Novas regras para torneios leiteiros - Digital Balde Branco

As mudan­ças devem garan­tir não só o bem-estar ani­mal, mas tam­bém a melho­ria da ima­gem e da qua­li­da­de do leite

A par­tir de 2017, os con­cur­sos lei­tei­ros terão de aten­der a novas deter­mi­na­ções para garan­tir o bem-estar ani­mal e as boas prá­ti­cas de orde­nha. As mudan­ças foram con­cluí­das no últi­mo dia 14 de dezem­bro, em Bra­sí­lia-DF, duran­te reu­nião que con­tou com a pre­sen­ça de repre­sen­tan­tes da ABCZ-Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Zebu, do Depar­ta­men­to de Desen­vol­vi­men­to das Cadei­as Pro­du­ti­vas e da Pro­du­ção Sus­ten­tá­vel do Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to, da CNA-Con­fe­de­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria do Bra­sil, da Unesp-Uni­ver­si­da­de Esta­du­al Pau­lis­ta, da Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Gir Lei­tei­ro, da Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Bovi­nos da Raça Holan­de­sa e da Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Girolando.

O dire­tor da ABCZ, Edu­ar­do Fal­cão, par­ti­ci­pou das reu­niões para ela­bo­ra­ção da Nor­ma­ti­va e acre­di­ta que as mudan­ças são impor­tan­tes para garan­tir não só o bem-estar ani­mal, mas tam­bém a melho­ria na qua­li­da­de do lei­te pro­du­zi­do nos con­cur­sos lei­tei­ros e da ima­gem do lei­te peran­te o con­su­mi­dor. “Os tor­nei­os aju­dam a pro­mo­ver as raças lei­tei­ras, mos­tran­do o gran­de poten­ci­al gené­ti­co dos ani­mais para o públi­co em geral e, por isso, pre­ci­sam ocor­rer sem­pre em sin­to­nia com o con­cei­to de pecuá­ria sus­ten­tá­vel. Assim, con­se­gui­re­mos for­ta­le­cer a ima­gem da cadeia lei­tei­ra jun­to ao con­su­mi­dor final.”, diz Falcão.

A Nor­ma­ti­va deve ser publi­ca­da no pri­mei­ro tri­mes­tre de 2017 e já será apli­ca­da no tor­neio lei­tei­ro da Expo­Ze­bu 2017, que terá as orde­nhas rea­li­za­das de 29 de abril a 3 de maio. Den­tre as diver­sas deter­mi­na­ções da nor­ma, algu­mas são: a proi­bi­ção do uso de medi­ca­men­tos, a fis­ca­li­za­ção do con­cur­so por um pro­fis­si­o­nal cre­den­ci­a­do pelo Con­se­lho Regi­o­nal de Medi­ci­na Vete­ri­ná­ria, a ado­ção das boas prá­ti­cas de orde­nha e o alo­ja­men­to dos ani­mais nos pavi­lhões seguin­do as nor­mas de bem-estar.

Outra alte­ra­ção diz res­pei­to à defi­ni­ção das cam­peãs dos con­cur­sos lei­tei­ros. A pre­mi­a­ção não será mais para a vaca que pro­du­zir mai­or volu­me de lei­te e, sim, a que atin­gir melhor desem­pe­nho com base em volu­me, pro­teí­na e gor­du­ra. Para che­gar a esse índi­ce, foi esta­be­le­ci­da a fór­mu­la LCST (Lei­te Cor­ri­gi­do para Sóli­dos Totais): (12,3X gra­ma de gor­du­ra) + (6,56X gra­ma de sóli­dos não gor­du­ro­sos) – (0,0752X kg de leite).

Rolar para cima