Senar/MT: dias de campo ampliarão conhecimentos sobre cadeias produtivas - Digital Balde Branco

CURTAS

Senar/MT: dias de campo ampliarão conhecimentos sobre cadeias produtivas

Pro­du­to­res rurais pode­rão escla­re­cer dúvi­das e apro­fun­dar conhe­ci­men­tos sobre as nove cadei­as pro­du­ti­vas que serão abor­da­das nos 100 dias de cam­po pro­gra­ma­dos pela Assis­tên­cia Téc­ni­ca e Geren­ci­al (ATeG) do Ser­vi­ço Naci­o­nal de Apren­di­za­gem Rural de Mato Gros­so (Senar-MT). Os encon­tros ini­ci­am em 9 de junho e ocor­re­rão até mea­dos de julho, de for­ma simul­tâ­nea em todo o Esta­do. Have­rá dias de cam­po nas cadei­as de bovi­no­cul­tu­ra de lei­te, bovi­no­cul­tu­ra de cor­te, api­cul­tu­ra, pis­ci­cul­tu­ra, fru­ti­cul­tu­ra, ole­ri­cul­tu­ra, cafei­cul­tu­ra, ovi­no­cul­tu­ra e flo­ri­cul­tu­ra. Na bovi­no­cul­tu­ra de lei­te serão abor­da­dos os temas de pri­mei­ros socor­ros na zona rural, nutri­ção e mane­jo de orde­nha. Os pro­du­to­res apren­de­rão mais sobre téc­ni­cas de con­ser­va­ção de for­ra­gens, impor­tân­cia da ali­men­ta­ção, pro­ce­di­men­tos para desin­fec­ção dos tetos na orde­nha, entre outros.

Pesquisador da Embrapa Gado de Leite está entre os 100 melhores cientistas brasileiros

O ran­king é fei­to pelo Research.com, um dos prin­ci­pais sites de pes­qui­sa em zoo­tec­nia e medi­ci­na vete­ri­ná­ria do mun­do. A pri­mei­ra edi­ção do ran­king anu­al do Research.com traz o pes­qui­sa­dor Mar­cos Viní­cius G. Bar­bo­sa da Sil­va, da Embra­pa Gado de Lei­te, entre os 100 melho­res cien­tis­tas da área de Vete­ri­ná­ria e Zoo­tec­nia no Bra­sil. Além dele, outros cin­co pes­qui­sa­do­res da esta­tal estão na lis­ta: três da Embra­pa Pecuá­ria Sudes­te (Luci­a­na Regi­ta­no, Mau­rí­cio Mel­lo de Alen­car e Ana Caro­li­na Cha­gas); um da Embra­pa Recur­sos Gené­ti­cos e Bio­tec­no­lo­gia (Samu­el Pai­va), e um da Embra­pa Ama­pá (Mar­cos Tava­res Dias). Dos 145 arti­gos publi­ca­dos por Sil­va, o Research.com des­ta­ca 74 publi­ca­ções cien­tí­fi­cas cita­das, tota­li­zan­do 1.842 cita­ções dis­tri­buí­das entre os temas gené­ti­ca (47,93%), zoo­tec­nia (24,79%) e locus de carac­te­rís­ti­cas quan­ti­ta­ti­vas (27,27%). O pes­qui­sa­dor apa­re­ce na 63ª posi­ção da lis­ta naci­o­nal e na 1.428ª posi­ção da lis­ta mundial.

Agricultura prorroga validade de registro genealógico de nascimento para RGD

O Minis­té­rio da Agri­cul­tu­ra aco­lheu o pedi­do da Asso­ci­a­ção Bra­si­lei­ra dos Cri­a­do­res de Zebu (ABCZ) e con­ce­deu novo pra­zo para que os ani­mais com Regis­tros Gene­a­ló­gi­cos de Nas­ci­men­to com vali­da­de ven­ci­da pos­sam obter Regis­tros Gene­a­ló­gi­cos Defi­ni­ti­vos. A deci­são é ampla e irres­tri­ta para todo ani­mal, sen­do a data final para con­ces­são de RGD o dia 30/12/2022, data esta­be­le­ci­da em cará­ter não pror­ro­gá­vel. Nes­te sen­ti­do, de acor­do com a ABCZ, é mui­to impor­tan­te que revi­sem seus plan­téis e veri­fi­quem se há ani­mais nes­sas con­di­ções para não per­der essa últi­ma oportunidade.

Zootecnistas do IZ atuam com segurança alimentar do campo ao consumidor

Res­pon­sá­veis pela pro­du­ção de ali­men­to de ori­gem ani­mal, os zoo­tec­nis­tas da pes­qui­sa cien­tí­fi­ca do Ins­ti­tu­to de Zoo­tec­nia (IZ-Apta) atu­am com conhe­ci­men­tos téc­ni­co-cien­tí­fi­cos para melho­ra­men­to gené­ti­co, nutri­ção e mane­jo ali­men­tar, mane­jo e con­ser­va­ção de pas­ta­gens e for­ra­gens, com­por­ta­men­to e bem-estar ani­mal, além de os tra­ba­lhos serem vin­cu­la­dos à sus­ten­ta­bi­li­da­de ambi­en­tal. O IZ con­ta hoje com 24 zoo­tec­nis­tas, pro­fis­si­o­nais com dou­to­ra­do e pós-dou­to­ra­do, que com­põem o qua­dro dos 34 pes­qui­sa­do­res, com pro­je­tos de pes­qui­sas em cin­co cen­tros, qua­tro núcle­os regi­o­nais e dez labo­ra­tó­ri­os de pes­qui­sa. “Todos os pro­je­tos desen­vol­vi­dos pelo IZ entre­gam solu­ções para uma pecuá­ria mais efi­ci­en­te e sus­ten­tá­vel”, des­ta­ca Enil­son Ribei­ro, diretor-geral.

