O leite justo - Digital Balde Branco

OPINIÃO

Roberta Züge

diretora administrativa do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e diretora de Inteligência Científica Milk.Wiki

O leite justo

Em alguns paí­ses da comu­ni­da­de euro­peia, a orga­ni­za­ção Euro­pe­an Milk Board e seus mem­bros usam o slo­gan “Die fai­re Mil­ch” para cha­mar a aten­ção para a neces­si­da­de de pre­ços jus­tos do lei­te jun­to aos con­su­mi­do­res. Para além das suas ati­vi­da­des polí­ti­cas e econô­mi­cas, os pro­du­to­res de lei­te euro­peus envi­am um sinal ati­vo e visí­vel com foco na pro­du­ção que via­bi­li­ze as peque­nas pro­pri­e­da­des.

Comum a todas as ini­ci­a­ti­vas Fair Milk é o pre­ço jus­to ao pro­du­tor. Uma remu­ne­ra­ção cal­cu­la­da de modo que o pre­ço pago cubra os cus­tos de pro­du­ção e per­mi­te que os agri­cul­to­res admi­nis­trem suas fazen­das de manei­ra sus­ten­tá­vel. Por­que somen­te por meio de uma polí­ti­ca de pre­ços jus­tos a agri­cul­tu­ra fami­li­ar pode per­ma­ne­cer no mer­ca­do no lon­go pra­zo, pro­du­zir lei­te de alta qua­li­da­de e con­tri­buir para a pre­ser­va­ção da pai­sa­gem cul­tu­ral rural.

Não há como cri­ar requi­si­tos sem que o cus­to seja repas­sa­do ao pre­ço. Mui­tos cida­dãos euro­peus exi­gem que seus pro­du­to­res tenham ações de sus­ten­ta­bi­li­da­de, em todas as esfe­ras e boas prá­ti­cas na pro­du­ção. No entan­to, com isso há incre­men­to de cus­to. Com esta ini­ci­a­ti­va, a ideia é pro­por­ci­o­nar que os pro­du­to­res se man­te­nham na ati­vi­da­de, que cum­pram os con­cei­tos de pro­du­ção jus­ta, demons­tran­do ao con­su­mi­dor que estão cum­prin­do os requi­si­tos soli­ci­ta­dos por eles.

O setor enfa­ti­za que a pro­du­ção do lei­te é mui­to com­ple­xa. Mas o paga­men­to que os pro­du­to­res de lei­te rece­bem por seu lei­te tem caí­do cons­tan­te­men­te des­de 2001. Ao mes­mo tem­po, os cus­tos de pro­du­ção (por exem­plo, cus­tos de ali­men­ta­ção, cus­tos de arren­da­men­to) aumen­ta­ram rapi­da­men­te. Deze­nas de milha­res de pro­du­to­res dei­xa­ram a ati­vi­da­de – com con­sequên­ci­as dra­má­ti­cas para mui­tas regiões da Euro­pa.

Para eles, para con­tra­ri­ar este desen­vol­vi­men­to, são neces­sá­ri­os pre­ços ao pro­du­tor de lei­te que cubram os cus­tos. Com este obje­ti­vo comum, pro­du­to­res de lei­te em mui­tos paí­ses e em toda a Euro­pa uni­ram for­ças no Euro­pe­an Milk Board.

A ins­ti­tui­ção garan­te que um pre­ço jus­to do lei­te per­mi­te a con­ti­nui­da­de da pro­du­ção domés­ti­ca de lei­te em todas as regiões da Euro­pa. As fazen­das lei­tei­ras e a pai­sa­gem cul­tu­ral his­to­ri­ca­men­te cul­ti­va­da podem ser pre­ser­va­das. Isso é bom para os agri­cul­to­res e para todos os que vivem no cam­po ou que lá pas­sam féri­as. E é bom para os con­su­mi­do­res. A agri­cul­tu­ra sus­ten­tá­vel e o tra­ta­men­to cui­da­do­so da natu­re­za con­fe­rem às zonas rurais um futu­ro econô­mi­co e garan­tem a sobe­ra­nia ali­men­tar da Euro­pa.

Des­de minha mudan­ça, nes­te perío­do sabá­ti­co que tenho vivi­do em Luxem­bur­go, já pude per­ce­ber o quan­to a pro­du­ção de lei­te faz par­te da soci­e­da­de. Em pou­cos minu­tos de qua­se todas as vil­les (os muni­cí­pi­os do país) as vacas de lei­te são vis­tas cons­tan­te­men­te. Sejam pelas jane­las do trem ou ôni­bus, sejam até mes­mo das casas das vil­les.

A pro­du­ção de lei­te é vis­ta como negó­cio, uma empre­sa mes­mo, e há mui­tos requi­si­tos que são exi­gi­dos. Mas, por outro lado, há ins­ti­tui­ções for­tes, repre­sen­ta­das por pro­du­to­res que bus­cam o bem comum, que lutam pelo equi­lí­brio da pro­du­ção. Assim como uma con­so­li­da­ção do lei­te jus­to. Ao mes­mo tem­po em que dig­ni­fi­cam a pro­du­ção lei­tei­ra, essas ins­ti­tui­ções tam­bém fomen­tam as exi­gên­ci­as em con­for­mi­da­de com as deman­das dos consumidores.

Rolar para cima