Tecnologia promove mudanças e impulsiona expansão - Digital Balde Branco

Pro­du­tor deci­diu apos­tar na ati­vi­da­de lei­tei­ra ao inves­tir no sis­te­ma de orde­nha volun­tá­ria, em mape­a­men­to genô­mi­co e tec­no­lo­gi­as que tor­nem a ati­vi­da­de cada vez mais efi­ci­en­te e melhor para trabalhar

Por Edson Lemos

O ano de 2017 mar­ca uma mu­dança de per­fil na vida da Fazen­da Vó Aná­lia, na divi­sa dos muni­cí­pi­os de Piraí do Sul e Ven­ta­nia, no Para­ná. Apro­fun­dan­do uma voca­ção lei­tei­ra des­co­ber­ta ain­da em 2006 com a che­ga­da de qua­tro vacas Jer­sey à pro­pri­e­da­de, Pau­lo Cezar e Pau­lo Edu­ar­do Tonon, pai e filho, apos­tam ago­ra na alta tec­no­lo­gia para pro­du­zir mais lei­te, com melhor qua­li­da­de. A pro­pri­e­da­de aca­ba de implan­tar duas uni­da­des da tec­no­lo­gia de orde­nha vo­luntária, ingres­san­do defi­ni­ti­va­men­te na era moder­na da explo­ra­ção lei­tei­ra de nível mundial.

Na ver­da­de, tra­ta-se da arran­ca­da de um pro­je­to de lon­go pra­zo que pre­vê 750 vacas em lac­ta­ção, 1.500 ani­mais no reba­nho, toda comi­da para o gado pro­du­zi­da em casa, a pro­du­ção de quei­jos finos, man­tei­ga, iogur­te, agre­ga­ção de valor à pro­du­ção atra­vés do co­mércio de novi­lhas pre­nhas de boa gené­ti­ca, e o uso de 8 a 10 robôs den­tro de cin­co anos.

“Eu que­ro ser uma fábri­ca de pro­teí­na. Dei­xar de ser cere­ais e pas­sar a ser pro­teí­na, seja na for­ma de quei­jo, seja na for­ma de lei­te. Ao invés de ven­der grão de milho e grão de soja, eu que­ro ven­der pro­teí­na”, infor­ma o produ­tor, que man­tém área agrí­co­la expres­si­va na fazen­da, tra­ba­lhan­do em 250 ha pró­pri­os e outros 250 ha arrendados.

O novo per­fil que se ante­vê para a pro­pri­e­da­de com a che­ga­da dos dois pri­mei­ros robôs do sis­te­ma de orde­nha volun­tá­ria (Volun­tary Mil­king Sys­tem), da DeLa­val, é moti­vo de or­gulho e feli­ci­da­de para os Tonon, que tra­ba­lham em famí­lia. O pai exer­ce o pla­ne­ja­men­to e a super­vi­são geral; o filho Pau­lo Edu­ar­do, que estu­da vete­rinária, cui­da do ope­ra­ci­o­nal do dia a dia; a filha Mar­ce­la aju­da no adminis­trativo. Ape­nas a filha Rena­ta, médi­ca, não está envol­vi­da dire­ta­men­te com a propriedade.

Pau­lo Edu­ar­do deta­lha que a tran­si­ção para o novo sis­te­ma não exi­giu gran­de mudan­ça de estru­tu­ra. As camas das vacas são as mes­mas, os bebe­dou­ros e os can­zis tam­bém. Ins­ta­lou-se um ras­pa­dor auto­má­ti­co, que antes não havia. O anti­go free-stall ganhou 10 m de ampli­a­ção e teve os dois robôs ins­ta­la­dos, subs­ti­tuin­do uma orde­nha­dei­ra duplo 6. Vacas de pré-par­to con­ti­nu­am sen­do man­ti­das em com­post barn e logo depois de parir vol­tam para o free-stall. São 300 ani­mais no reba­nho e 122 vacas em orde­nha atualmente.

—————————
Leia a ínte­gra des­ta maté­ria na edi­ção Bal­de Bran­co 635, de setem­bro 2017

Rolar para cima