Câmara Setorial-RS debate estratégias de comunicação sobre o leite

Reu­ni­da duran­te agen­da da Fena­sul, no Par­que de Expo­si­ções Assis Bra­sil, em Esteio (RS), a Câma­ra Seto­ri­al do Lei­te do RS deba­teu, nes­ta sex­ta-fei­ra (20/5), estra­té­gi­as de comu­ni­ca­ção para infor­mar os bene­fí­ci­os do con­su­mo de lác­te­os a um mai­or núme­ro de con­su­mi­do­res. O cami­nho, de acor­do com o coor­de­na­dor da Câma­ra Seto­ri­al, Eugê­nio Zanet­ti, é uma for­ma de for­ta­le­cer o setor. Duran­te o encon­tro, o secre­tá­rio-exe­cu­ti­vo do Sin­di­lat, Dar­lan Palha­ri­ni, suge­riu inves­ti­men­to em ações de fomen­to à comu­ni­ca­ção sobre o lei­te em âmbi­to local. “Temos que ser vis­tos pelo lado soci­al. Pre­ci­sa­mos nos apro­xi­mar da popu­la­ção”, pon­de­rou. Na reu­nião, os repre­sen­tan­tes tam­bém tra­ta­ram sobre o Pro­je­to Lei­te Segu­ro, da Embra­pa Gado de Lei­te. A ini­ci­a­ti­va deve ser imple­men­ta­da como pro­tó­ti­po ain­da em 2022 e foi apre­sen­ta­da pelo ana­lis­ta da Embra­pa Gado de Lei­te Roge­rio Dere­ti. (Caro­li­na Jardine)

Produtores de águas de Chapecó (SC) investem em energia fotovoltaica 

Em 2021, os pro­du­to­res do muni­cí­pio de Águas de Cha­pe­có, em San­ta Cata­ri­na, inves­ti­ram mais de R$ 1,3 milhão em ener­gia foto­vol­tai­ca, por meio do Pro­gra­ma Inves­te Agro SC, na linha de finan­ci­a­men­to para For­ta­le­ci­men­to das Cadei­as Pro­du­ti­vas. Foram 16 pro­je­tos que aten­de­ram à deman­da de ener­gia elé­tri­ca em 16 pro­pri­e­da­des rurais nas áre­as de avi­cul­tu­ra de cor­te, bovi­no­cul­tu­ra de lei­te, sui­no­cul­tu­ra e pro­du­ção de hor­ta­li­ças. O Inves­te Agro SC é uma polí­ti­ca públi­ca da Secre­ta­ria de Esta­do da Agri­cul­tu­ra, da Pes­ca e do Desen­vol­vi­men­to. A Epa­gri, por meio de seus téc­ni­cos, acom­pa­nhou os pro­du­to­res na toma­da de deci­são quan­to ao inves­ti­men­to pro­pos­to e ela­bo­rou os pro­je­tos de inves­ti­men­to agro­pe­cuá­rio e os enca­mi­nha­men­tos da docu­men­ta­ção neces­sá­ria para libe­ra­ção dos recur­sos pelos agen­tes finan­cei­ros para ins­ta­la­ção de sis­te­mas de cap­ta­ção de ener­gia solar fotovoltaica.

Lucro social da Embrapa em 25 anos soma R$ 1,2 trilhão

A Embra­pa aca­ba de publi­car uma edi­ção espe­ci­al de 25 anos de seu balan­ço soci­al, que demons­tra o resul­ta­do das con­tri­bui­ções da empre­sa à soci­e­da­de nes­se perío­do, incluin­do dados de 2021. De acor­do com essa publi­ca­ção, a empre­sa, que no ano que vem com­ple­ta 50 anos, gerou, na segun­da meta­de de sua exis­tên­cia, um lucro soci­al de R$ 1,2 tri­lhão. Esse núme­ro é resul­tan­te da con­so­li­da­ção dos indi­ca­do­res soci­ais, labo­rais e de apro­xi­ma­da­men­te 3 mil estu­dos de ava­li­a­ção de impac­tos econô­mi­cos e de esti­ma­ti­va de ado­ção das cul­ti­va­res da Embra­pa. Ele repre­sen­ta, majo­ri­ta­ri­a­men­te, a ren­da adi­ci­o­nal obti­da pelo setor pro­du­ti­vo ao ado­tar as solu­ções tec­no­ló­gi­cas da ins­ti­tui­ção. Cada real apli­ca­do na Embra­pa em 25 anos gerou cer­ca de R$ 12 para a soci­e­da­de brasileira.