“Reencontros” será tema da 22ª edição do Agroleite - Digital Balde Branco

CURTAS

“Reencontros” será tema da 22ª edição do Agroleite

A 22ª edi­ção do Agro­lei­te, que será rea­li­za­do em Cas­tro, no Para­ná, de 16 a 20 de agos­to, mar­ca­rá a reto­ma­da pre­sen­ci­al do Agro­lei­te, com o tema “reen­con­tros”. Depois de dois anos de ausên­cia pre­sen­ci­al, colo­ca­dos na linha do tem­po do Agro­lei­te, como par­te de um momen­to his­tó­ri­co mun­di­al, a expo­si­ção está de vol­ta e vai pro­mo­ver o reen­con­tro da cadeia pro­du­ti­va do lei­te na Amé­ri­ca Lati­na. A geren­te do Agro­lei­te, Lei­la Dio­ne, expli­ca que o tema, além de pau­tar toda a comu­ni­ca­ção e a divul­ga­ção do even­to, vai nor­te­ar as bases da orga­ni­za­ção. “O obje­ti­vo de tra­zer sem­pre uma temá­ti­ca a cada edi­ção é o de enga­jar e ampli­fi­car a men­sa­gem na cons­tru­ção do Agro­lei­te. Tive­mos, lá em 2019, ‘Um novo olhar’, e, depois de atra­ves­sar­mos esse perío­do tris­te e desa­fi­a­dor da his­tó­ria mun­di­al, vamos pro­mo­ver o encon­tro e reen­con­tro de pes­so­as com a expec­ta­ti­va de ter­mos uma edi­ção lin­da, mar­can­te e de bons resul­ta­dos”, dis­se Lei­la Dione.

REHAGRO FIRMA PARCERIA COM A UNIÓN AGRONEGÓCIO

O Reha­gro, que há 19 anos ofe­re­ce solu­ções com­ple­tas para o agro­ne­gó­cio bra­si­lei­ro, anun­cia uma par­ce­ria de suces­so com a Unión Agro­ne­gó­cio. A Unión fica sedi­a­da na Bolí­via e é líder na trans­fe­rên­cia e ino­va­ção tec­no­ló­gi­ca para o bem-estar ani­mal naque­le país. Essa ali­an­ça repre­sen­ta o iní­cio da expan­são do Reha­gro na Amé­ri­ca Lati­na. A empre­sa leva­rá toda a exper­ti­se de atu­a­ção no agro­ne­gó­cio bra­si­lei­ro para a Bolí­via. O pri­mei­ro pas­so será a aber­tu­ra de um labo­ra­tó­rio de aná­li­ses de ali­men­tos para aten­der à deman­da de pro­du­to­res e da agroin­dús­tria boli­vi­a­na que requei­ram sis­te­mas de aná­li­ses de infor­ma­ção mais pre­ci­sos para tomar melho­res deci­sões sobre die­tas, pas­ta­gens e com­po­si­ção dos ali­men­tos para o gado. Serão lan­ça­dos tam­bém dois cur­sos na Bolí­via, um deles para geren­tes e pro­pri­e­tá­ri­os de fazen­das de gado de corte.

CRESCE A CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE LEITE EM SC 

A ten­dên­cia é uni­ver­sal: con­cen­trar para oti­mi­zar. A Fede­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pecuá­ria do Esta­do de San­ta Cata­ri­na (Faesc) está pre­o­cu­pa­da com um fenô­me­no que ocor­re no cam­po: o inten­so aban­do­no da ati­vi­da­de lei­tei­ra por pro­du­to­res rurais. Na déca­da de 1990 – de acor­do com dados da Secre­ta­ria da Agri­cul­tu­ra – exis­ti­am em ter­ri­tó­rio cata­ri­nen­se 75.000 pro­du­to­res de lei­te. Ago­ra, em 2022, são ape­nas 24.000 pro­du­to­res. “Essa bru­tal redu­ção de 68% do núme­ro de esta­be­le­ci­men­tos rurais dedi­ca­dos à pecuá­ria lei­tei­ra está levan­do a uma for­te con­cen­tra­ção da pro­du­ção, obser­va o vice-pre­si­den­te da Faesc, Eno­ri Bar­bi­e­ri. Nos últi­mos três anos, veri­fi­cou-se a mai­or taxa de aban­do­no, con­sequên­cia da con­ju­ga­ção de vári­os fato­res, como as secas, que redu­zi­ram a ofer­ta de ali­men­to para o gado e a cri­se econô­mi­ca, que acha­tou o poder de con­su­mo da população.

