Qualidade do leite: análise mais ágil no PR - Digital Balde Branco

Novo equi­pa­men­to para ana­li­sar a qua­li­da­de do lei­te foi ins­ta­la­do no labo­ra­tó­rio da APC­BRH. Sua capa­ci­da­de é de 600 amostras/hora

O con­tro­le de qua­li­da­de do lei­te pro­du­zi­do no Para­ná ganha mais capa­ci­da­de e agi­li­da­de com a recen­te aqui­si­ção de uma ana­li­sa­do­ra ele­trô­ni­ca de lei­te pela Asso­ci­a­ção Para­na­en­se de Cri­a­do­res de Bovi­nos de Raça Holan­de­sa. Segun­do o secre­tá­rio da Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do, Nor­ber­to Orti­ga­ra, o moni­to­ra­men­to da maté­ria-pri­ma é fun­da­men­tal para dar mai­or garan­tia ao pro­ces­sa­men­to dos pro­du­tos lác­te­os, assim como tam­bém para o lei­te in natura.

“A máqui­na ago­ra ins­ta­la­da vai tor­nar mais aces­sí­vel a aná­li­se do lei­te aos pro­du­to­res, ampli­an­do o con­tro­le do pro­du­to no Para­ná”, comen­tou. Para José Augus­to Horst, geren­te do Pro­gra­ma de Aná­li­se de Reba­nho Lei­tei­ro do Para­ná, o equi­pa­men­to é um dos mais moder­nos do mun­do na fun­ção e iden­ti­fi­ca de uma só vez vári­os índi­ces da com­po­si­ção do lei­te. O inves­ti­men­to foi de R$ 1,5 milhão, e a Secre­ta­ria do Esta­do par­ti­ci­pou com R$ 490 mil.

A nova máqui­na tem capa­ci­da­de para fazer 600 aná­li­ses de lei­te por hora e iden­ti­fi­ca os índi­ces de gor­du­ra, pro­teí­na, lac­to­se, ureia, caseí­na, além con­ta­gem de célu­las somá­ti­cas. Segun­do Horst, os exa­mes são fei­tos tan­to em amos­tras de ani­mais indi­vi­du­ais como amos­tras de lei­te em con­jun­to. O labo­ra­tó­rio aten­de pro­du­to­res de lei­te de todo o Para­ná, fazen­do men­sal­men­te 200 mil exa­mes, sen­do 60 mil de aná­li­se de lei­te indi­vi­du­al e o res­tan­te de amos­tra de tanque.

A pro­du­ção de lei­te segue em cons­tan­te expan­são no Esta­do, que é o segun­do mai­or pro­du­tor do País, ultra­pas­san­do o Rio Gran­de do Sul, que ocu­pa­va essa posi­ção até 2014. No perío­do de 2005 a 2014, o acrés­ci­mo em volu­me cap­ta­do foi de 76%. A região sudo­es­te do Esta­do cres­ceu mui­to tam­bém em pro­du­ti­vi­da­de nos últi­mos anos. Dos 20 mai­o­res pro­du­to­res naci­o­nais, cin­co são para­na­en­ses, fican­do o muni­cí­pio de Cas­tro em pri­mei­ro lugar com apro­xi­ma­da­men­te 240 milhões de litros produzidos.

Rolar para cima