balde branco

Na tentativa de reduzir a burocracia que envolve o agronegócio gaúcho, o secretário-executivo do Sindilat, Darlan Palharini, entregou à Secretaria da Agricultura, no último dia 5 de outubro, relatório com alguns gargalos a serem solucionados pelo programa Agro + Gaúcho. As demandas da indústria de laticínios gaúcha incluem a padronização de procedimentos de inspeção e fiscalização, além do cumprimento de prazos para autorização de reformas e ampliações de instalações nas indústrias.

O presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, acredita que é necessário simplificar as operações para que o desenvolvimento no setor avance. “Podemos utilizar as notas fiscais de entrada em substituição às do produtor, por exemplo. Isso daria velocidade, redução de despesas e manteria a legalidade fiscal das indústrias, produtos e municípios”, sugere.

A lista do Sindilat ainda inclui a normatização de uso do transvase, sistema popularmente conhecido como Romeu e Julieta, que permite uso de dois tanques acoplados a um caminhão. A prática está prevista na Lei do Leite, mas ainda precisa de regulamentação. As indústrias também pleiteiam a padronização de procedimentos e cumprimento de prazos para autorização de rotulagens e a revisão dos padrões de CCS e CBT do leite previstos na IN 62. O sindicato também pede autorização para processamento de leite fisiologicamente anormal (Portaria 005 de 1983).

 

 

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?