Sete anos se passaram - Digital Balde Branco

CRÔNICA

Paulo do Carmo Martins 

Chefe-geral da Embrapa Gado de Leite

 O mun­do ficou mui­to mais com­ple­xo. O foco não é somen­te no ganho de pro­du­ti­vi­da­de, mas de que for­ma se pro­duz e com que pro­pó­si­to se consome”

Sete anos se passaram 

Em 2014, o celu­lar tinha como prin­ci­pal fun­ção as liga­ções telefô­ni­cas e ain­da não era órgão aces­só­rio ao cor­po huma­no. A Copa de Fute­bol fatal­men­te seria ganha por nós e o Minei­rão nun­ca assis­ti­ria um 7x1, ofe­re­ci­do pela Ale­ma­nha. Donald Trump, o polê­mi­co empre­sá­rio, demo­ra­ria dois anos para assu­mir a pre­si­dên­cia dos Esta­dos Uni­dos e o mun­do bus­ca­va se acos­tu­mar com a exis­tên­cia de dois Papas vivos e com carac­te­rís­ti­cas distintas.

Em 2014, a eco­no­mia bra­si­lei­ra cres­cia e esti­mu­la­va o con­su­mo de lei­te. Como resul­ta­do, a pro­du­ção bra­si­lei­ra cres­cia con­ti­nu­a­men­te, a pon­to de ter aumen­ta­do o equi­va­len­te a toda pro­du­ção argen­ti­na, em ape­nas sete anos. 

Em 2014, fomos esco­lhi­dos Che­fe-geral da Embra­pa Gado de Lei­te e cons­truí­mos uma pro­pos­ta de tra­ba­lho base­a­da em duas pes­qui­sas de opi­nião jun­to aos sta­kehol­ders (par­cei­ros) inter­nos e exter­nos. No âmbi­to inter­no 115 empre­ga­dos res­pon­de­ram a um ques­ti­o­ná­rio, sen­do que 86 eram pes­qui­sa­do­res e ana­lis­tas. No âmbi­to exter­no 143 pes­so­as res­pon­de­ram ao ques­ti­o­ná­rio. Eram de 16 esta­dos e do Dis­tri­to Federal.

Foi com base nes­te pro­ces­so que estru­tu­rei o docu­men­to “O futu­ro, esta­mos a cons­truir” – o Pla­no de Tra­ba­lho pre­vis­to ini­ci­al­men­te para o perío­do 2014 a 2017. O docu­men­to traz, na pági­na três, os Prin­cí­pi­os da Ges­tão que se ini­ci­a­va, base­a­dos na Lega­li­da­de, Impes­so­a­li­da­de, Mora­li­da­de, Publi­ci­da­de e Efi­ci­ên­cia, o acrô­ni­mo LIM­PE. E deta­lha o foco nos prin­cí­pi­os da Gover­nan­ça Cor­po­ra­ti­va: Trans­pa­rên­cia, Equi­da­de, Pres­ta­ção de Con­tas e Res­pon­sa­bi­li­da­de Corporativa. 

Em ter­mos ope­ra­ci­o­nais, o docu­men­to expli­ci­ta os seguin­tes com­pro­mis­sos: a) pro­du­zir solu­ções puxa­das pela deman­da da soci­e­da­de e com a soci­e­da­de, em vez de empur­ra­da pela ofer­ta gera­da pela von­ta­de indi­vi­du­al; b) gerar solu­ções de modo pla­ne­ja­do, par­ti­ci­pa­ti­vo, em equi­pe; c) ges­tão por resul­ta­dos e com con­tro­le soci­al, em con­tra­pon­to à visão patri­mo­ni­a­lis­ta; d) inten­si­fi­car atu­a­ção naci­o­nal em con­tra­pon­to à visão mi-nei­ro-cen­tris­ta; e) atu­ar em rede, valo­ri­zan­do os parceiros. 

Fomos recon­du­zi­dos ao car­go, após ava­li­a­ção ins­ti­tu­ci­o­nal de desem­pe­nho, para um novo man­da­to de 2017 a 2020, pror­ro­ga­do até 31 de agos­to de 2021. Por­tan­to, sete anos à fren­te da Embra­pa Gado de Lei­te. Nes­te perío­do, muda­ram as per­gun­tas e os ansei­os dos sta­kehol­ders. O mun­do ficou mui­to mais com­ple­xo. O foco não é somen­te no ganho de pro­du­ti­vi­da­de, mas de que for­ma se pro­duz e com que pro­pó­si­to se con­so­me. As orga­ni­za­ções e ins­ti­tui­ções não tem mais o mono­pó­lio de atu­a­ção, pois as solu­ções geni­ais gera­das pelas star­tups, hoje fazem balan­çar os gran­des conglomerados.

