Proibição da utilização indevida da palavra leite vira PL - Digital Balde Branco

Em setem­bro de 2017 a ABRA­LEI­TE Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra de Pro­du­to­res de Lei­te pro­to­co­lou um pedi­do jun­to à Fren­te Par­la­men­tar da Agro­pe­cuá­ria-FPA e à Comis­são de Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria da Câma­ra dos Depu­ta­dos, soli­ci­tan­do que a pro­pos­ta envi­a­da por esta Asso­ci­a­ção fos­se trans­for­ma­da em um pro­je­to de lei, visan­do proi­bir a uti­li­za­ção da pala­vra lei­te e as pala­vras que deter­mi­nam os deri­va­dos de lei­te, por pro­du­tos de ori­gem vege­tal que não são lei­te e nem deri­va­dos de lei­te, mas que de for­ma inde­vi­da uti­li­zam estas terminologias.

Esse pro­je­to de lei (PL 10556/2018) tem mui­ta impor­tân­cia para toda a cadeia pro­du­ti­va de lei­te naci­o­nal, bem como para os con­su­mi­do­res de lei­te e deri­va­dos lác­te­os de todo país, pois a par­tir do momen­to que esti­ver san­ci­o­na­do como lei, não have­rá mais uma com­pe­ti­ção desarmô­ni­ca entre pro­du­tos de ori­gem vege­tal com pro­du­tos de ori­gem ani­mal e nem o con­su­mi­dor con­ti­nu­a­rá sen­do indu­zi­do ao erro, em con­su­mir pro­du­tos que não são de ori­gem ani­mal, ou seja, não são lei­te e nem deri­va­dos do lei­te, mas que estão no mer­ca­do iden­ti­fi­ca­dos de for­ma erra­da, uti­li­zan­do a pala­vra lei­te e outras pala­vras desig­na­das aos seus deri­va­dos, quan­do na ver­da­de são extra­tos vege­tais, sucos vege­tais e pro­du­tos deri­va­dos de vege­tais que se pas­sam por quei­jo e por outros pro­du­tos lác­te­os sem ter as mes­mas carac­te­rís­ti­cas, sobre­tu­do de ori­gem e na for­ma de dis­po­ni­bi­li­za­ção de pro­teí­nas, vita­mi­nas e minerais.

Toda clas­se pro­du­to­ra de lei­te e toda a soci­e­da­de sai­rão ganhan­do com esta lei em vigor, pois aca­ba­rá a con­cor­rên­cia des­le­al que exis­te hoje com o lei­te e seus deri­va­dos e tam­bém aju­da­rá a clas­se con­su­mi­do­ra a não ser mais indu­zi­da ao erro de con­su­mir pro­du­tos que não são lei­te e não são deri­va­dos de leite.

Ago­ra, depois que a pro­pos­ta de um estu­do de pro­je­to de lei que foi fei­ta pela ABRA­LEI­TE em setem­bro de 2017 se tor­nou um pro­je­to de lei bem ela­bo­ra­do, bem emba­sa­do e revi­sa­do por asses­so­ria legis­la­ti­va e que já está assi­na­do pela auto­ra que é a depu­ta­da Tere­za Cris­ti­na, pre­si­den­te da Fren­te Par­la­men­tar da Agro­pe­cuá­ria-FPA, a ABRA­LEI­TE se empe­nha­rá em fazer com que esse pro­je­to de lei tra­mi­te rapi­da­men­te den­tro do Con­gres­so, para o mais rápi­do pos­sí­vel se tor­nar lei com ver­da­dei­ros bene­fí­ci­os à clas­se pro­du­to­ra e à toda soci­e­da­de brasileira.

A ABRA­LEI­TE agra­de­ce mui­to a auto­ra do pro­je­to, Depu­ta­da Tere­za Cris­ti­na, a toda sua asses­so­ria e à FPA, que pron­ta­men­te abra­ça­ram a cau­sa jun­to com a ABRA­LEI­TE em prol da cons­tru­ção de um exce­len­te pro­je­to de lei, que cer­ta­men­te será uma lei de gran­de impor­tân­cia nacional.

 

Rolar para cima