri­ção de espa­ço fre­quen­ta­do por visi­tan­tes, espe­ci­al­men­te os ven­de­do­res, tudo isso são novos pro­ce­di­men­tos que estão sen­do ado­ta­dos nas pro­pri­e­da­des lei­tei­ras que estão levan­do a sério o Covid-19.

Mas há outra mudan­ça radi­cal na nos­sa manei­ra de ocu­par o tem­po não dedi­ca­do ao tra­ba­lho. De uma hora para outra sur­giu a pala­vra stre­a­ming, que na prá­ti­ca se tra­duz na liber­da­de de ver TV e ouvir rádio com o con­teú­do que esco­lhe­mos, na hora que deci­di­mos. Para mui­tos, estou me refe­rin­do à Net­flix ou ao Spotfy, duas pla­ta­for­mas super­co­nhe­ci­das. A Net­flix está aca­ban­do com a indús­tria cine­ma­to­grá­fi­ca como a conhe­ce­mos, com os fil­mes fei­tos por Hollywo­od e dis­tri­buí­dos em todo o mun­do. Ago­ra, exis­tem fil­mes fei­tos em todo o mun­do, que são con­su­mi­dos no celu­lar ou tablet e até mes­mo na tele­vi­são, se ela for inte­li­gen­te, ou seja, liga­da à inter­net. O mes­mo ocor­re com as músi­cas e os noti­ciá­ri­os, na pla­ta­for­ma de áudio cha­ma­da Spo­tify.

Mas exis­te uma outra pla­ta­for­ma de imen­sa impor­tân­cia, que é o velho e popu­lar You­tu­be, cri­a­do há quin­ze anos, que pas­sou a ser ain­da mais útil nes­te novo mun­do em qua­ren­te­na. É que ali fica depo­si­ta­da boa par­te das lives rea­li­za­das ao lon­go de cada dia. Sim, são tan­tas que ocor­rem no mes­mo dia, sobre tão vari­a­dos assun­tos, que ficou impos­sí­vel acom­pa­nhá-las ao vivo. Há seis meses, lives eram for­mas de comu­ni­ca­ção dire­ta e ao vivo, entre um con­jun­to sele­to de espe­ci­a­lis­tas com pes­so­as inte­res­sa­das em apren­der sobre um con­teú­do espe­cí­fi­co. Eram qua­se aulas, em geral com dura­ção de duas horas ou até mais, assis­ti­das ao vivo pelo You­tu­be.

Nos pri­mei­ros dias da pan­de­mia, como a mai­o­ria de nós está­va­mos con­fi­na­dos em casa, sur­gi­ram as lives trans­mi­ti­das todas as noi­tes pelo Face­bo­ok e Ins­ta­gram. Até os canais de TV come­ça­ram a fazer lives. O horá­rio esco­lhi­do para a trans­mis­são ao vivo era às 19h00 e se pro­lon­ga­va até as 22h. Mui­to lon­gas e com mui­tos espe­ci­a­lis­tas falan­do em cada uma. Mas elas cres­ce­ram na mes­ma velo­ci­da­de da con­ta­mi­na­ção pelo Covid-19. E, como anti­ga­men­te fazía­mos com as nove­las, pas­sa­mos a ter as lives come­çan­do às 19h, às 20h, às 21h e até às 22h. Horá­rio todo pre­en­chi­do, pas­sa­ram a fazer às 18h, às 17h, às 16h, às 15h, às 14h, às 13h e até às 10h. O resul­ta­do do exces­so de ofer­ta de lives é que, quan­do uma atin­ge 40 pes­so­as, tem rea­li­za­dor que abre um espu­man­te para come­mo­rar.

Na Embra­pa temos um canal no You­tu­be de con­teú­do téc­ni­co excep­ci­o­nal. As dife­ren­tes uni­da­des de pes­qui­sa estão geran­do lives mara­vi­lho­sas sobre assun­tos ini­ma­gi­ná­veis. Lives têm sido fei­tas des­de ado­ção de téc­ni­cas espe­cí­fi­cas de plan­tio, até como fazer sua hor­ta em casa duran­te a pan­de­mia. E sem­pre com a isen­ção e a cre­di­bi­li­da­de que cri­a­ram a repu­ta­ção do nome Embra­pa.

Na Embra­pa Gado de Lei­te temos fei­to uma média de 1,2 por dia. Algu­mas acon­te­cem no âmbi­to da Repi­lei­te – Rede de Pes­qui­sa em Ino­va­ção em Lei­te. Se você ain­da não se asso­ci­ou a esta rede gra­tui­ta e man­ti­da por nós, não sabe o que está per­den­do. Entre no nos­so por­tal para ade­rir. Outras lives são pro­mo­vi­das pelo Labo­ra­tó­rio de Qua­li­da­de do Lei­te da Embra­pa. Há aque­las de ini­ci­a­ti­vas de enti­da­des que con­vi­dam mem­bros do nos­so cor­po téc­ni­co. Todas elas, após serem exi­bi­das ao vivo, ficam dis­po­ní­veis no Canal da Embra­pa do You­tu­be.

Outra rea­li­za­ção da Embra­pa é o Ide­as For Milk Lives, que têm três carac­te­rís­ti­cas impor­tan­tes. Todas elas abor­dam temas do mun­do do lei­te de modo mui­to ori­gi­nal, são rea­li­za­das por pes­so­as mui­to conhe­ci­das e res­pei­ta­das pela com­pe­tên­cia teó­ri­ca e prá­ti­ca e sua exi­bi­ção não ultra­pas­sa uma hora, ape­nas. Como tor­nar vacas e pes­so­as feli­zes, nutri­ção de pre­ci­são: no pas­to e no cocho, sani­da­de ani­mal na fazen­da do futu­ro e star­tups de suces­so no mun­do do lei­te são os títu­los das que rea­li­za­mos. Assis­ta ao vivo toda ter­ça-fei­ra às 17h ou veja depois no Canal da Embra­pa no You­tu­be. Adqui­ra este hábi­to sau­dá­vel e pra­ze­ro­so! .

Rolar para cima