balde branco

Método é uma forma gentil de comunicação entre manejador e bovino, com base em contato visual e posicionamento adequado do manejador

 Conduzir o gado de forma inadequada, seja para o pasto, para o transporte ou para qualquer procedimento pode elevar o seu nível de estresse e, consequentemente, afetar a sua saúde e desempenho. Isso ocorre, por exemplo, com o uso de bastões de choque, chicotes e outros instrumentos utilizados em fazendas do mundo todo.

Contribuindo para mudar este cenário e preservar o bem estar animal, a Zoetis começa a disseminar no Brasil a técnica chamada “Nada nas Mãos”. Como o próprio nome sugere, o manejador conduz os bovinos apenas com o seu olhar e os próprios movimentos corporais, posicionando-se no campo de visão do animal.

Essa prática tem como foco proporcionar bem-estar aos animais, resultando em menos estresse para o gado e para a pessoa que o conduz, por meio de uma comunicação tranquila entre manejador e o rebanho. Um dos pioneiros mundiais da técnica é o brasileiro Paulo Loureiro, líder de Desenvolvimento Comercial e Inovação Global de Bovinos e Equinos da Zoetis.

“Sempre tive respeito e amor pelos animais, então comecei a observá-los desde criança. Aprendi a manejar o gado intuitivamente, iniciando na fazenda da minha família. Cursei Medicina Veterinária e desenvolvi a minha técnica ao longo dos anos. Se existe um segredo, talvez seja tentar sempre ganhar a confiança dos animais, a começar pelos líderes. O objetivo maior é sempre gerar bem-estar e segurança, tanto para os bovinos quanto para os manejadores”, afirma.

Benefícios – Loureiro defende que os animais precisam se sentir confortáveis onde vivem. “Quando removemos fatores de estresse e nos portamos como guias, os bovinos passam a confiar no manejador e ficam mais tranquilos. Desta forma, é mais fácil detectar doenças em estágio inicial, uma vez que os bovinos aprenderam a esconder sintomas para não serem deixados para trás pelo rebanho. É um mecanismo de defesa da própria evolução da espécie”, explica.

Os benefícios vão além: animais com baixo nível de estresse apresentam melhor imunidade e respondem melhor a vacinas, favorecendo a produtividade. O estresse em bovinos compromete o ganho de peso, aumenta a incidência de doenças e a mortalidade.

A técnica “Nada nas Mãos” também traz mais segurança aos tratadores, possibilitando que trabalhem de forma mais confortável e não se machuquem. Outra vantagem é que a aplicação da técnica, normalmente, exige nenhuma ou apenas pequenas mudanças nas instalações.

Desde 2001, Loureiro ministra treinamentos sobre a técnica “Nada nas Mãos” em diversos países. O seu método foi aperfeiçoado ao conhecer o médico veterinário norte-americano Tom Noffsinger, que aplicava uma técnica semelhante em fazendas nos Estados Unidos.  Ambos estiveram no Brasil na primeira semana de agosto, para treinar médicos veterinários e fazer apresentações a produtores brasileiros, em Goiás e em Mato Grosso, juntamente com a médica veterinária Adriane Zart, consultora da Personal Pec uma das maiores especialistas da técnica no Brasil.

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?