O consumo de creme de leite em números - Digital Balde Branco

LEITE EM NÚMEROS

Kennya B. Siqueira 

Pesquisadora da Embrapa Gado de Leite

O consumo de creme de leite em números

O incremento de consumo per capita, nos últimos tempos, foi de 61%, sendo um dos mais significativos dentro de segmento lácteo

O cre­me de lei­te é um deri­va­do do lei­te que apre­sen­tou cres­ci­men­to sig­ni­fi­ca­ti­vo de ven­das ao lon­go das últi­mas duas déca­das. De acor­do com a Kan­tar, o pro­du­to está pre­sen­te em mais de 89% das resi­dên­ci­as bra­si­lei­ras, apre­sen­tan­do, por­tan­to, um nível de pene­tra­ção menor ape­nas do que do lei­te UHT. O con­su­mo de cre­me de lei­te vem cres­cen­do a cada ano no Bra­sil e de acor­do com a últi­ma Pes­qui­sa Indus­tri­al Anu­al, rea­li­za­da em 2018, sua pro­du­ção ultra­pas­sou a mar­ca de 479 mil tone­la­das ao ano com um valor de ven­da total de mais de R$ 2,4 milhões.

A Por­ta­ria n° 146 do Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Pecuá­ria e Abas­te­ci­men­to esta­be­le­ce que cre­me de lei­te é o pro­du­to lác­teo rela­ti­va­men­te rico em gor­du­ra reti­ra­do do lei­te por pro­ce­di­men­to tec­no­lo­gi­ca­men­te ade­qua­do, que apre­sen­ta a for­ma de uma emul­são de gor­du­ra em água. Devi­do a sua seme­lhan­ça nutri­ci­o­nal com o lei­te inte­gral, do qual dife­re ape­nas quan­to ao teor de gor­du­ra que deve estar pre­sen­te em uma con­cen­tra­ção míni­ma de 10%, o cre­me de lei­te geral­men­te é usa­do como ingre­di­en­te para diver­sas pre­pa­ra­ções culinárias.

Por essa ver­sa­ti­li­da­de de apli­ca­ção em recei­tas, o con­su­mo de cre­me de lei­te cres­ceu dois dígi­tos nos últi­mos tem­pos (Figu­ra 1). De acor­do com os dados da Pes­qui­sa de Orça­men­tos Fami­li­a­res (POF) do IBGE, o con­su­mo per capi­ta de cre­me de lei­te no Bra­sil era de 291 gra­mas em 2002–2003. Até 2008–2009, esse con­su­mo cres­ceu 32%, che­gan­do a 384 g/hab/ano. Na últi­ma POF, de 2017–2018, os bra­si­lei­ros atin­gi­ram o nível de 469 g/pessoa/ano, o que equi­va­le a um incre­men­to de 22% em rela­ção a 2008–2009. Com isso, no perío­do todo, o incre­men­to de con­su­mo per capi­ta foi de 61%, sen­do um dos mais sig­ni­fi­ca­ti­vos den­tro de seg­men­to lácteo.

Assim como outros ali­men­tos, o con­su­mo de cre­me de lei­te varia entre as regiões bra­si­lei­ras (Figu­ra 2). A região Sul se des­ta­ca com a mai­or taxa de con­su­mo: 729 g/hab/ano, mais de 50% mai­or que o con­su­mo médio bra­si­lei­ro e mais de duas vezes mai­or que o con­su­mo da região Nor­des­te, região com menor nível médio de con­su­mo do Brasil.

No ran­king dos esta­dos que mais con­so­mem cre­me de lei­te no Bra­sil, San­ta Cata­ri­na apa­re­ce em pri­mei­ro lugar, segui­do de Para­ná, Dis­tri­to Fede­ral, Rio Gran­de do Sul, São Pau­lo, Goiás e Rio Gran­de do Nor­te. Ape­sar de ser o mais rico do País e um dos mai­o­res pro­du­to­res de cre­me de lei­te, o esta­do de São Pau­lo apa­re­ce ape­nas como quin­to na lis­ta dos gran­des con­su­mi­do­res de cre­me de lei­te, demons­tran­do que o nível de ren­da da popu­la­ção não é sufi­ci­en­te para jus­ti­fi­car o mai­or con­su­mo des­se deri­va­do lácteo.

Essas dife­ren­ças esta­du­ais no con­su­mo de cre­me de lei­te podem reve­lar dife­ren­ças nos hábi­tos de con­su­mo de cada popu­la­ção. Como o cre­me de lei­te é geral­men­te usa­do em recei­tas e não con­su­mi­do indi­vi­du­al­men­te, o seu con­su­mo ten­de a ser mai­or em locais que inves­tem no pre­pa­ro das suas pró­pri­as refei­ções e quitutes.

Co-auto­res: Clé­ri­son Wag­ner Nas­ci­men­to, estu­dan­te de mes­tra­do em Ciên­cia e Tec­no­lo­gia do Lei­te e Deri­va­dos da UFJF; Ygor Mar­tins, estu­dan­te de Ciên­ci­as Econô­mi­cas da UFJF; Loril­do Aldo Stock, ana­lis­ta da Embrapa.