Paraná com novo programa para qualidade do leite - Digital Balde Branco

O Sebrae apre­sen­tou pro­pos­ta de par­ce­ria para que as usi­nas que par­ti­ci­pam do pro­gra­ma Lei­te das Cri­an­ças melho­rem a qualidade 

A ini­ci­a­ti­va, apre­sen­ta­da no últi­mo dia 8 de agos­to, em Curi­ti­ba-PR, faz par­te das ações do pro­je­to da Ali­an­ça Lác­tea Sul Bra­si­lei­ra, que reú­ne os três esta­dos do Sul. A ade­são é volun­tá­ria e con­ta com o aval da Secre­ta­ria de Esta­do da Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to, que tem como foco tor­nar o Para­ná o pri­mei­ro esta­do pro­du­tor de lei­te em qua­li­da­de. O secre­tá­rio Nor­ber­to Orti­ga­ra res­sal­tou a neces­si­da­de de pro­du­to­res e usi­nas se cons­ci­en­ti­za­rem da neces­si­da­de de inves­tir no lei­te, ten­do como obje­ti­vo a exportação.

A pro­pos­ta foi apre­sen­ta­da para repre­sen­tan­tes de 26 usi­nas for­ne­ce­do­ras do pro­gra­ma, que tem um cadas­tro total de 39 empre­sas. O Sebrae tem R$ 350 mil para inves­tir na par­ce­ria. Segun­do a coor­de­na­do­ra Andreia Clau­di­no, os recur­sos do Sebra­e­tec cobri­ri­am cer­ca de 70% dos cus­tos neces­sá­ri­os para melho­rar os indi­ca­do­res zoo­téc­ni­cos do lei­te. E as usi­nas devem par­ti­ci­par com 30% dos custos.

A pro­pos­ta será exe­cu­ta­da em par­ce­ria com a APC­BRH-Asso­ci­a­ção Para­na­en­se de Cri­a­do­res de Bovi­nos da Raça Holan­de­sa, que man­tém um labo­ra­tó­rio para ava­li­a­ção. E tam­bém com o Senar, Ema­ter, Oce­par e Faep.

Segun­do Clau­di­no, essa pro­pos­ta é um pilo­to, que pode ser esten­di­da para os demais seto­res, depen­den­do dos resul­ta­dos. As usi­nas que ade­ri­rem assu­mem o com­pro­mis­so de repas­sar as nor­mas para melho­ria da qua­li­da­de aos pro­du­to­res par­cei­ros. Os índi­ces serão afe­ri­dos pelo labo­ra­tó­rio da APC­BRH que vão indi­car o avan­ço ou não das ações.

Na par­ce­ria, o Senar vai pro­mo­ver cur­sos e trei­na­men­tos com os pro­du­to­res para que eles melho­rem em aspec­tos como nutri­ção, sani­da­de e gené­ti­ca. “Enfim, tem espa­ço para a melho­ria dos índi­ces zoo­téc­ni­cos que podem con­tri­buir para ele­var a ren­da para os pro­du­to­res a par­tir dos avan­ços em qua­li­da­de do lei­te”, dis­se a repre­sen­tan­te do Sebrae.

Orti­ga­ra dis­se que esse pilo­to, que depen­de da ade­são e do envol­vi­men­to de pro­du­to­res, faz par­te de um pro­je­to mai­or para tor­nar o Para­ná um gran­de pro­du­tor com qua­li­da­de, para expor­ta­ção. O Esta­do pro­duz hoje 4,8 bilhões de litros de lei­te por ano e movi­men­ta um fatu­ra­men­to bru­to de R$ 6 bilhões em Valor Bru­to da Produção.

“O pró­xi­mo levan­ta­men­to sobre pro­du­ção de lei­te no País a ser divul­ga­do em bre­ve pelo IBGE deve con­so­li­dar o Para­ná como o segun­do mai­or pro­du­tor. “Avan­ça­mos bas­tan­te e vamos avan­çar ain­da mais com as par­ce­ri­as para o aper­fei­ço­a­men­to dos pro­ces­sos de pro­du­ção”, dis­se, res­sal­tan­do a neces­si­da­de de gerar uma maté­ria-pri­ma mais qua­li­fi­ca­da para a pro­du­ção de mai­or valor agre­ga­do, que é o que vai per­mi­tir os avan­ços e evo­lu­ção na ati­vi­da­de, avisou.

Orti­ga­ra des­ta­cou ain­da que a Secre­ta­ria da Agri­cul­tu­ra e Ema­ter inves­tem na con­so­li­da­ção de polos pro­du­to­res de lei­te como o Sudo­es­te, que hoje é a mai­or bacia lei­tei­ra do esta­do, em volu­me. Citou tam­bém a região Oes­te, que é a segun­da mai­or bacia. E os Cam­pos Gerais, cam­peões em tec­no­lo­gia de pro­du­ção. “Esse esfor­ço que exi­ge pla­ne­ja­men­to de ações tam­bém está sen­do fei­to para con­so­li­da­ção de baci­as lei­tei­ras nas regiões Nor­te Pio­nei­ro, Noro­es­te e Are­ni­to”, acrescentou.

O repre­sen­tan­te da Faep/Senar, Ronei Vol­pi, dis­se que os pro­du­to­res e donos de lati­cí­ni­os devem par­ti­ci­par des­se pro­je­to que repre­sen­ta uma gran­de opor­tu­ni­da­de de avan­ço. “Pre­ci­sa­mos arre­ga­çar as man­gas e tra­ba­lhar com ges­tão da pro­pri­e­da­de, nutri­ção, saú­de e gené­ti­ca dos ani­mais”, afir­mou. Para dri­blar as que­das nos pre­ços do lei­te, ele incen­ti­vou os pro­du­to­res a tra­ba­lha­rem com redu­ção de custos.

Rolar para cima