IZ: TERAPIAS ALTERNATIVAS PARA MELHORIA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE DO LEITE 

Para trans­fe­rir a tec­no­lo­gia gera­da por meio da pes­qui­sa cien­tí­fi­ca ao setor pro­du­ti­vo, a Secre­ta­ria de Agri­cul­tu­ra e Abas­te­ci­men­to do Esta­do de São Pau­lo, por meio do Ins­ti­tu­to de Zoo­tec­nia (IZ-Apta), dis­po­ni­bi­li­za um webi­nar, com vári­os pes­qui­sa­do­res, sobre a Entre­ga Tec­no­ló­gi­ca refe­ren­te a “Tera­pi­as Alter­na­ti­vas para Melho­ria da Pro­du­ção e Qua­li­da­de do Lei­te”. Luiz Car­los Roma Jr., dire­tor do Cen­tro de Pes­qui­sa do Desen­vol­vi­men­to de Bovi­nos Lei­tei­ros do IZ, expli­ca que a tera­pia alter­na­ti­va é uma das linhas de mai­or movi­men­ta­ção de pes­qui­sas, resul­ta­dos ino­va­do­res e pro­je­tos em anda­men­to, que, segun­do Roma, há alguns até “com poten­ci­ais para ino­va­ção e par­ce­ria com ini­ci­a­ti­va pri­va­da”. O webi­nar des­sa entre­ga tec­no­ló­gi­ca do IZ está dis­po­ní­vel no canal da Fun­dag, no Youtube.

São Paulo chega a 400 municípios atendidos pelo programa +Leite Saudável 

Des­de que foi ins­ti­tuí­do, em 2015, o Esta­do de São Pau­lo já soma 400 muni­cí­pi­os envol­vi­dos com ações do pro­gra­ma +Lei­te Sau­dá­vel, do Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra. Em núme­ro de muni­cí­pi­os abran­gi­dos pelo pro­gra­ma, ape­nas Minas Gerais supe­ra São Pau­lo. O Esta­do vizi­nho tem 680 cida­des envol­vi­das com o +Lei­te Sau­dá­vel, ou seja, qua­se 80% do total de muni­cí­pi­os. Em São Pau­lo, essa pro­por­ci­o­na­li­da­de che­ga a 62%. Até o momen­to, já foram usu­fruí­dos cré­di­tos da ordem de R$ 2,42 bilhões em São Pau­lo. O inves­ti­men­to em pro­je­tos che­gou a R$ 127,4 milhões, favo­re­cen­do qua­se 15 mil pro­du­to­res de lei­te. O +Lei­te Sau­dá­vel per­mi­te que essas orga­ni­za­ções uti­li­zem cré­di­tos pre­su­mi­dos do PIS/Pasep e da Cofins, rela­ti­vos à com­pra do lei­te in natu­ra uti­li­za­do como insu­mo de seus pro­du­tos lác­te­os, em até 50% do valor a que têm direi­to. Em con­tra­par­ti­da, elas devem apli­car 5% des­se cré­di­to pre­su­mi­do em ações que bene­fi­ci­em os pro­du­to­res de leite.l.

Ministério da Agricultura prorroga validade de registro genealógico de nascimento para RGD

O Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra aco­lheu o pedi­do da ABCZ e con­ce­deu novo pra­zo para os ani­mais com Regis­tros Gene­a­ló­gi­cos de Nas­ci­men­to com vali­da­de ven­ci­da obte­rem Regis­tros Gene­a­ló­gi­cos Defi­ni­ti­vos. A deci­são leva em con­si­de­ra­ção o cená­rio de pan­de­mia e é ampla e irres­tri­ta para todo ani­mal, sen­do a data final, 30/12/2022, esta­be­le­ci­da em cará­ter não pror­ro­gá­vel.
“É impor­tan­te que os cri­a­do­res revi­sem seus plan­téis e veri­fi­quem se há ani­mais nes­sas con­di­ções para não per­der essa últi­ma opor­tu­ni­da­de”, aler­ta o supe­rin­ten­den­te téc­ni­co da ABCZ, Luiz Anto­nio Josah­ki­an. “O Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, mais uma vez, mos­trou sen­sa­tez na deci­são, evi­tan­do que ani­mais per­des­sem sua con­di­ção de gené­ti­ca pura por uma ques­tão alheia à von­ta­de do cri­a­dor, já que a pan­de­mia difi­cul­tou os pro­ces­sos”, des­ta­cou o pre­si­den­te da ABCZ, Rival­do Macha­do Bor­ges Júnior.