Nes­tes sete anos pro­mo­ve­mos a trans­for­ma­ção digi­tal da Embra­pa Gado de Lei­te, ins­pi­ra­da no que apren­de­mos com o movi­men­to Ide­as For Milk. E hou­ve o reco­nhe­ci­men­to inter­no ao lega­do des­te movi­men­to. A Embra­pa tem um pro­ces­so inter­no de ava­li­a­ção de desem­pe­nho e atri­buiu as mai­o­res notas de ava­li­a­ção, ao lon­go de cin­co anos, para os seus pila­res: Vacathon e Desa­fio de Star­tups. O Ide­as For Milk tam­bém influ­en­ci­ou outras ini­ci­a­ti­vas, como o Ino­va­pork, Ino­va­a­vi, Ide­as para o Café e Cafethon, Canathon, Ino­va­a­qua, Ide­as For Farm. Em ter­mos de ins­ti­tui­ções, a OCB cri­ou o Ino­va­co­op e a CNA o Agro Startup.

Esta ges­tão que se fin­da, dei­xa como uma de suas mar­cas a atu­a­ção em rede com o setor pro­du­ti­vo. Nes­te momen­to temos 120 con­tra­tos ati­vos de par­ce­ria com empre­sas e ins­ti­tui­ções. A segun­da mar­ca é a cons­tru­ção de uma nova agen­da temá­ti­ca de pes­qui­sa, sem­pre em par­ce­ria com empre­sas e Uni­ver­si­da­des: hoje, esta­mos tra­ba­lhan­do Lei­te Car­bo­no Neu­tro, Lei­te Orgâ­ni­co, Bios­se­gu­ri­da­de no Lei­te, Bem-estar ani­mal, Pecuá­ria de Pre­ci­são, IOT, cri­an­do algo­rit­mos, con­tri­buin­do com a melho­ria do quei­jo arte­sa­nal, geran­do infor­ma­ções sobre o mer­ca­do, des­ven­dan­do as von­ta­des do consumidor.

A ter­cei­ra mar­ca foi a cone­xão glo­bal que esta­be­le­ce­mos com outros paí­ses. Inte­ra­gi­mos de modo pre­sen­ci­al e vir­tu­al com 51 paí­ses do Glo­bo, ape­sar do lei­te ser um pro­du­to típi­co de mer­ca­do inter­no. A quar­ta mar­ca é cap­tu­ra de valor nas três for­mas pos­sí­veis: a) apren­den­do a fazer o novo; b) melho­ran­do nos­sa inser­ção na soci­e­da­de em todos os seg­men­tos; c) mone­ti­zan­do nos­sos fei­tos. O Ide­as For Milk, por exem­plo, mone­ti­zou R$ 1,3 milhões.

A quin­ta mar­ca é a da Ino­va­ção Aber­ta. Cri­a­mos o Desa­fio de Ino­va­ção Aber­ta, em que 97 empre­sas pro­pu­se­ram par­ce­ria conos­co, cri­a­mos o Resi­dên­cia Zoo­téc­ni­ca Digi­tal, em que jovens geram apli­ca­ções digi­tais para o setor, e via­bi­li­za­mos o Silo – Ino­va­ção Aber­ta, que irá sedi­men­tar par­ce­ri­as de ino­va­ção com empre­sas, uni­ver­si­da­des e startups. 

O resul­ta­do de tudo isso foi reco­nhe­ci­do pela soci­e­da­de. Na Embra­pa, na ava­li­a­ção anu­al nos­sa Uni­da­de obte­ve o grau “A”, o mais alto, con­ti­nu­a­men­te nos últi­mos qua­tro anos. O Rela­tó­rio de Sus­ten­ta­bi­li­da­de 2014 ‑2021 deta­lha estas con­quis­tas (dis­po­ní­vel em https://www.embrapa.br/gado-de-leite).

Vol­to para a car­rei­ra de pes­qui­sa­dor, que me pro­je­tou e me deu cre­di­bi­li­da­de para que eu pudes­se lide­rar esta impor­tan­te Uni­da­de da Embrapa.

Rolar para cima